Manual do gerenciador web

UnniTI 1000/2000/3000

Versão deste manual: 21.06.29

UnniTI 1000/2000/3000

Central telefônica

Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras.

A central telefônica UnniTI é uma solução para integração de redes de voz e dados, ideal para pequenas e médias empresas. Também exerce a função de gateway para diversos tipos de tecnologias: IP, analógico, digital e GSM/3G, podendo interligar duas ou mais redes e permitindo a realização de chamadas através delas. É uma plataforma incrementável, ou seja, pode-se aumentar o número de acessos através de suas interfaces: troncos IPs (SIP 2.0), digitais (E1 - R2/MFC-5C e RDSI-PRI), analógicos e GSM/3G, ramais IP, analógicos e digitais. Possui diversos serviços e facilidades para maior comodidade na comunicação. A central possui os modelos UnniTI 1000, 2000 e 3000 para ser instalados em racks, paredes ou superfícies lisas. Em rack de 19” ocupa uma altura de 2 U (UnniTI 2000) e 3 U (UnniTI 3000). Este guia irá auxiliá-lo na instalação e no acesso às configurações do produto.

REQUISITOS

Antes de começar a utilizar o gerenciador web UnniTI, atente aos requisitos exigidos para que possa utilizá-lo sem dificuldades.

Sistema operacional

O gerenciador web UnniTI não é uma aplicação desktop e sim web, portanto, não há restrição quanto ao sistema operacional à versão a serem utilizados.

EXPORTAR PARA PDF

Para exportar este manual para o formato de arquivo PDF, utilize o recurso de impressão que navegadores como Google Chrome® e Mozilla Firefox® possuem. Para acessá-lo, pressione as teclas CTRL + P ou clique aqui. Se preferir, utilize o menu do navegador, acessando a aba Imprimir, que geralmente fica no canto superior direito da tela. Na tela que será aberta, execute os passos a seguir, de acordo com o navegador:

Google Chrome®: na tela de impressão, no campo Destino, clique em Alterar, selecione a opção Salvar como PDF na seção Destinos locais e clique em Salvar. Será aberta a tela do sistema operacional solicitando que seja definido o nome e onde deverá ser salvo o arquivo.

Mozilla Firefox®: na tela de impressão, clique em Imprimir, na aba Geral, selecione a opção Imprimir para arquivo, no campo Arquivo, defina o nome e o local onde deverá ser salvo o arquivo, selecione PDF como formato de saída e clique em Imprimir.

PADRÕES

Esta seção apresenta os padrões adotados no gerenciador web e neste manual.

Elementos

Estes são alguns dos elementos usados na interface do gerenciador web para permitir a interação do usuário.

botão.

botão para cadastrar registros com indicação da quantidade cadastrada (qC) e quantidade máxima (qM).

seletor de arquivo para upload.

checkbox selecionado.

checkbox não selecionado.

checkbox desabilitado.

radio button selecionado.

radio button não selecionado.

radio button desabilitado.

campo de texto.

campo de texto desabilitado.

campo de texto desabilitado (nas tabelas).

menu de opções.

menu de opções desabilitado.

menu de opções desabilitado (nas tabelas).

Requisitos para preenchimento dos campos

Alguns campos apresentam um ou mais requisitos de preenchimento. São eles:

Preenchimento obrigatório: quando o requisito de preenchimento obrigatório não for cumprido, será apresentado o ícone ao lado direito do campo. Ao passar o mouse sobre ele, será apresentada a mensagem correspondente: Preenchimento obrigatório.

Valor mínimo e/ou máximo: apenas para campos de texto. O valor máximo é validado em tempo real, ou seja, a inserção de mais caracteres que o permitido será ignorada e estes não irão aparecer no campo. Quando o requisito de valor mínimo não for cumprido, será apresentado o ícone ao lado direito do campo. Ao passar o mouse sobre esse ícone, será apresentada a mensagem correspondente: Deve conter valores entre [valor inicial] e [valor final].

Caracteres restritos: nos campos com restrição de caracteres, a validação é feita em tempo real, ou seja, a inserção de caracteres não permitidos será ignorada e estes não irão aparecer no campo ao serem digitados.

Valor único: nos campos de valor único, o valor do atributo de um objeto em uma determinada tabela não poderá ser igual ao mesmo atributo de outro objeto na mesma tabela ou de outras tabelas. Por exemplo: o número de um ramal não poderá ser igual ao número de outro ramal, nem tronco, nem comando por teclado, entre outros. Uma mensagem será apresentada em tela caso o usuário tente salvar um registro com valor já existente.

Tabelas

As tabelas possuem dois modos para salvar e editar os registros.

Cadastrar novos registros

Para cadastrar um novo registro em uma tabela, clique no botão posicionado acima das tabelas. Será apresentada a linha de inserção, no topo da tabela, com os campos para preenchimento.

Há duas formas de salvar a alteração, conforme apresentado a seguir:

1. Quando a tabela apresentar o ícone Inserir , ao clicar sobre ele, o registro será inserido na tabela, mas ainda não será salvo no PABX. Depois de inserir todos os registros desejados, clique no botão , posicionado abaixo da tabela, para então salvá-los no PABX.
2. Quando a tabela apresenta o ícone Salvar na linha de inserção, basta clicar sobre ele para que o registro seja salvo no PABX. Nesses casos, o botão , não é apresentado abaixo da tabela.

Editar registros

Os registros serão apresentados na tabela, mas seus campos estarão bloqueados para edição. Para editar um registro de uma tabela, clique no ícone Editar , posicionado à direita, na linha do registro que deseja alterar. Os campos serão liberados para edição.

Há duas formas de salvar a alteração, conforme apresentado a seguir:

1. Quando a tabela apresentar o ícone Ok , ao clicar sobre ele, a edição do registro será concluída na tabela, mas ainda não será salva no PABX. Depois de alterar todos os registros desejados, clique no botão , posicionado abaixo da tabela, para então salvar as edições dos registros no PABX.
2. Quando a tabela apresenta o ícone Salvar na linha de inserção, basta clicar sobre ele para que a edição do registro seja salva no PABX. Nesses casos, o botão não é apresentado abaixo da tabela.

Excluir registros

Para excluir um registro de uma tabela, clique no ícone Excluir , posicionado à direita, na linha do registro que deseja excluir.

Há duas formas de salvar a exclusão do registro, conforme apresentado a seguir:

1. Se, ao clicar sobre ele, nenhuma mensagem de confirmação da exclusão for apresentada, a exclusão do registro foi concluída na tabela, mas ainda não foi salva no PABX. Depois de excluir todos os registros desejados, clique no botão , posicionado abaixo da tabela, para então salvar as exclusões dos registros no PABX.
2. Se, ao clicar sobre ele, for apresentada mensagem de confirmação da exclusão e clicar em , a exclusão do registro será salva no PABX. Nesses casos, o botão não é apresentado abaixo da tabela.

LOGIN

O endereço IP padrão da interface LAN do PABX é 10.0.0.2 e a máscara de sub-rede é 255.255.255.0. Para acessar a tela de login, você precisa ter um computador que tenha acesso à essa sub-rede. Por exemplo, seu computador deve ter uma das interfaces de rede configuradas com o endereço 10.0.0.3 / 255.255.255.0. Se o endereço foi alterado, você pode ouvi-lo digitando *60991* em um dos ramais conectados ao PABX. Saiba mais no manual Operações com ramais > Sistema > Ouvir endereços IP do PABX.

Abra seu navegador web, digite no campo de endereço https://10.0.0.2 e pressione Enter. Deverá ser apresentada a tela de login. Caso isso não aconteça, tente limpar o cache do navegador e pressione CTRL + F5. Se o PABX estiver inicializando, poderá ser apresentada a mensagem Preparando gerenciador web. Pode levar alguns minutos. Ao final dessa operação, a tela será automaticamente recarregada.

A tela de login exibe as seguintes informações, na ordem apresentada a seguir:
Logotipo do modelo do PABX: será apresentado UnniTI 1000, UnniTI 2000 ou UnniTI 3000 de acordo com o modelo. Enquanto o PABX estiver inicializando, poderá ser apresentado somente UnniTI.
Edição de banco de dados: se um novo banco de dados foi criado ou um banco de dados salvo foi aberto para edição, a tela de login irá apresentar, logo abaixo do logotipo, a informação "Editando banco de dados [nome do arquivo (modelo do PABX)]". Por exemplo: "Editando banco de dados bdMatriz (3000)".
Versão do software atualmente instalado: apresentada logo abaixo do logotipo, à direita.
Seleção do idioma: Português, Español, English. Clique em uma dessas opções para definir o idioma desejado.
Logotipo e nome do cliente: por padrão, essas informações não são apresentadas. Caso deseje que apareçam na tela de login, consulte a seção Sistema > Perfil do cliente deste manual. O logotipo do cliente será apresentado à esquera da tela e o nome do cliente à direita.

Preencha o nome do usuário no campo Usuário e a senha desse usuário no campo Senha. O padrão de ambos é admin. Clique em para efetivar a autenticação. Caso você não lembre a senha, clique em Recuperar senha. Será perguntado se o usuário deseja receber a senha por e-mail e/ou por celular. Selecione a opção desejada e clique em . A senha será enviada para o e-mail e/ou celular informado.

Se a autenticação for realizada com sucesso, você terá acesso a todas as funcionalidades descritas nos capítulos seguintes.

1. Para a recuperação da senha, é necessário que o usuário tenha em seu cadastro um e-mail ou um número celular. Saiba mais em Sistema > Usuários
2. O usuário pode não ter acesso a todas as funcionalidades caso esteja associado a um perfil de usuário personalizado. Saiba mais em Sistema > Perfis de usuário

BARRA SUPERIOR

A barra superior contém as seguintes informações e funcionalidades, na ordem apresentada a seguir:

Logotipo

Apresenta o logotipo da Intelbras com a informação do modelo do equipamento.

Nome do usuário e do cliente

Apresenta o nome do usuário que está autenticado atualmente no gerenciador web do PABX e, logo abaixo, o nome personalizado do cliente. Saiba mais em Sistema > Perfil do cliente.

Pesquisa

Ao preencher esse campo com um termo, ou parte dele, se o termo estiver presente no gerenciador web, serão apresentados os links para chegar às telas em que ele se encontra. Para elementos que estejam dentro da configuração de ramal ou tronco, o link apresentará o caminho completo, porém, ao clicar sobre ele, será aberta a tela de ramais ou troncos e um deles deverá ser selecionado. É necessário digitar pelo menos dois caracteres para que a pesquisa seja executada. Por exemplo, ao digitar no campo o termo sms serão exibidos os caminhos das telas que contêm esse termo:
Ramais > Ramais > Originar chamadas > Acesso externo > SMS
Ramais > Agenda Geral > SMS
Troncos > GSM/3G > Juntores GSM/3G > Configurações básicas > SMS
Troncos > GSM/3G > Juntores GSM/3G > Configurações básicas > SMS > Envia SMS
Troncos > GSM/3G > Juntores GSM/3G > Configurações básicas > SMS > Recebe SMS
Troncos > IP > Operadora > Configurações avançadas > Portabilidade > Por SMS
Sistema > Usuários > Perfis de usuário > Envio de SMS
Sistema > Envio de SMS
Sistema > Envio de SMS > SMS
Acessórios > Bilhetagem > Bilhetagem > Mensagens SMS

Data e hora

Apresenta hora do PABX no formato HH:MM e a data no formato DD/MM/AAAA. Ao clicar sobre a informação, será aberta a tela de configuração de Data e Hora. Saiba mais em Sistema > Data e Hora.

Turno

Apresenta o turno(1 a 4) que está operando no PABX. Ao clicar sobre a informação, será aberto um menu suspenso com a informação Trocar para o turno [nome do turno]". Se o PABX estiver operando no Turno 1, ao clicar no link Trocar para o turno [nome do turno], o turno ativo será trocado para o turno selecionado. Abaixo, o link Acessar configurações do turno automático direciona para a tela Sistema > Turno automático.

Alertas

Apresenta notificações importantes para o funcionamento do PABX. Algumas ações devem ser executadas o mais breve possível. Alguns exemplos de notificações: quando for efetuada uma alteração de rede que necessite a reinicialização de algum serviço; quando uma nova versão do PABX estiver disponível para download e atualização.

Ajuda

Ao clicar sobre o ícone, será aberto um menu suspenso com os links Acessar manuais e Reportar sugestão/defeito. Ao clicar no primeiro link, será aberta, em uma nova aba do navegador, a tela principal de acesso aos manuais deste PABX. O segundo link abrirá a tela Reportar sugestão ou defeito. Essa funcionalidade requer que o serviço de envio de e-mails do PABX esteja configurado. Saiba mais em Sistema > Envio de e-mails (SMTP).

Sair

Ao clicar em Sair, será pedida confirmação. Ao pressionar Cancelar, o usuário permanecerá autenticado no sistema. Caso ele clique em Confirmar, é feito o logout e a tela de login será apresentada.

SISTEMA

Este menu reúne configurações iniciais e gerais indispensáveis para o funcionamento do PABX.

Versão

Permite visualizar a versão do pacote de software e de cada componente atualmente instalados no PABX; verificar se há nova versão disponível, fazer o download e atualizar; enviar outro pacote de versão disponível; visualizar e atualizar versões de terminais digitais e IP.

Idioma PABX

Permite configurar o idioma das mensagens do sistema.

PABX

Na seção Versões de software, o campo Pacote apresenta a identificação do pacote de versões atualmente instalados no PABX. O formato da numeração AA.MM.DD utiliza o padrão americano e representa a data em que o pacote foi gerado (AA: ano, MM: mês, DD: dia). Por exemplo, se o pacote foi gerado em 22 de maio de 2017, a identificação será 17.05.22. A organização por data permite que os arquivos fiquem ordenados cronologicamente em diretórios de sistemas operacionais. Abaixo, são apresentadas as versões de cada software pertencente ao pacote: CPU, VoIP, Tronco digital E1 e Gerenciador web. A identificação segue a mesma lógica de data AA.MM.DD para indicar a data em que cada software foi gerado, mas nem sempre terão a mesma identificação do pacote.

Na seção Versões de hardware, o campo Controlador da comunicação entre CPU e placas apresenta a versão do software atualmente instalado no controlador presente na placa CPU. Essa versão é atualizada somente pela equipe de engenharia da Intelbras, não sendo possível atualizá-la pelo pacote de software.

Se não houver comunicação entre o gerenciador web e o PABX, será apresentada a mensagem: Não foi possível verificar as versões instaladas neste dispositivo.

Consulta nova versão

Nessa seção, será possível verificar se há um pacote de software mais atual que a última instalada no PABX. Se houver, será apresentada a mensagem: Pacote AA.MM.DD disponível para atualização! e, ao lado, o link Consulte o change log o qual contém as informações referentes a essa nova versão. Para fazer o download do novo pacote de versão, clique em e salve-o no local desejado para atualizar no momento mais adequado. Para atualizar o PABX imediatamente, clique em . Caso esta opção seja escolhida, após concluído o download, o processo de atualização será iniciado e poderá levar alguns minutos. Ao finalizar, o PABX será reiniciado e a tela de login será apresentada.

Enviar pacote de versão

Para enviar ao PABX um pacote de versão, seja mais novo ou mais antigo que o instalado atualmente, clique no botão Selecionar arquivo no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado unniti_AA.MM.DD.tar, cujo tamanho é de aproximadamente 20MB. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de atualização será iniciado e poderá levar alguns minutos. Ao finalizar, o PABX será reiniciado e a tela de login será apresentada.

Terminais inteligentes

A tabela apresenta os terminais inteligentes conectados ao PABX. Os terminais digitais devem ser do modelo TI 5000 com versão 2.0.0 ou superior. Para atualizar os dados da tabela, clique em . Cada linha apresenta um TI e as seguintes informações. O campo Ramal apresenta o número do ramal ao qual o terminal está associado. O campo Slot-posição apresenta a posição física em que o terminal está conectado. O campo Modeloapresenta o modelo do hardware. O campo Versão apresenta a versão do software. O campo Estado apresenta o estado de operação. O campo Mensagem apresenta o estado.

A seção Enviar outra versão permite enviar outra versão de software para os TIs. Para enviar outra versão, clique em Selecionar arquivo no passo 1 e selecione o arquivo de firmware. Assim que for selecionado, as informações desse firmware serão apresentadas ao lado do botão Selecionar arquivo: Modelo, Idioma e Versão. Selecione, na tabela, os TIs desejados. No passo 2, clique em para enviar o arquivo de firmware para os TIs selecionados. O gerenciador web apresenta a mensagem Aguardando firmware enquanto o envio está sendo efetuado e Aguardando reinicialização do terminal. Firmware recebido ao finalizar. Durante este processo, o display do TI apresenta o andamento da transferência do firmware.

Banco de dados

Permite criar um banco de dados para edição off-line; abrir um arquivo de banco de dados para editá-lo e/ou enviar ao PABX; salvar um banco de dados; restaurar o equipamento ao padrão de fábrica.

Novo

Para criar um novo banco de dados, clique em . Será aberta a tela Novo banco de dados. Selecione o modelo do PABX desejado, UnniTI 1000, UnniTI 2000 ou UnniTI 3000. Você poderá nomear esse banco de dados no campo Nome, que já estará preenchido por padrão com o nome do modelo do PABX selecionado. Clique em para criar o novo banco de dados. Será apresentada a mensagem Carregando. Esse processo pode demorar alguns minutos. Assim que finalizar, será apresentada a tela de login. Digite, no campo Usuário, admin, em Senha, admin, e clique em .

Enquanto o novo banco de dados estiver em edição, será apresentada uma barra na parte superior da tela com a informação Editando banco de dados: [nome do arquivo (modelo do PABX)]. Por exemplo: Editando banco de dados bdMatriz (3000). Caso queira enviar o banco de dados em edição para o PABX, clique em , localizado na mesma barra. Se quiser apenas efetuar o download do arquivo, clique em

1. Tenha certeza de qual endereço IP está configurado no banco de dados para que consiga acessar o PABX após o envio.

2. Algumas telas e funcionalidades, que necessitam de conexão com o PABX, não são exibidas quando um novo banco de dados está em edição, pois este está em uma área de memória separada e não possui conexão com o PABX. As telas do menu Sistema que não são apresentadas são Versão, Banco de dados, Licenças e Arquivos de áudio. No menu Redes, a tela Monitoramento. No menu Troncos, as telas Envio de SMS e Monitoramento. No menu Ramais, a tela Monitoramento.

Abrir

Para abrir um banco de dados já existente (backup), clique em Selecionar arquivo no passo 1 e selecione o arquivo que possua extensão .sql. Assim que for selecionado, as versões desse banco de dados serão apresentadas ao lado do campo Selecionar arquivo, ou seja, as versões do PABX no momento em que o backup foi criado. No passo 2, clique em para visualizar e/ou editar o banco de dados antes de aplicá-lo no PABX ou, se você tem certeza que deseja aplicar esse banco de dados no PABX, apenas clique em

Enquanto um banco de dados estiver em edição, será apresentada uma barra na parte superior da tela com a informação Editando banco de dados: [nome do arquivo (modelo do PABX)]. Por exemplo: Editando banco de dados bdMatriz (3U). Caso queira enviar o banco de dados em edição para o PABX, clique em . Se quiser apenas efetuar o download do arquivo com as alterações, clique em .

1. Tenha certeza de qual endereço IP está configurado no banco de dados para que consiga acessar o PABX após o envio.

2. Algumas telas e funcionalidades que necessitam de conexão com o PABX não são exibidas quando um novo banco de dados está em edição, pois este está em uma área de memória separada e não possui conexão com o PABX. As telas do menu Sistema que não são apresentadas são Versão, Banco de dados, Licenças e Arquivos de áudio. No menu Redes, a tela Monitoramento. No menu Troncos, as telas Envio de SMS e Monitoramento. No menu Ramais, a tela Monitoramento.

Salvar

Para salvar o banco de dados atual do PABX clique em . Será aberta uma tela do navegador para selecionar o diretório do sistema operacional em que o arquivo criado deverá ser salvo. O nome padrão do arquivo será criado baseado no modelo do PABX e na data e na hora de criação, e terá o seguinte formato: UnniTI[modeloPABX]_AAMMDD_HHMMSS.sql. Por exemplo: um banco de dados da UnniTI 2000 salvo em 19/07/2017 às 09:31:21 será criado com o nome UnniTI2000_170719_093121.sql

Padrão de Fábrica

Para voltar o PABX para as configurações de fábrica, clique em . Será solicitada confirmação para que esta ação seja executada, pois todas as configurações e os dados gerados pelo uso serão apagados. O endereço IP que estava configurado será mantido, facilitando o acesso novamente ao PABX após a reinicialização. Ao clicar em , a ação não será executada. Ao clicar em , o PABX será reiniciado.

Disposição de placas

Permite configurar e/ou visualizar a disposição lógica das placas conectadas fisicamente no PABX.

Placas UnniTI 1000

4 ramais analógicos (RA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 4 ramais analógicos. Pode ser colocada nos slots 1 a 8, sendo que o limite para este modelo são 8 placas (32 ramais analógicos).

4 ramais misto (1 RD + 3 RA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 1 ramal digitais e 3 ramais analógicos. Pode ser colocada nos slots 1 a 8, sendo que o limite para este modelo são 8 placas (8 ramais digitais + 24 ramais analógicos).

2 troncos analógicos (TA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 2 troncos analógicos. Pode ser colocada nos slots 9 a 11, sendo que o limite para este modelo são 3 placas (6 troncos analógicos).

2 troncos GSM/3G (TG): cada placa deste tipo permite a conexão física de 2 chips GSM/3G. Cada chip é um tronco GSM/3G. O limite é de 1 placa GSM/3G e deve ser colocada apenas no slot OPC.

Tronco digital 1E1: esta placa permite a conexão lógica de 30 troncos digitais. O limite é de 1 placa E1 e deve ser colocada apenas no slot 12.

Placa CODEC 10: permite a conexão lógica de até 10 Troncos IP, até 40 Ramais IP e 10 canais para uso simultâneo.

Placa CODEC 60: permite a conexão lógica de até 50 Troncos IP, até 250 Ramais IP e 50 canais para uso simultâneo.

Placas UnniTI 2000/3000

16 ramais analógicos (RA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 16 ramais analógicos. Na UnniTI 2000, pode ser colocada nos slots 1 a 6, sendo que o limite para este modelo são 6 placas (96 ramais analógicos). Na UnniTI 3000, pode ser colocada nos slots 1 a 10, sendo que o limite para este modelo são 10 placas (160 ramais analógicos).

12 ramais digitais (RD): cada placa deste tipo permite a conexão física de 12 ramais digitais. Na UnniTI 2000, pode ser colocada nos slots 1 a 6 e na UnniTI 3000 nos slots 1 a 10. Em ambos modelos do PABX, o limite é de 4 placas (48 ramais digitais).

16 ramais misto (4 RD + 12 RA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 4 ramais digitais e 12 ramais analógicos. Na UnniTI 2000, pode ser colocada nos slots 1 a 6, sendo que o limite para este modelo são 6 placas (24 ramais digitais + 72 ramais analógicos). Na UnniTI 3000, pode ser colocada nos slots 1 a 10, sendo que o limite para este modelo são 10 placas (40 ramais digitais + 120 ramais analógicos).

8 troncos analógicos (TA): cada placa deste tipo permite a conexão física de 8 troncos analógicos. Na UnniTI 2000, pode ser colocada nos slots 1 a 6 e na UnniTI 3000 nos slots 1 a 10. Em ambos modelos do PABX, o limite é de 3 placas (24 troncos analógicos).

4 troncos GSM ou 4 troncos GSM/3G (TG): cada placa deste tipo permite a conexão física de 4 chips GSM ou 4 chips GSM/3G. Cada chip é um tronco GSM ou um tronco GSM/3G. Esta é a placa base 4 GSM ou placa base 4 GSM/3G.

Expansão GSM ou Expansão GSM/3G: cada placa deste tipo adiciona mais 4 troncos GSM ou mais 4 troncos GSM/3G quando acoplada na placa base 4 troncos GSM ou 4 troncos GSM/3G. Cada placa então poderá ter até 8 troncos GSM ou 8 troncos GSM/3G. Na UnniTI 2000, pode ser colocada nos slots 1 a 6 e na UnniTI 3000 nos slots 1 a 10. Em ambos modelos do PABX, o limite é de 3 placas (24 troncos GSM ou GSM/3G).

Tronco digital 1E1: esta placa permite a conexão lógica de 30 troncos digitais. Tanto na UnniTI 2000 como na UnniTI 3000, o limite é de 1 placa E1 e deve ser colocada apenas no slot 1.

Tronco digital 2E1: esta placa permite a conexão lógica de 60 troncos digitais. Tanto na UnniTI 2000 como na UnniTI 3000, o limite é de 1 placa E1 e deve ser colocada apenas no slot 1.

Codec VoIP 10 canais: permite a conexão lógica de até 10 troncos, até 40 ramais e 10 canais para uso simultâneo.

Codec VoIP 60 canais: permite a conexão lógica de até 60 troncos e até 250 ramais e 60 canais para uso simultâneo.

Para que a Unniti consiga usar o limite de seus canais sem perda na qualidade do áudio, é obrigatório usar o Codec G729. Tendo ainda o cuidado de onde tiver o maior fluxo de chamadas, dar preferencia para a interface de rede LAN, a qual tem um melhor desempenho na transferência de dados.

Gabinete

Abaixo das placas é apresentada a figura do gabinete de acordo com o PABX em que se está conectado ou, se estiver em modo edição de banco de dados, a figura do gabinete do PABX do banco de dados em edição. O modelo UnniTI 2000 possui 6 slots e o modelo UnniTI 3000 possui 10 slots. Para efeito de configuração, a figura apresenta um slot sobre a placa CPU para colocar exclusivamente a placa codec VoIP, mas fisicamente este slot não existe no PABX. O slot encontra-se na placa CPU. Saiba mais no manual do hardware, na seção Produto.

Inserir placas

Ao lado de cada placa, tem um ícone igual a este . Clique sobre este ícone ao lado da placa desejada e arraste para o slot em que a placa correspondente está fisicamente conectada.

As placas codec VoIP 10 canais e 60 canais somente podem ser colocadas no slot sobre a placa CPU. Logo após colocar uma destas placas no slot, será aberto um menu suspenso com o campo Troncos para que seja definida a quantidade de troncos IP. Se estiver no modo Edição de banco de dados, será apresentado também o campo Ramais, para definir a quantidade de ramais IP. Após definir as quantidades, clique em . Caso queira configurar a quantidade em outro momento, apenas clique no ícone igual a este para fechar o menu suspenso. Para abrir o menu suspenso, clique no ícone igual a este . Caso a placa de 10 canais seja substituída pela 60 canais, clique no ícone para efetuar o upgrade sem ter que remover a placa e, com isso, manter suas configurações.

Para que os ramais IP e troncos IP sejam liberados para uso, além da placa CODEC, é necessário ter licenças válidas na chave de hardware. Saiba mais em Sistema > Licenças

As placas tronco digital 1E1 e 2E1 somente podem ser colocadas no slot 1. Logo após colocar uma destas placas no slot, será aberto um menu suspenso com o menu Início, que apresenta as opções Nenhum e 1 a 30, para que seja definido o canal inicial do link E1. O menu Fim apresenta como primeira opção o mesmo valor selecionado em Início para que seja definida a quantidade de canais do Link 1. Caso a placa seja 2E1, logo abaixo, serão apresentados os mesmos campos para definição da quantidade de canais do Link 2. Após definir as quantidades, clique em . Caso queira configurar a quantidade de canais em outro momento, apenas clique no ícone igual a este para fechar o menu suspenso. Para abrir o menu suspenso, clique no ícone igual a este . Caso a placa de 1E1 seja substituída pela 2E1, clique no ícone para efetuar o upgrade sem ter que remover a placa e, com isso, manter suas configurações.

Remover placas

Todas as placas inseridas possuem um ícone igual a este . Ao clicar neste ícone, será solicitada confirmação para remover a placa do slot. No modo edição de banco de dados, será apresentada também a opção para que todas as placas possam ser removidas de uma vez.

Substituição de atendedores

Se uma placa com ramais que são atendedores de troncos e/ou facilidades for removida, será aberta a tela Substituição de atendedores. Nela serão listados os troncos e/ou facilidades dos quais os ramais são atendedores e, caso exista outra placa de ramal, serão apresentados os ramais para que possa ser escolhido o ramal substituto. Selecione o ramal e clique em . Caso não queira definir outro atendedor, basta clicar em ou

Capacidade do PABX

Esta seção apresenta as capacidades máximas para cada tipo de placa de ramal e tronco e quanto está sendo usado atualmente, à medida que as placas são inseridas/removidas nos slots. A informação dos limites individuais não é alterada à medida que as placas são inseridas/removidas na configuração. Então, dependendo da configuração, não é possível alcançar o limite da placa, pois será limitado pelos slots disponíveis. O tempo de configuração de ramais e troncos IP varia de acordo com a quantidade, podendo chegar até aproximadamente 20 minutos se configurado a capacidade máxima.

Licenças

Esta tela apresenta o estado da chave de hardware, as licenças existentes na chave e as licenças em uso no equipamento. Também permite o envio de licenças para a chave de hardware.

Estado da chave de hardware

A chave de hardware é um dispositivo do tipo USB, que poderá ser inserida na porta USB externa ou interna da placa CPU. Saiba mais no manual Hardware.

Apresenta o ID da chave de hardware no formato AA:BB:CC:DD:EE:FF:00:99 e a data e hora da última leitura no formato DD/MM/AAAA, hh:mm:ss

Ao retirar a chave de hardware com o PABX em funcionamento, as ligações VoIP (ramais e troncos IP) deixarão de funcionar em até 1 minuto.

Licenças presentes na chave de hardware e licenças em uso

Cada linha da tabela apresenta um tipo de licença com as seguintes informações: o campo Produto apresenta o tipo de licença, que pode ser Ramais IP, Troncos IP, CSTA, Bilhetagem TCP, Gravação de Voz, Correio de Voz e Disa Multinível. O campo Licenças apresenta a quantidade de licenças disponíveis na chave de hardware. As quantidades podem variar de acordo com a funcionalidade: Ramais IP (1 a 250), Troncos IP (0 a 60 para UnniTIs 2000/3000) ou (0 a 50 para UnniTI 1000), CSTA (1), Bilhetagem TCP (1), Gravação de voz (0 a 8), Correio de voz (0 a quantidade de ramais disponíveis), DISA (2 a 20). O campo Em uso representa a quantidade de licenças que estão sendo utilizadas no equipamento de acordo com suas configurações, por exemplo: No campo Licenças aparece 30 licenças de ramal IP, no entanto ao entrar na tela de ramais é possível verificar que existem apenas 10 ramais IP criados, logo, na coluna Em uso aparecerá o número 10. O campo Estado apresenta o estado da licença que pode ser Válida ou Inválida.

É possível utilizar simultaneamente até 16 canais de Correio de voz ou DISA.

Enviar licença para chave de hardware

Caso queira aumentar a quantidade de troncos e/ou ramais IP, consulte uma revenda autorizada Intelbras e informe o ID da chave de hardware para adquirir mais licenças. Será gerado um arquivo criptografado exclusivo para a chave de hardware que possua o ID informado. Para enviar licença para a chave de hardware, no passo 1 clique em , selecione o arquivo e no passo 2 clique em

Usuários

Apresenta as configurações de Perfis de usuário, Usuários do gerenciador web, LDAP, Senha do PABX, Histórico e Outros usuários.

Perfis de usuário

Permite visualizar, criar e excluir perfis com permissões de acesso personalizadas. Desta forma é possível definir o que cada usuário pode acessar no sistema.

Novo perfil

Para criar um novo perfil, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para o novo perfil. É obrigatório e não pode ser igual a de outro perfil existente. Abaixo são apresentados os menus e submenus com os checkboxes não selecionados. Para permitir que o usuário com este perfil possa acessar determinada(s) tela(s), selecione o checkbox correspondente à(s) tela(s) desejada(s). Para salvar o novo perfil, clique em , ou clique em para cancelar a criação do novo perfil.

Editar perfil

Para editar um perfil de usuário, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados deste perfil. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir perfil

Para excluir um perfil de usuário, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

O perfil administrador é padrão do PABX e não poderá ser excluído, portanto, não possui a opção de exclusão.

Usuários do gerenciador web

Permite visualizar, criar e excluir usuários. Desta forma é possível criar usuários e associar os perfis de usuário conforme a necessidade de cada um.

Novo usuário

Para criar um novo usuário, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para o novo usuário. É obrigatório e não pode ser igual a de outro usuário existente. O checkbox Usuário LDAP, quando selecionado, define que este usuário fará a autenticação por meio de um conjunto de usuários existentes em uma base LDAP externa. Saiba mais em Sistema > LDAP. Quando selecionado, o campo Senha, abaixo, será desabilitado, pois neste caso a conferência da senha será feita na base LDAP. No campo Senha digite uma senha para este usuário. Deve ter entre 1 e 25 caracteres. Selecione no menu Idioma o idioma desejado. As opções são Português (padrão) e Espanhol. Selecione no menu Perfis um dos perfis criados em Perfis de usuário. Na seção Recuperação de senha, digite um e-mail no campo Endereço de email e um número no campo Número de celular para que, caso o usuário não lembre a senha, possa usar a função recuperar senha na tela de login. Dessa forma, o sistema enviará a senha para o e-mail ou número de celular cadastrados aqui. Para salvar o novo usuário, clique em , ou clique em para cancelar a criação do novo usuário.

Para que a configuração de recuperação de senha possa ser feita, é necessário satisfazer alguns requisitos, indicados pelas mensagens que serão apresentadas:

1. "O serviço de envio de e-mails (SMTP) não está habilitado"

2. "Não existem placas de tronco GSM ou GSM/3G configuradas"

3. "Pelo menos um dos troncos GSM ou GSM/3G deve estar habilitado para enviar SMS"

Editar usuário

Para editar um usuário, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados deste usuário. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir usuário

Para excluir um usuário, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

O usuário admin é padrão do PABX e não poderá ser excluído, portanto, não possui a opção de exclusão.

LDAP

O LDAP, Lightweight Directory Access Protocol, é um protocolo que permite acessar e manter serviços de informação de diretório distribuído sobre uma rede de Protocolo da Internet (IP). Torna possível compartilhar informações sobre usuários, sistemas, redes, serviços e aplicações através da rede. Por exemplo, este protocolo possibilita fornecer qualquer conjunto de registros organizado, geralmente com uma estrutura hierárquica, como um diretório de e-mail corporativo ou uma lista telefônica (diretório de telefones). No PABX UnniTI, o protocolo servirá especificamente para a autenticação de usuários, portanto, restringe-se à uma verificação de usuário e senha existentes no servidor LDAP. Ao ativar a autenticação via LDAP, o acesso via usuários locais existentes no PABX é desabilitado a não ser que se marque o checkbox Usuário local. Cada usuário que se autentica via LDAP também deve estar cadastrado no PABX. O nome do usuário no PABX deve ser idêntico ao usuário do servidor LDAP,mas a senha deve ser diferente. Esta senha não será utilizada quando a autenticação via LDAP estiver habilitada, somente será utilizada para acesso sem LDAP. A senha do usuário LDAP é armazenada somente no servidor LDAP.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço e habilita o preenchimento dos seguintes campos. O checkbox Usuário local, quando selecionado, permite que um usuário local do sistema consiga autenticar mesmo com o LDAP habilitado. Atenção: é recomendado selecionar esse checkbox enquanto ainda não se tem certeza se a configuração do LDAP está correta, permitindo assim autenticar no PABX e alterar a configuração até que esteja correta. Digite no campo Servidor o endereço IP e no campo Porta a porta do serviço no servidor. Preencha o nome do usuário para acessar o servidor de LDAP no campo Usuário. Preencha a senha deste usuário no campo Senha. Os campos Usuário e Senha podem não ser obrigatórios, dependendo de como o servidor está configurado. o campo Diretório do usuário deve conter o nome do diretório raiz onde os usuários estão armazenados. Os usuários podem ser organizados em outras pastas a partir desse diretório. O campo Filtro do usuário deve ser preenchido com a sintaxe a ser usada para filtrar o nome do usuário. Deve conter "$L" que representa o usuário digitado. Por exemplo: (uid=$L). No menu Tipo da conexão, selecione uma das opções. A opção Sem criptografia não utilizará criptografia na conexão entre PABX e servidor LDAP. A opção Com TLS não utilizará criptografia no início da conexão, mas ocorrerá uma negociação para em seguida tornar a conexão criptografada com o protocolo TLS. A opção Com TLS e certificado é igual a anterior com a verificação adicional do certificado existente no PABX com o certificado existente no servidor LDAP. Caso o certificado não seja válido, a conexão não será estabelecida. A opção SSL fará com que a conexão seja criptografada desde o início da conexão com o protocolo SSL. Se a opção Com TLS e certificado ou SSL forem selecionadas, será obrigatório o envio do certificado. Na seção Certificado, o campo Certificado atual apresenta o nome do certificado atual e a data do envio no campo Enviado em. Para enviar um novo certificado, de posse do arquivo, no passo 1 clique em , selecione o arquivo e no passo 2 clique em

Senha do PABX

Esta é a senha que deve ser digitada em todos os comandos de programação via teclado que contenha [senha PABX]. Saiba mais no manual Operações com ramais. Por padrão, a senha do PABX é 1234. Para alterar a senha do PABX, altere o valor do campo Senha do PABX e clique em

Histórico

Esta tabela apresentará o histórico de operações dos usuários. Cada registro contêm a Data em que ocorreu, no formato DD/MM/AAAA - HH:MM:SS. O nome do Usuário que executou a operação, o Navegador usado, o Local em que a Ação ocorreu e o Item modificado. O limite de armazenamento do histórico é de 500 registros, quando este limite é atingido, o sistema irá excluir os registros mais antigos antes de adicionar novos. Se desejar, é possível apagar todos os registros clicando no botão

Outros usuários

Esta tabela apresentará usuários configurados no sistema que conectam-se ao PABX por protocolos diferentes (que não acessam pelo protocolo HTTP através da tela de login). Por exemplo: usuário com acesso via SSH, configurado em Sistema > Monitoramento > Acesso por linha de comando ou usuário para download de arquivos de gravação configurado em Acessórios > Gravador de chamadas > Download de arquivos de gravação via FTP ou usuário para coleta de bilhetes em Acessórios > Bilhetagem > Forma de bilhetagem.

Data e Hora

Permite configurar a forma de acerto da data e hora do PABX manualmente ou automaticamente através do protocolo NTP (Network Time Protocol). Nesta tela também é possível definir os feriados e os dias úteis/não úteis

Forma de acerto

O PABX dispõe de duas formas de acerto de data e hora. A opção Manual, quando selecionada (padrão), permite que a data e hora sejam definidas manualmente. Na seção Data e hora atual são apresentadas data e hora atuais do PABX no formato HH:MM DD Mês AAAA. Essas informações são atualizadas quando a página é carregada. Clique em para receber a hora atualizada do PABX novamente. Na seção Personalizar data e hora, os campos com mesmo formato HH:MM DD Mês AAAA estarão preenchidos com as informações obtidas do computador em que o navegador web está sendo executado. Altere estes campos ou, se já estiver com a hora e data desejada para enviar para o PABX, clique em . Se quiser sincronizar novamente com a hora e data atuais do computador, clique em . Se desejar que a hora e data sejam constantemente sincronizadas com um servidor de data e hora na rede local ou internet, selecione a opção Servidor NTP. No campo Preferencial, digite o endereço IP ou nome de domínio do servidor NTP. Opcionalmente, você pode definir mais dois servidores nos campos Alternativo 1 e Alternativo 2. Caso não haja comunicação com o servidor preferencial, então os alternativos serão consultados. O menu Fuso horário apresenta a lista dos fusos horários. A opção-padrão é "(UTC-03:00) Brasília, Buenos Aires". Selecione a opção desejada de acordo com a região na qual o equipamento está instalado. O checkbox Horário de verão, quando selecionado, incrementa 1 hora durante o período de horário de verão.

Para maiores informações sobre o protocolo NTP e quais endereços de servidores usar, acesse www.ntp.br

Feriados

Permite visualizar, criar e excluir os feriados nacionais com datas fixas e/ou feriados específicos como, por exemplo, feriados municipais.

Novo feriado

Para criar um novo feriado, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Data com a data desejada no formato DD/MM e a descrição deste feriado no campo Descrição. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Em dias de feriado, o PABX irá funcionar com o turno programado em Sistema > Turno automático.

Adicionar feriados nacionais

Para adicionar os feriados nacionais que possuem datas fixas, clique em . Serão adicionados na tabela registros com as respectivas datas e descrições: "01/01 - Confraternização universal", "21/04 - Tiradentes", "01/05 - Dia do trabalhador", "07/09 - Independência do Brasil", "12/10 - Nsa. Sra. Aparecida", "02/11 - Finados", "15/11 - Proclamação da república", "25/12 - Natal"

Editar feriado

Para editar um feriado, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir feriado

Para excluir um feriado, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Dias úteis / não úteis

Esta programação serve de referência para o funcionamento de tarefas com horário agendado para ocorrer, como o Despertador. Por exemplo, o despertador do ramal foi programado para acionar, apenas em dias úteis, às 08:00. Como na programação padrão o Domingo é Não útil, então, neste dia da semana, o despertador não será acionado. Se o despertador estiver programado para às 13:30, nos Sábados ele não será acionado, já que a programação padrão determina que este dia é Útil até 12:00.

Localize na tabela o Dia da semana. No menu Tipo selecione o tipo de funcionamento desejado. A opção Útil define que as tarefas agendadas ocorrerão normalmente, a opção Útil até define um horário limite, então tarefas agendadas ocorrerão somente até esse horário, que deve ser definido no campo Horário com formato HH:MM

Em dias de feriado, o PABX irá funcionar com o turno programado em Sistema > Turno automático.

Turno automático

Permite programar os horários de troca automática de turno para cada dia da semana. Cada turno possibilita o uso de configurações distintas para ramais e troncos. Dessa forma, é possível ter comportamentos diferentes dependendo do horário. Por padrão, só estão habilitados e aparentes os turnos 1 e 2, para habilitar os turnos 3 e/ou 4 é necessário habilitá-los e programar ao menos um horário para eles, caso desabilite o turno 3 ou o turno 4, os horários programados para estes turnos serão automaticamente removidos.

Horários

Permite visualizar e cadastrar os horários para troca automática de turno.

Novo horário

Para criar um novo horário para troca de turno, clique no dia da semana desejado. Na tela que será aberta, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Hora com a hora no formato HH:MM e no menu Turno selecione o turno desejado (de 1 a 4). Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX. Para repetir os horários configurados neste dia da semana para um ou mais dias, selecione o checkbox e selecione o checkbox dos dias da semana desejados.

A partir do momento que um dos dias for programado com pelo menos um horário de troca de turno, o(s) dia(s) seguinte(s) irão assumir o mesmo turno que estava ativo no dia anterior até que haja um novo horário de troca. Por exemplo: se for cadastrado, na Segunda-feira, Turno 1 a partir de 08:00 e Turno 2 a partir das 18:00, o Turno 2 continuará ativo pelos próximos dias até que haja um horário programado para trocar para Turno 1.

Editar horário

Para editar um horário, clique no dia da semana desejado. Na tela que será aberta, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir horário

Para excluir um horário, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Arquivos de áudio

O PABX pode armazenar até 40 arquivos de áudio para serem usados em funcionalidades como DISA, Música de espera e Correio de voz.

Novo áudio

Para enviar um novo áudio, clique em . Na tela que será aberta, selecione o tipo de áudio que deseja enviar para o PABX. As opções são DISA (padrão), Música de espera, Mensagens do sistema e Correio de voz. Clique em Arquivo e selecione o arquivo de áudio. Assim que o arquivo de áudio for selecionado, no final da tela, serão exibidas as seguintes informações: Número de canais, Taxa de amostragem, Tamanho da amostras, Tamanho frame, Codificação das amostras, Big endian, Tamanho arquivo original, Duração, Tamanho arquivo comprimido. No campo Nome digite um nome para o arquivo. É obrigatório e não pode ser igual a de outro áudio existente. Se o tipo de áudio selecionado for Disa, então selecione se deseja Armazenar na memória interna (padrão) ou Armazenar no SD Card. Os tipos Música de espera e Mensagens do sistema serão armazenados sempre na memória interna. O tipo Correio de voz será sempre armazenado no SD Card. Clique em para enviar o áudio para o PABX. Este processo pode demorar alguns minutos, dependendo do tamanho do arquivo. O percentual de andamento do envio será exibido. Ao finalizar, o áudio será apresentado na tabela. Clique em caso não queira enviar o arquivo de áudio.

O arquivo enviado deve ser formato WAV, com taxa de amostragem de 8 kHz, 16 bits e mono canal. Caso seja enviado um arquivo com características diferentes, será apresentada uma mensagem informando que o arquivo é inválido.

Download do arquivo de áudio

Para realizar o download de um arquivo de áudio, localize na tabela o registro que deseja receber e clique no ícone localizado na última coluna.

Não é possível realizar download dos arquivos MSG1 e MSG2.

Download mensagens DISA SD Card

Para realizar o download dos arquivos de áudio armazenados no SD Card, clique em . Será aberta a tela do sistema operacional para selecionar onde deve ser salvo o arquivo.

Excluir arquivo de áudio

Para excluir um arquivo de áudio, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Atenção: os arquivos MSG1 e MSG2 tipo DISA são padrões do PABX e não poderão ser excluídos, portanto, não possuem opção de exclusão.

Ocupação da memória interna e SD card

As informações abaixo são apresentadas tanto para a memória interna quanto para o SD card, se existir. Também são apresentados gráficos com dados aproximados sobre essas informações, que contemplam as mensagens de áudio padrão e personalizadas gravadas no sistema. São elas:

Total: capacidade total em Bytes.

Usado: espaço usado em Bytes.

Livre: espaço livre em Bytes.

Duração: capacidade total em segundos.

Duração livre: espaço livre em segundos.

Ocupação: ocupação em porcentagem.

Observação: O pabx pode utilizar parte destas memórias para programações internas, diminuindo o espaço livre na memoria interna e no SDCard.

Formatar SD card

Ao clicar em , o cartão de memória SD card será formatado no padrão FAT32.

Ao executar essa operação, todos os dados existentes no SD card serão excluídos.

DISA

A DISA possibilita o atendimento automático de chamadas, com mensagem de áudio personalizada de acordo com a necessidade, e detecção de discagem do usuário para que a chamada seja automaticamente encaminhada a um ramal ou grupo de ramais ou outra DISA.

Nova DISA

Para criar uma nova DISA, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para a nova DISA. É obrigatório e não pode ser igual a de outra DISA existente. O menu Mensagem apresenta as opções Não programada (padrão) e os arquivos de áudio disponíveis em Sistema > Arquivos de áudio. Defina a quantidade de vezes que a mensagem será repetida no menu Número de repetições, que apresenta as opções 0 (padrão), 1 e 2. O menu Tempo de espera define o tempo de espera para que o usuário digite uma opção. Apresenta as opções 1 (padrão) e 2 a 7. O menu Atendedor padrão, define qual será o atendedor padrão caso nenhuma opção seja digitada ou a opção digitada seja inválida. Apresenta as opções Nenhum (padrão), DISAs, Arquivos de áudio, Grupos de ramais e Ramais. O checkbox Bloqueio de MF, quando selecionado, define que a DISA não fará leitura de teclas digitadas. O checkbox Derruba ligação após a mensagem, quando selecionado, fará com que a chamada seja finalizada logo após a mensagem de áudio. Espera discagem em todos os dígitos : Se habilitada, faz com que a DISA aguarde mais dígitos antes de decidir se é um dígito de opção ou um número interno do pabx. Com isto podemos compartilhar o dígito inicial do plano de numeração do pabx e opção de DISA. Após a discagem do dígito, o pabx aguarda 5 segundos pelo próximo dígito. Se a opção não estiver habilitada, somente um dígito é analisado e não existe o tempo de espera.

Novo atendedor

Para criar um novo atendedor, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Dígito, selecione uma das opções de 0 a 9, * ou #. No campo Atendedor, selecione uma das opções, que pode ser outra DISA, Arquivo de áudio, Correio de voz, Grupo de ramais, Ramal ou Número Externo. A opção Espera discagem faz com que a DISA aguarde a discagem de mais dígitos. Por exemplo, o plano de numeração do PABX possui ramais iniciando com 2. Se o Dígito estiver com a opção 2 e o Atendedor estiver com a opção Espera discagem, quando o usuário for atendido pela DISA poderá discar o número do ramal, por exemplo, 2006, sendo então direcionado para este ramal. Quando configurado um áudio do sistema, a chamada será encerrada no final da mensagem. Quando configurado Número Externo, somente números de filiais podem ser cadastrados. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações.

Editar atendedor

Para editar um atendedor, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir atendedor

Para excluir um atendedor, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Editar DISA

Para editar uma DISA, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desta DISA. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em

Excluir DISA

Para excluir uma DISA, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Temporizações

Permite definir temporizações gerais do PABX.

Envio de tom de ocupado (s): tempo pelo qual a sinalização de tom de ocupado será enviada ao usuário que originar uma chamada para um ramal que estiver ocupado e que não tenha fila de atendimento configurada. Apresenta as opções 1 a 7, sendo 5 a padrão.

Chamada estacionada (min): tempo máximo que a chamada permanecerá no estacionamento. Apresenta as opções 1 a 7, sendo 3 a padrão.

Tempo entre tentativas de rechamada externa (min): define o tempo inicial para tentativa de rechamada externa. A partir da segunda tentativa, o tempo será sempre o dobro da última. Por exemplo, se estiver programado 1 min, na segunda tentativa o intervalo será de 2 min, na terceira 4 min e assim por diante. Apresenta as opções 1 (padrão), 2 e 3.

Espera na fila de ramal (min): tempo máximo que a chamada permanecerá na fila do ramal. Apresenta as opções 1 a 5 (padrão).

Duração chamada tronco/tronco analógico (min): define o tempo máximo para uma chamada entre juntores analógicos. Apresenta as opções 5 a 90, de 5 em 5, sendo 10 a padrão.

Espera condição de B (seg): tempo máximo de espera para receber resposta de que o destino está sendo chamado. Apresenta as opções 10 a 40, sendo 30 a padrão.

Clique em para aplicar as configurações ao PABX. Clique em caso queira descartar as alterações realizadas.

Envio de e-mail (SMTP)

Permite configurar um cliente de e-mail para que o PABX possa enviar mensagens.

SMTP

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço e a edição dos seguintes campos. Os campos Endereço do Servidor e Porta definem o endereço IP ou domínio e a porta do serviço no servidor de e-mail. O checkbox Habilitar TLS fará com que a conexão entre o PABX e o servidor, se tiver suporte, seja criptografada. O campo Endereço de e-mail do remetente define o endereço de e-mail que será enviado como identificação ao destinatário. O menu Tipo de autenticação define como será a forma de autenticação no servidor. Apresenta as opções: Nenhuma (padrão), Automática e Senha normal. Os campos Nome de usuário e Senha definem o nome e a senha do usuário para autenticação no servidor. Clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Teste de envio de e-mail

Para certificar-se de que as configurações realizadas no formulário SMTP estão corretas e se o envio de e-mail está apto a funcionar, preencha o campo Endereço e-mail do destinatário com um endereço de e-mail válido e clique em .

Perfil do cliente

Permite cadastrar o perfil do cliente, facilitando a identificação do PABX, principalmente quando o cliente possui unidades ou escritórios separados geograficamente.

O campo Nome, quando preenchido, será apresentado na tela de login e na barra superior, ao lado direito do logotipo. Os campos CNPJ, formato 99.999.999/9999-99, Telefone, formato (99) 999999999, E-mail, Endereço, CEP, formato 99999-999, e Cidade e Estado definem informações mais detalhadas sobre o cliente. A opção Sem logotipo na tela de login, quando selecionada (padrão), fará com que um logotipo personalizado não seja apresentado na tela de login. A opção Logotipo na tela de login, quando selecionada, permite que seja enviado um logotipo personalizado, que será apresentado na tela de login, facilitando a identificação do PABX. Para isso, clique em e selecione a imagem desejada. Para um melhor resultado, a imagem deve ter dimensões aproximadas de 200 pixels de largura por 45 pixels de altura. Os formatos aceitos são: SVG, PNG, JPG, JPEG ou GIF. O tamanho não deve ser maior que 50 kbytes.

Monitoramento

Permite configurar e visualizar algumas informações de monitoramento do estado do PABX e/ou análise de defeitos.

Syslog

Syslog é um protocolo de envio de mensagens de logs que contêm as informações do funcionamento do PABX, como eventos e erros ocorridos. O syslog pode ser armazenado na memória interna do PABX ou enviado a um computador remoto, tanto na rede local quanto na internet.

O checkbox Habilitar, quando selecionado (padrão), ativa o serviço de monitoramento e os seguintes campos que serão descritos a seguir. O checkbox Enviar para computador remoto, quando selecionado (padrão), define que o syslog será enviado para o endereço IP digitado no campo Endereço IP do computador que, por padrão, estará preenchido com o valor 10.0.0.3. O menu Nível de log apresenta as opções EMERGENCY, ALERT, CRITICAL, ERROR, WARNING, NOTICE, INFO e DEBUG (padrão). Na ordem apresentada na lista, a primeira opção gera o mínimo de informações de log possível, e a última, o máximo possível. Se o checkbox Enviar para computador remoto não estiver selecionado, o syslog estará armazenado na memória interna. Clique em para fazer download do arquivo. Clique em para aplicar as alterações realizadas ao PABX.

Log de erros críticos do PABX

Caso o PABX tenha sofrido uma reinicialização inesperada ou travamento, provavelmente este log poderá conter informações da causa da falha. Para fazer o download deste log, se houver, clique em

Acesso por linha de comando

O acesso por linha de comando, também conhecido como CLI (Command Line Interface) é uma forma de conectar-se ao PABX via protocolo SSH (Secure Shell).

O checkbox Habilitar, quando selecionado, permite que o acesso seja feito com usuário e senha definidos nos campos Usuário e Senha. Clique em para aplicar as alterações realizadas ao PABX.

Para realizar o acesso via aplicativo Putty, digite no campo Host name (or IP address) o endereço IP do PABX; no campo Port, digite 16022. Selecione SSH em Connection type e clique em Open. Na tela exibida, serão solicitados username e password, (nome e senha do usuário). Acessando diretamente pela linha de comando, é necessário ter o cliente SSH instalado no computador. Digite ssh nomeDoUsuário@IPdaCental:16022, pressione Enter e, quando for solicitado, digite a senha. Se a autenticação for aceita, digite help para visualizar os comandos disponíveis para uso na linha de comando.

Por padrão, há o usuário/senha unniti/unniti1.0, que pode ser usado mesmo que o checkbox Habilitar esteja desabilitado.

Alertas por e-mail

Permite configurar destinatários de e-mail, para os quais o PABX possa enviar mensagens de alerta.

Para que a configuração de alertas por e-mail possa ser feita, é necessário habilitar o serviço de envio de e-mails (SMTP) em Sistema > Envio de e-mails (SMTP)

Novo destinatário

Para criar um novo destinatário, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Endereço de e-mail com o endereço de e-mail do destinatário. Ao lado, selecione os alertas que deverão ser enviados, entre os seguintes:

Despertador: informa se despertou e o ramal atendeu, se não despertou, se despertou e o ramal não atendeu e se o ramal não ficou livre durante o despertador.
Bilhetagem: informa se a capacidade máxima do buffer de bilhetagem está prestes a ser atingida.
VoIP: informa se houve perda de comunicação entre o processo VoIP e o processo principal da placa CPU.
SD card: informa se a capacidade máxima de armazenamento do SD card está prestes a ser atingida, e se o cartão foi inserido ou removido.
Chave de hardware: informa se a chave de hardware foi inserida ou removida.
E1: informa perda de sincronismo do link E1.

É obrigatório selecionar ao menos uma das opções. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar destinatário

Para editar um destinatário, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir destinatário

Para excluir um destinatário, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Log do ICTI

Caso seja necessário investigar alguma situação específica que ocorra no PABX, e seja necessário analisar o log do protocolo ICTI, selecione o checkbox Habilitar. Clique em para aplicar as alterações realizadas ao PABX.

Esse log somente deve ser habilitado em situações de extrema importância e por técnicos especializados.

Reiniciar equipamento

Possibilita executar uma reinicialização forçada do equipamento.

REDE

Permite configurar os dados de endereçamento, parâmetros de segurança e serviços necessários para que o PABX possa comunicar-se e ser reconhecido pela rede local, assim como as informações para a conexão IP com a internet.

Algumas dessas informações podem ser obtidas junto ao administrador de rede ou técnico de informática.

Recomendações técnicas:

Esse PABX possibilita o uso da tecnologia VoIP (Voice over IP) e a qualidade do funcionamento depende das condições de tráfego e priorização da rede à qual o produto está conectado. Para que a qualidade de áudio do PABX seja excelente e os serviços de dados como transmissão/recepção de FAX usando VoIP possam ser garantidos, a rede por onde todo o tráfego de pacotes é transmitido/recebido deve ter banda suficiente. Em caso de anormalidades nas chamadas estabelecidas, como problemas de áudio, ou serviços de dados, consulte o administrador da rede local, o provedor de acesso à internet e o provedor VoIP. As informações que deverão ser analisadas junto ao provedor de internet são:

Largura de banda contratada: a largura de banda contratada representa a máxima velocidade configurada para download, que é a velocidade com que os pacotes são recebidos da internet, e para upload, que é a velocidade com que os pacotes são enviados para a internet. Dependendo do plano contratado, a velocidade de upload pode ser menor que a velocidade de download. Vale ressaltar também que a maioria dos provedores de acesso à internet garantem velocidade mínima de apenas 10% da banda contratada na conexão entre cliente e provedor.

Quantidade de computadores e dispositivos que fazem uso da rede: muitos computadores e dispositivos como, por exemplo, smartphones e tablets, podem consumir boa parte da banda disponível, então verifique se a rede necessita de aplicação de QoS (Quality of Service) para que o PABX e os telefones IP possam ter garantia de largura de banda e, consequentemente, valores mais baixos de latência de rede(que é a medida de tempo que um pacote leva para trafegar na rede, da origem até o destino).

Codecs de áudio: caso tenha contratado troncos IP com um provedor VoIP, consulte quais codecs (codificador-decodificador de áudio) usar. Os codecs são responsáveis por transformar a voz humana, que é um sinal analógico, em sinal digital, e vice-versa, para que sejam transmitidos/recebidos pela rede de computadores. Alguns codecs consomem menos banda da rede que outros.

Servidor DNS: recomenda-se que o servidor DNS (Domain Name System) configurado esteja na rede local do PABX, para que a resposta seja mais rápida. Acessar servidores DNS na internet pode causar problemas de registro de troncos e ramais, deixando o sistema lento.

Recomenda-se configurar o sistema de maneira que não haja transcodificação nos ramais SIP.

Para que o envio de sinais DTMF a partir de ramais IP funcione adequadamente, recomenda-se o modo SIP INFO.

Interfaces

Permite visualizar e configurar os parâmetros de conexão física e endereçamento das interfaces, rotas e QoS.

LAN e WAN

Permite visualizar e configurar a forma como as interfaces obtêm o endereço da rede.

Por padrão, as interfaces nomeadas LAN e WAN já estarão criadas no PABX e serão exibidas na tabela. Será apresentada, para cada interface, a forma de Atribuição da configuração que pode ser DHCP ou Manual. Tanto a LAN quanto a WAN podem ter um endereço principal e um endereço alternativo. Dentro da linha da LAN ou WAN o endereço principal está acima e o alternativo está abaixo. São apresentados IP/Máscara, Gateway e DNS

Dê preferência para configurar a interface LAN para acessar operadora proxy e evitar problemas de conexão, em cenário que use NAT.

Editar LAN e WAN

Clique na linha da interface que deseja editar. Na tela que será aberta, a primeira seção apresenta a Configuração principal. Selecione o tipo de endereço: IPv4 ou IPv6. O IPv4 (Internet Protocol version 4) estará selecionado por padrão, por ser o mais utilizado atualmente. Os endereços são compostos de 4 blocos separados por "." e cada bloco deve possuir números de 0 a 255, por exemplo: 10.0.0.2. O IPv6 (Internet Protocol version 6) é mais atual e traz melhorias em relação ao IPv4. Os endereços são compostos de 8 blocos separados por ":" e cada bloco deve possuir caracteres hexadecimais de 0 a FFFF, por exemplo: 2001:aabb:ccdd:eeee:ffff:1111:2222:3333. O IPv6 possui ainda a facilidade de simplificar o endereço IP, caso este possua o número 0 em seu endereço. Ex.: o endereço 2001:ffff:0:0:0:0:0:2 pode ser abreviado para 2001:ffff::2. Selecione Obter configuração do servidor DHCP, se deseja que a interface receba as configurações definidas no servidor DHCP, ou Configuração manual, se deseja que a configuração será feita manualmente. Caso essa última opção seja selecionada, digite os endereços nos campos IP e Máscara/Prefixo de sub-rede. Digite no campo Gateway o endereço desse servidor, que faz a interligação entre redes diferentes. Digite nos campos DNS preferencial e DNS alternativo os endereços dos servidores DNS (Domain Name System). É comum em redes de pequeno e médio porte que esse endereço seja o mesmo que o do gateway. A principal função desses servidores é fazer o mapeamento de endereços IP e nomes de host ou domínio. O campo MAC apresentará o MAC address da interface. Esse campo é fixo e único, preenchido com valor validado pela Intelbras e não pode ser alterado, pois, além de serem utilizados por alguns serviços que precisam desse endereço MAC para identificar um equipamento na rede, evitam problemas de conflito na rede de dados, que poderiam tornar o equipamento inacessível.

A seção seguinte, Configuração alternativa, permite configurar uma rede diferente da principal. Com isso é possível alternar entre redes diferentes. Por padrão, estará desabilitada. Selecione o checkbox Habilitar e preencha os campos, que são do mesmo tipo que os da Configuração principal.

Os endereços configurados na Configuração principal e na Configuração alternativa não podem pertencer à mesma rede de dados, caso contrário, pode haver principalmente problemas de roteamento, e o equipamento pode não funcionar de forma adequada. Certifique-se com o administrador da rede de que as configurações estejam corretas.

Habilitar protocolos

Essa seção permite habilitar/desabilitar os tráfegos de pacotes dos protocolos SIP/RTP - relativos ao tráfego de voz - e dos protocolos de Acesso a interfaces de administração (web, ICTI e SNMP)-relativos ao tráfego administrativo para essa interface.

Por padrão, todos os protocolos estarão habilitados. O protocolo SIP possibilita a realização de chamadas de voz e vídeo através de redes via protocolo IP (VoIP), gerenciando o estabelecimento, a mudança ou o término da sessão. O protocolo RTP é responsável pela entrega de dados de áudio ponto a ponto, como o VoIP. Se esse protocolo estiver desabilitado, as chamadas podem ficar mudas. O protocolo web é o acesso HTTP via porta 80 à interface de configuração web. O protocolo ICTI é proprietário da Intelbras para comunicação entre aplicações internas e externas. O protocolo SNMP é utilizado, na maioria das vezes, para gerenciamento dos equipamentos conectados à rede.

Para salvar as configurações, clique em

Interface de saída para tráfegos

Permite definir qual interface de rede (LAN, WAN ou VLAN) será usada como rota padrão para tráfego de saída do PABX.

Selecione no menu Interface de saída para tráfegos a interface desejada e clique em

Rotas

Essa configuração permite definir rotas específicas para sub-redes na rede de dados, criando caminhos pré-determinados, onde as informações podem ser direcionadas até um host ou uma rede específica.

Nova rota

Para criar uma nova rota, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione a interface para a qual será criada a regra de roteamento. Preencha o campo Rede destino com o endereço IP e o comprimento da máscara de sub-rede usando notação-padrão CIDR, por exemplo: 192.168.1.0/24. No campo Gateway, digite o IP do servidor responsável pela interligação com a rede de destino. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar rota

Para editar uma rota, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir rota

Para excluir uma rota, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX. Será exibido um alerta informando que o PABX precisa ser reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

QoS

Permite especificar prioridades para pacote ou classe de tráfego. O QoS (Quality of Service) busca uma melhoria da qualidade da comunicação, priorizando alguns tipos de dados em detrimento de outros, de acordo com uma classificação prévia, e torna-se extremamente útil em condições de congestionamento de tráfego na interface de saída desses dados.

A tabela exibirá as interfaces que estão criadas no sistema com o QoS.

O checkbox Habilitado, quando selecionado, habilita as configurações do QoS na linha correspondente à interface desejada. Na coluna do protocolo ao qual deseja aplicar as regras de QoS (SIP, RTP ou web, ICTI e SNMP), no menu Tipo, selecione a opção CoS ou DSCP. O modo DSCP (Differentiated Services Code Point) prioriza os pacotes de acordo com a marcação. Esses pacotes se distinguem em classe de tráfego de acordo com as informações de atraso, taxa de processamento e confiabilidade anexadas ao pacote. No modo CoS (Class of Service), os pacotes são encaminhados de acordo com a prioridade definida. No menu Valor, a opção-padrão é Desabilitado. As demais opções são valores de 0 a 7. O 0 representa a prioridade mais baixa. Quanto maior o valor, maior será a prioridade no tratamento e uso dos recursos da rede. Clique em para aplicar as alterações ao PABX. Será exibido um alerta informado que o PABX precisa ser reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

Atenção: a definição correta das configurações depende de uma análise da rede, da compatibilidade dos dispositivos com o modo selecionado e da forma como estão configurados os roteadores e switches para priorizar o tráfego. As alterações efetuadas terão validade somente em equipamentos que forem configurados do mesmo modo, caso contrário, o tráfego será encaminhado de acordo com o comportamento-padrão da IETF ou conforme alguma configuração específica no equipamento seguinte. Os modos DSCP e CoS entrarão em operação conforme o comportamento definido pela IETF. Quando a taxa de tráfego entrante em um equipamento de rede é superior à taxa de tráfego sainte (largura de banda), ocorre um congestionamento na rede. Nessas condições, os quadros marcados com maior prioridade recebem tratamento Garantia mínima (%) da largura de banda em contrato: a velocidade contratada representa a velocidade máxima copreferencial e é entregue antes dos quadros com menor prioridade. Baseando-se nesses parâmetros, os equipamentos de rede priorizam o tráfego de voz em detrimento do tráfego de dados. O PABX marcará os pacotes de dados, cabendo aos ativos de rede (switches e roteadores) dar prioridade ao tráfego de voz.

DDNS

O DDNS (Dynamic Domain Name System) é uma alternativa utilizada quando um dispositivo que precisa estar disponível para acesso à internet não possui um IP fixo público. Servidores DDNS como o No-IP fornecem um nome de domínio fixo e gerenciam o mapeamento desse nome com o IP público atual do equipamento. Com isso, mesmo que o IP mude, os dispositivos que que precisam de acesso constante ao PABX, como softphones, não perderão o registro, pois estarão configurados com o nome de domínio fornecido pelo servidor DDNS e não com o endereço IP. Para utilizar esse recurso, é necessário criar uma conta em um desses provedores, como o www.no-ip.com ou www.dyn.com/dns.

Configuração geral

Permite configurar os parâmetros do servidor DDNS, para as interfaces LAN e WAN.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço de configuração geral e os campos que serão descritos a seguir. O campo Tempo de atualizaçao no servidor (s) define o período de tempo em que o PABX irá consultar o servidor para verificar se o IP público deste mudou. Os valores permitidos estão entre 30 e 65535. O checkbox Habilitar para rota-padrão, quando selecionado, ativa o serviço para a interface LAN/WAN definida como rota-padrão. O menu Servidor define qual provedor do serviço será usado. Apresenta as opções No-IP e DynDNS. O campo Endereço IP ou domínio define o endereço do servidor. Os campos Usuário e Senha: definem o nome e a senha do usuário para autenticação no servidor. Preencha os campos seguindo as mesmas recomendações da rota-padrão. Clique em para aplicar as alterações ao PABX. O serviço será iniciado. A partir disso, toda vez que o botão Salvar for pressionado novamente, o serviço será reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

Para conhecer o endereço IP público do PABX, através do botão Verificar IP Externo, o serviço de DDNS consulta via HTTP um servidor na internet que retorna o endereço IP de origem do equipamento que fez a consulta. Portanto, é necessário que o PABX tenha acesso à internet sem filtros na porta 80. Isso inclui filtros como firewall e proxy autenticado.

SNMP

O SNMP (Simple Network Management Protocol) é um protocolo de gerência de redes TCP/IP, da camada de aplicação, que facilita o intercâmbio de informações entre os dispositivos de rede. A utilização desse protocolo possibilita aos administradores monitorar e gerenciar o desempenho do PABX na rede, assim como, localizar e solucionar eventuais problemas, através de softwares dedicados a esse fim.

Configuração geral

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço de configuração geral e as configurações apresentadas abaixo. Clique em para aplicar a alteração ao PABX.

SNMP v1 e v2

Nessa seção são configuradas as comunidades e os privilégios de acesso às informações dos dados e desempenho do PABX na rede. Assim o administrador, por meio de um software de gerenciamento SNMP, pode ter acesso a comunidades com diferentes níveis de informações.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço SNMP v1 e v2.

Nova comunidade

Para criar uma nova comunidade, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Digite o nome no campo Nome da comunidade. O menu Permissão de acesso apresenta a opção Somente leitura. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar comunidade

Para editar uma comunidade, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone .

Excluir comunidade

Para excluir uma comunidade, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Ao salvar as configurações, o serviço será iniciado. A partir disso, toda vez que o botão Salvar for pressionado novamente, o serviço será reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

SNMP v3

Nessa seção o SNMP v3 disponibiliza os serviços de segurança, através das opções de autenticação por usuário e privacidade, além dos privilégios de acesso (como nas versões v1 e v2) e as informações dos dados e desempenho do PABX na rede. Assim, o administrador deve utilizar um usuário e uma senha para ter acesso às informações.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço SNMP v3.

Novo usuário

Para criar um novo usuário, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No campo Usuário digite o nome para o controle de acesso ao gerenciamento da base de dados MIB (Management Information Base). O menu Tipo de acesso apresenta a opção Somente leitura. No menu Modo, selecione uma das opções. Sem autenticação e sem criptografia, Com autenticação e sem criptografia ou Com autenticação e com criptografia. No menu Tipo de senha, selecione MD5 (criptografia de 128 bits) ou SHA (criptografia de 160 bits). No campo Senha digite uma senha. No menu Tipo de criptografia, selecione a opção AES (Advanced Encryption Standard) ou DES (Data Encryption Standard). No campo Senha criptografia informe uma senha. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar usuário

Para editar um usuário, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone .

Excluir usuário

Para excluir um usuário, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Ao salvar as configurações, o serviço será iniciado. A partir disso, toda vez que o botão for pressionado novamente, o serviço será reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

Arquivo MIB

A MIB (Management Information Base), é um banco de dados usado para gerenciamento de entidades de uma rede de comunicação SNMP. Essa seção apresenta como exportar o arquivo MIB com os OIDs específicos para monitoramento do PABX e como fazer para utilizar os OIDs normalmente disponíveis em sistemas operacionais Linux®.

MIB PABX

O arquivo de MIB PABX contém os OIDs criados especificamente para monitoramento dos recursos e serviços do PABX, como, por exemplo: quantas placas e quais os modelos de placas estão instaladas; em quais slots; versão do PABX; versão das TIs; utilização do buffer de bilhetagem, entre outros. Para fazer o download do arquivo MIB PABX, clique em . Será apresentada a janela do navegador oferecendo a opção de salvar o arquivo.

OID Descrição
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.3.0 Tipo do rack em número de 'U's. Exemplo: 2U, 3U.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.7.0 Tempo de atividade do PABX em minutos.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.8.0 O turno ativo: (1 a 4).
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.10.0 O percentual de uso do buffer de bilhetagem interno.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.11.0 O percentual de uso do buffer de bilhetagem FTP.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.13.0 Indica se o horário de verão está habilitado: inativo (0), ativo (1).
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.14.0 Indica se o servidor NTP está habilitado: inativo (0), ativo (1).
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.1.15.0 Indica o timezone do NTP.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.2.1.0 Número de placas instaladas.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.2.2.1.1 Índice.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.2.2.1.2 Slot.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.3.1.0 Número de TI's instaladas.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.3.2.1.1 Índice.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.3.2.1.2 Slot que a TI está associada.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.3.2.1.3 A porta do slot que a TI está conectada.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.1.0 Número de links E1.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.2.0 A soma de canais digitais ativados.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.3.0 A soma de canais digitais desativados.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.4.1.1 O índice da linha digital.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.4.1.2 Direção de ocupação dos troncos.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.4.1.4 A faixa de canais ativos.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.1 Índice da tabela.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.2 Contador de mudanças para estado bloqueado.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.3 Contador de erro de sinal perdido.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.4 Contador de sinal de alarme recebido.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.5 Contador de perda de sincronismo de frame.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.6 Contador de sincronismo de multiframe.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.7 Contador de alarme remoto recebido.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.8 Contador de alarme não identificado.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.9 Contador de erro de sequência de bits detectado.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.10 Contador E-BIT recebido incorretamente.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.11 Contador do tempo que o jitter FIFO variou abruptamente.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.12 Perda de tempo da conta de sincronismo.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.13 Contador do número de erros no alinhamento da tabela.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.14 Contador de frame errado.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.15 Contador de violação bipolar.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.5.1.16 Contador de erro de CRC 4.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.1 Índice.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.2 Erro de link: perda de sinal.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.3 Erro de link: indicação de alarme.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.4 Erro de link: perda de sincronismo.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.5 Erro de link: perda do alinhamento do multiframe.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.6 Erro de link: alarme remoto.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.7 Erro de link: taxa de erro acima.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.7.1.8 Erro de link: erro controlador do E1.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.8.1.1 Estado do link: índice.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.8.1.2 Estado do link: Link 1.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.4.8.1.3 Estado do link: Link 2.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.5.1.0 Número de linhas analógicas programadas pelo usuário. Difere dos dispositivos existentes no inventário.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.5.2.1.1 Índice.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.5.2.1.2 Slot da placa de tronco analógico.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.5.2.1.3 Posição do tronco analógico na placa.
1.3.6.1.4.1.26138.1.1.3.5.2.1.4 Estado do tronco.

MIBs do sistema operacional Linux®

Outros arquivos MIB, com outros OIDs normalmente utilizados em distribuições Linux®, poderão ser utilizados para monitoramento do PABX. Pesquise, na internet, por arquivos como IF-MIB, IP-MIB, TCP-MIB, IP-FORWARD-MIB, RFC1213-MIB. A tabela abaixo apresenta, por exemplo, outros dois OIDs, que estão nesses arquivos. Para facilitar a visualização dos OIDs e a descrição do propósito de cada um, utilize um software de visualização de MIBs como, por exemplo, o iReasoning MIB Browser.

OID Descrição
1.3.6.1.2.1.2.1.8.4 Estado da LAN - ativa ou não ativa
1.3.6.1.2.1.2.1.8.6 Estado da WAN - ativa ou não ativa

O serviço SNMP, por padrão, faz uso da porta 161. Certifique-se de que essas portas estejam liberadas e que o firewall não esteja bloqueando a conexão.

NAT

Essa tela apresenta as configurações de NAT (Network Address Translation). NAT é uma técnica que consiste em reescrever os endereços IP de origem de um pacote que passam por um roteador ou firewall, de maneira que um dispositivo na rede interna (rede privada) tenha acesso à internet (rede pública).

No PABX, a técnica NAT será usado para permitir que sejam realizadas chamadas telefônicas via operadora VoIP, ou via ramal IP que não esteja na mesma rede privada em que o PABX está. Neste caso, provavelmente, será necessário configurar o roteador da rede privada para que todos os pacotes que chegarem às portas SIP e RTP programadas sejam encaminhados ao PABX.

O STUN (Simple Traversal of User Datagram Protocol) é um servidor que, por meio da técnica NAT, permite aos dispositivos na internet descobrirem o endereço IP público, o tipo de NAT utilizado, e o lado da porta da internet associada à NAT com uma porta local específica do dispositivo que precisa estar acessível na internet. Essas informações são usadas para permitir a comunicação UDP entre o cliente e o provedor VoIP, e, então, estabelecer a chamada. Útil nos casos em que o PABX possui endereço IP público dinâmico.

O checkbox Conexão com servidor STUN, quando selecionado, ativa o serviço STUN e os campos Endereço IP ou domínio e Porta, que definem o endereço IP e a porta (padrão 3478) do serviço STUN no servidor.

As configurações de NAT estão disponíveis somente para interface de rede WAN, não sendo permitido configurar NAT em outras interfaces que não sejam a WAN. Dê preferência para configurar a interface LAN para acessar operadora proxy e evitar problemas de conexão, em cenário que use NAT.

Logo abaixo, a tabela apresenta as interfaces de rede configuradas no PABX, sendo possível configurá-las individualmente.

Editar NAT na interface

Para editar o NAT para uma interface, localize na tabela a interface que deseja editar. A coluna Gateway apresenta o endereço do gateway e o nome da interface. Clique no ícone , localizado na última coluna. O menu Regra apresenta as opções Sem (padrão), STUN (o checkbox STUN precisa estar selecionado para que essa opção apareça) e NAT. Caso essa última opção seja selecionada, digite o endereço IP no campo IP público do NAT. Clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Segurança

Permite configurar técnicas de proteção no PABX para evitar acessos indesejados que possam comprometer a estabilidade dos serviços e a segurança dos dados.

Firewall

Essa seção possibilita restringir o acesso de determinados endereços IP às funções de administração do PABX, como o SNMP, gerenciador web e ICTI.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço de firewall e os campos que serão descritos a seguir. O campo Tempo de bloqueio (s) define o período pelo qual será mantido o bloqueio do endereço IP que foi bloqueado pelo firewall de acordo com as regras programadas. Após esse tempo, o endereço IP é retirado da lista de bloqueio. O checkbox Anti-DoS, quando selecionado, habilita filtros com os quais é possível prevenir alguns tipos comuns de ataque de negação de serviço, em que pessoas mal-intencionadas podem tentar prejudicar a estabilidade dos serviços do PABX, por esgotamento dos recursos, como quantidade de conexões simultâneas ou ataques em massa. O checkbox Port scan TCP/UDP, quando selecionado, faz a detecção de tentativas de port scan no PABX. Portscan é o nome dado a técnica de escanear as portas abertas em um dispositivo de rede para determinar quais serviços esse dispositivo oferece. Caso seja selecionado, habilitará o menu Sensibilidade, que define o quão rápido o firewall irá identificar um possível port scan. Apresenta as opções Alta e Baixa. Com a sensibilidade Alta o firewall interpretará o menor sinal de intrusão como uma tentativa de port scan. Já a sensibilidade Baixa fará o firewall ser mais conservador ao determinar um port scan. Caso um endereço IP seja identificado por fazer um port scan, o firewall irá bloquear as tentativas de conexão desse endereço.

Logo abaixo, é possível restringir o acesso de determinados endereços IP às funções de administração do PABX, como o SNMP, gerenciador web e ICTI. O checkbox Acesso a interfaces de administração (web, ICTI e SNMP), quando selecionado, habilita o cadastro dos endereços IP que poderão ter acesso às interfaces de administração (web, ICTI e SNMP).

Novo IP

Para criar um novo IP, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Endereço IP com o endereço IP para o qual deseja liberar o acesso. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar IP

Para editar um endereço IP, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone .

Excluir IP

Para excluir um endereço IP, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Registros SIP falhos

Permite negar registros SIP de equipamentos não autorizados e inclui seus endereços em uma lista de bloqueio. Dessa forma, aumenta a confiabilidade e estabilidade dos serviços do PABX. Se a autenticação do registro ou estabelecimento de chamadas SIP não estiver dentro das regras estabelecidas pelo PABX, então o endereço IP de origem poderá ser incluído em uma lista de bloqueio. Os principais requisitos analisados são: conta de registro inexistente ou inválida; senha incorreta; outro equipamento já registrado na mesma conta com a qual se deseja fazer o login e endereço IP não cadastrado na lista de exceção. É possível cadastrar endereços IP que não serão analisados por essas regras, ficando estes livres de bloqueio.

O checkbox Bloquear tentativas de registros SIP falhos, quando selecionado (padrão), ativa o serviço e os campos que serão descritos a seguir. O campo Número de tentativas define a quantidade máxima de tentativas de registro incorreto, sendo o padrão 30. O campo Período de verificação (s) define o período de tempo para analisar o número de tentativas de registro incorreto, sendo o padrão 60. Se dentro desse período de tempo a quantidade definida em Número de tentativas for atingida, o endereço IP de origem será incluído na lista de bloqueio. O campo Tempo de bloqueio (s) define o período pelo qual será mantido o bloqueio do endereço IP que foi bloqueado, sendo o padrão 3600.

Nova exceção

Para criar uma nova exceção, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Endereço IP com o endereço IP que não necessita ser analisado, ficando isento de bloqueio. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar exceção

Para editar uma exceção, localize na tabela o registro desejado e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone .

Excluir exceção

Para excluir uma exceção, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Endereços IP bloqueados

A tabela de endereços IP bloqueados, também conhecida por blacklist, apresenta os endereços IP que em algum momento já foram ou que ainda podem estar bloqueados. Os IP listados na tabela foram considerados pelo serviço de firewall do PABX como possíveis ameaças à segurança e disponibilidade do sistema. Para limpar a tabela e recomeçar uma nova análise dos endereços IPs, clique em

Servidor DHCP

O servidor DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) é um protocolo de serviço TCP/IP que oferece configurações dinâmicas de endereçamento IP aos dispositivos da rede. Fornece, por exemplo, endereço IP, máscara de sub-rede, gateway e servidores DNS. O PABX possui um servidor DHCP embarcado que, além desse serviço, fornece aos terminais IP que suportam esse serviço, o endereço do servidor SIP. O servidor DHCP está disponível apenas para as interfaces LAN ou VLAN.

Configuração geral

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço DHCP e alguns campos, que devem ser preenchidos conforme a seguir. Digite os endereços IP dos servidores DNS (Domain Name System) nos campos DNS preferencial e DNS alternativo. Digite os endereços IP dos servidores NTP (Network Time Protocol) nos campos NTP preferencial, NTP alternativo 1 e NTP alternativo 2. Digite no campo Tempo concessão (s) o tempo para duração dos períodos de concessão dos endereços IP. O tempo-padrão é de 604800. Após esse tempo, é feita uma nova concessão dos endereços aos dispositivos IP. O checkbox Autoritativo, quando selecionado (padrão), define que esse servidor será o responsável por traduzir nomes de domínio para endereços IP. Caso não esteja selecionado, o serviço solicitará a tradução a um servidor autoritativo.

Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Interfaces com DHCP

Nessa seção é possível definir quais interfaces de rede irão fornecer o serviço DHCP. Para isso, o DHCP precisa estar habilitado na Configuração geral.

Nova interface

Para criar uma nova interface com DHCP, clique em . Na tela que será aberta, selecione no menu Interface a interface na qual deseja ativar o DHCP. Somente interfaces LAN e VLAN configuradas serão apresentadas nessa lista. Os campos Rede e Máscara de sub-rede estarão bloqueados para edição. Apresentarão a classe de endereço e máscara de sub-rede configuradas na interface selecionada. Digite no campo Gateway o endereço do servidor responsável pela interligação com a rede externa. Digite nos campos Endereço IP inicial e Endereço IP final a faixa de endereços IP que o servidor irá conceder aos dispositivos na rede de dados. O checkbox Servidor SIP usa endereço da interface, quando selecionado (padrão), utilizará o mesmo endereço IP da interface como servidor Proxy, no qual terminais IP poderão registrar-se usando o protocolo SIP. Para usar um endereço IP diferente, retire a seleção do checkbox. Nesse caso, o campo Endereço do servidor SIP será liberado para que seja configurado o endereço IP desejado.

Logo abaixo, é apresentada uma tabela em que podem ser feitas as associações IP-MAC. Isso fará com que um equipamento na rede, identificado unicamente por seu MAC address, receba sempre o mesmo endereço IP do servidor DHCP, como se esse dispositivo tivesse um endereço IP fixo.

Nova associação IP-MAC

Para criar uma nova associação IP-MAC, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Digite no campo Nome um nome único, que identifique esse equipamento na tabela, por exemplo, TIP100_diretor. No campo Endereço IP digite o endereço que esse equipamento deverá receber. Digite no campo MAC o MAC address do equipamento. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar associação IP-MAC

Para editar uma associação IP-MAC, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone .

Excluir associação IP-MAC

Para excluir uma associação IP-MAC, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Para salvar a interface com DHCP, clique em , ou clique em para cancelar a criação da nova interface com DHCP.

VLAN

VLAN (Virtual Local Area Network) é uma rede logicamente independente. Várias VLANs podem co-existir em um mesmo comutador (switch), de forma a dividir uma rede local física em mais de uma rede (virtuais), criando domínios de broadcast separados. Este PABX permite a criação de até 5 VLANs.

Configuração geral

O checkbox Habilitar, quando selecionado, ativa o serviço e as configurações apresentadas abaixo. Clique em para aplicar a configuração no PABX.

O serviço será iniciado. A partir disso, toda vez que o botão for pressionado novamente, o serviço será reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

VLANs

Nova VLAN

Para criar uma nova VLAN, clique em . Na tela que será aberta, selecione no menu Nome uma das opções, de VLAN 1 a VLAN 5. No campo VLAN ID, digite o número de identificação que essa VLAN usará na rede de dados. Os valores permitidos estão entre 1 e 4094. O menu Prioridade IEEE 802.1q apresenta 8 opções de prioridade ordenadas da menor para a maior. As opções, na ordem, são: Background, Não definido, Melhor esforço, Excelente esforço, Carga controlada, Vídeo, Voz, Gerenciamento de rede. Esses níveis são utilizados para definir a prioridade do tráfego de acordo com as tags (rótulos) de prioridade adicionadas aos quadros (frames) das VLAN durante seu encaminhamento em um segmento de rede (sub-rede). Quando a taxa de tráfego entrante em um equipamento de rede é superior à taxa de tráfego sainte (largura de banda), ocorre um congestionamento na rede. Nessas condições, os quadros marcados com maior prioridade recebem tratamento preferencial e são entregues antes dos quadros com menor prioridade.

Selecione o tipo de endereço: IPv4 ou IPv6. O IPv4 (Internet Protocol version 4) estará selecionado por padrão, por ser o mais utilizado atualmente. Os endereços são compostos de 4 blocos separados por "." e cada bloco deve possuir números entre 0 e 255, por exemplo: 10.0.0.2. O IPv6 (Internet Protocol version 6) é mais atual e traz melhorias em relação ao IPv4. Os endereços são compostos de 8 blocos separados por ":" e cada bloco deve possuir caracteres hexadecimais entre 0 e FFFF, por exemplo: 2001:aabb:ccdd:eeee:ffff:1111:2222:3333. O IPv6 possui ainda a facilidade de simplificar o endereco IP caso este possua 0 em seu endereço. Ex.: o endereço 2001:ffff:0:0:0:0:0:2 pode ser abreviado para 2001:ffff::2. Selecione Obter configuração do servidor DHCP se deseja que a interface receba as configurações definidas no servidor DHCP, ou Configuração manual, se deseja que a configuração seja feita manualmente. Caso essa última opção seja selecionada, digite os endereços nos campos IP e Máscara/Prefixo de sub-rede. Digite no campo Gateway o endereço desse servidor, que faz a interligação entre redes diferentes.

A seção Habilitar protocolos permite habilitar/desabilitar os tráfegos de pacotes dos protocolos SIP/RTP - relativos ao tráfego de voz - e dos protocolos de Acesso a interfaces de administração (web, ICTI e SNMP) - relativos ao tráfego administrativo - para essa interface.

Por padrão, todos estarão selecionados. O protocolo SIP possibilita a realização de chamadas de voz e vídeo através de redes via protocolo IP (VoIP), gerenciando o estabelecimento, a mudança ou o término da sessão. O protocolo RTP é responsável pela entrega de dados de áudio ponto a ponto, como o VoIP. Se esse protocolo estiver desabilitado, as chamadas podem ficar mudas. O protocolo web é o acesso HTTP via porta 80 à interface de configuração web. O protocolo ICTI é proprietário da Intelbras para comunicação entre aplicações internas e externas. O protocolo SNMP é utilizado, na maioria das vezes, para gerenciamento dos equipamentos conectados à rede.

Para salvar a nova VLAN, clique em , ou clique em para cancelar a criação da nova VLAN.

Editar VLAN

Localize na tabela o registro que deseja editar e clique sobre ele. Será aberta a tela com os dados desse registro. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para cancelar a edição da VLAN.

Rotas

Essa configuração permite definir rotas específicas para sub-redes na rede VLAN, criando caminhos pré-determinados, onde as informações podem ser direcionadas até um host ou uma rede específica.

Nova rota

Para criar uma nova rota, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione a interface para a qual será criada a regra de roteamento. Preencha o campo Rede destino com o endereço IP e o comprimento da máscara de sub-rede usando notação-padrão CIDR, por exemplo: 192.168.1.0/24. No campo Gateway, digite o IP do servidor responsável pela interligação com a rede de destino. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Será exibido um alerta informado que o PABX precisa ser reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

Editar rota

Para editar uma rota, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir rota

Para excluir uma rota, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX. Será exibido um alerta informado que o PABX precisa ser reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

QoS

Permite especificar prioridades para pacote ou classe de tráfego. O QoS (Quality of Service) busca uma melhoria da qualidade da comunicação, priorizando alguns tipos de dados em detrimento de outros, de acordo com uma classificação prévia, e torna-se extremamente útil em condições de congestionamento de tráfego na interface de saída desses dados.

A tabela exibirá as interfaces que estão criadas no sistema com o QoS desabilitado por padrão.

O checkbox Habilitado, quando selecionado, na linha correspondente à interface desejada, ativa o serviço de QoS. Na coluna do protocolo ao qual deseja aplicar as regras de QoS (SIP, RTP ou web, ICTI e SNMP), no menu Tipo, selecione a opção CoS ou DSCP. O modo DSCP (Differentiated Services Code Point) prioriza os pacotes de acordo com a marcação. Esses pacotes se distinguem em classe de tráfego de acordo com as informações de atraso, taxa de processamento e confiabilidade anexadas ao pacote. No modo CoS (Class of Service), os pacotes são encaminhados de acordo com a prioridade definida. No menu Valor, a opção-padrão é Desabilitado. As demais opções são valores de 0 a 7. O 0 representa a prioridade mais baixa. Quanto maior o valor, maior será a prioridade no tratamento e uso dos recursos da rede. Clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Será exibido um alerta informando que o PABX precisa ser reiniciado para que as novas configurações sejam aplicadas.

Atenção: a definição correta das configurações depende de uma análise da rede, da compatibilidade dos dispositivos com o modo selecionado e da forma como estão configurados os roteadores e switches para priorizar o tráfego. As alterações efetuadas terão validade somente em equipamentos que forem configurados do mesmo modo, caso contrário, o tráfego será encaminhado de acordo com o comportamento padrão da IETF ou conforme alguma configuração específica no equipamento seguinte. Os modos DSCP e CoS entrarão em operação conforme o comportamento definido pela IETF. Quando a taxa de tráfego entrante em um equipamento de rede é superior à taxa de tráfego sainte (largura de banda), ocorre um congestionamento na rede. Nessas condições, os quadros marcados com maior prioridade recebem tratamento garantia mínima (%) da largura de banda em contrato: a velocidade contratada representa a velocidade máxima copreferencial e são entregues antes dos quadros com menor prioridade. Baseando-se nesses parâmetros, os equipamentos de rede priorizam o tráfego de voz em detrimento ao tráfego de dados. O PABX marcará os pacotes de dados, cabendo aos ativos de rede (switches e roteadores) dar prioridade ao tráfego de voz.

Monitoramento

Apresenta os estados de funcionamento das interfaces de rede do PABX. Serão apresentadas as interfaces LAN, WAN, 3G e 4G. Cada bloco representa uma interface e apresenta Nome, e Estado, que pode ser Conectada (o bloco todo é apresentado na cor verde) ou Desconectada (o bloco todo é apresentado na cor vermelha). Apresenta também os endereços IPv4 e IPv6. Para saber mais detalhes de uma interface, clique no ícone mais informações. Para cada interface de rede, poderão ser apresentadas as seguintes informações:

MAC: apresenta o endereço físico único associado à interface. Ex:00:88:14:4D:4C:FB

Bytes transmitidos: quantidade de bytes transmitidos pela interface.

Pacotes transmitidos: quantidade de pacotes transmitidos pela interface.

Erros de transmissão: quantidade de erros de transmissão ocorridos na interface.

Bytes recebidos: quantidade de bytes recebidos pela interface.

Pacotes recebidos: quantidade de pacotes recebidos pela interface.

Erros de recepção: quantidade de erros de recepção ocorridos na interface.

Unidade máxima de transmissão (MTU): informa o tamanho máximo do pacote que a camada do protocolo de comunicação poderá transmitir.

Clique no botão para atualizar as informações. O checkbox Atualizar automaticamente fará com que as informações sejam atualizadas automaticamente a cada 5 segundos.

TRONCOS

Chama-se tronco a interligação da central de comutação telefônica privada (PABX) com o serviço de telefonia pública fixa ou móvel ou com outras centrais privadas. Portanto, o tronco é o canal que permite à central privada realizar ligações para qualquer outro telefone, seja uma central privada, seja um dispositivo que também esteja conectado à rede de telefonia pública mundial. Uma chamada telefônica chega pelo tronco e é comutada pela central para um dos ramais. Em uma chamada originada por um dos ramais para um telefone na rede pública, a central, mediante suas configurações, seleciona um dos troncos interligados com a rede pública fixa ou móvel. O número máximo de troncos que a central privada pode ter normalmente é menor que o de ramais, pois dificilmente todos os ramais fazem ou recebem ligações da rede pública ao mesmo tempo.

Tronco digital E1

O tronco digital E1, fisicamente, é composto por dois cabos coaxiais (metálicos ou ópticos), um para transmissão (TX) e outro para recepção (RX). Cada tronco é capaz de fornecer até 30 canais de voz digitalizados. A Central UnniTI 1000 pode ter um tronco digital de até 30 canais de voz, enquanto as Centrais UnniTI 2000/3000 até dois troncos digitais de 30 canais cada (60 canais de voz no total).

Algumas configurações são fornecidas pela operadora.

Filtro ANI

Permite configurar regras para atendimento de chamadas recebidas por um dos troncos digitais E1 ou por todos.

A facilidade ANI (Automatic Number Identifcation), ou seja, identificação automática do número, permite restringir o recebimento de ligações, via juntores digitais E1, à uma lista de números específicos. Somente as ligações recebidas de números pertencentes a lista serão direcionadas para o DDR chamado ou para o atendedor do juntor. Qualquer chamada recebida de número identificado que não pertença a esta lista será redirecionado para um atendedor específico. Esse atendedor pode ser qualquer um dos ramais, grupos ou o “DISA” programados na central.

Por padrão, o filtro ANI não estará habilitado. No menu Habilitar para, a opção selecionada será Nenhum. Para habilitar, escolha qual(is) link(s) irão obedecer ao filtro e os números cadastrados na tabela: Link 1, Link 2 ou Todos. No menu Atendedor dos números bloqueados selecione uma das opções entre Grupos de ramais, DISAs, Arquivos de áudio ou Ramais que irão atender os números externos que originarem chamadas para o PABX pelo(s) link(s) configurado(s) em Habilitar para.

Exceções para o filtro ANI

É possível cadastrar uma ou mais exceções, permitindo dessa forma que ramais ou grupos de ramais específicos possam receber chamadas mesmo de números bloqueados. Por exemplo: deseja-se permitir que sejam recebidas chamadas de qualquer número no DDR 6656. O atendedor desse DDR é o ramal 3300, portanto uma exceção deverá ser aplicada a ele. Acesse Portas>Ramais, selecione o ramal 3300, acesse a aba De Ramais>Receber chamadas>Geral> e desmarque a opção Obedece filtro ANI. Caso o atendedor do DDR seja um grupo de ramais, acesse este grupo em Ramais>Grupo de ramais e desmarque a opção Obedece filtro ANI.

Novo número

Para criar um novo número, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Número com o número externo que poderá originar chamadas para o PABX pelo(s) link(s) configurado(s) em Habilitar para. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Os números cadastrados nessa tabela serão usados tanto para o Link 1 quanto para o Link 2 se a opção Todos for selecionada em Habilitar para.

Além dessas configurações, é necessário habilitar os troncos que irão obedecer esse filtro. Acesse as configurações do Link 1 e/ou Link 2, Configurações básicas, Atendimento e selecione o checkbox Atendimento pelo chamador / Filtro ANI.

Editar número

Para editar um número, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir número

Para excluir um número, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Tronco analógico

O tronco analógico, também chamado de linha analógica, é fisicamente composto de um par de fios metálicos que é entregue pelas operadoras de telefonia convencional aos usuários residenciais ou comerciais. Essa linha telefônica, quando utilizada por um usuário residencial, normalmente será ligada a um aparelho de telefone. Quando utilizada por um usuário comercial, pode ser conectada a um PABX. Nesse caso, o PABX deve conter uma placa de tronco analógico que permita a conexão de mais troncos analógicos, tornando possível atender à demanda de vários ramais que precisam originar e receber chamadas ao mesmo tempo.

Troncos analógicos

A tabela apresenta o nome e o slot-posição dos troncos analógicos configurados na tela Disposição de placas. Para acessar as configurações de um dos troncos, clique na linha correspondente ao tronco desejado. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de troncos analógicos. Próximo a esse link, há um menu de opções que indica o tronco que está sendo visualizado, permitindo trocá-lo por outro, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de troncos analógicos.

Configurações básicas

Esse grupo reúne as configurações básicas que, na maioria dos cenários, serão suficientes para que o tronco analógico possa originar e receber chamadas.

Geral

O campo Nome apresenta o nome do tronco. Por padrão, o nome do tronco segue a numeração 89xx, por exemplo, 8901 e não deve ser igual ao valor de um comando, nome de ramal/tronco, ou número de acesso a grupo de ramais.

Os campos Slot e Posição apresentam o slot ao qual o tronco está associado e a posição da placa tronco analógico. A edição desses campos está desabilitada.

Atendimento

Permite configurar se o tronco analógico fará o atendimento automático das chamadas recebidas através de um atendimento digital ou de um atendedor específico para cada turno, ou se obedecerá às regras de atendimento em Atendimento pelo chamador ou Conversão numérica de entrada, se existirem.

O checkbox Atendimento pelo chamador, quando selecionado, fará com que o tronco obedeça as regras de atendimento existentes em Troncos > Roteamento > Atendimento pelo número chamador. O checkbox Usar conversão numérica de entrada, quando selecionado, fará com que o tronco obedeça as regras existentes em Troncos > Conversão saída / entrada > Conversões numéricas de entrada.

Se desejar que o tronco atenda prévia e automaticamente uma chamada recebida, selecione nos menus Turno (1 a 4), na linha Pré-atendedor, uma das opções: DISAs ou Arquivos de áudio; a opção-padrão que estará selecionada é Nenhum. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encaminhada para a opção selecionada nos menus que serão apresentados a seguir. Na linha Atendedor, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4) se o atendedor será DISA, Arquivo de áudio, Correio, Grupo de ramal ou Ramal. O padrão dos turnos 1 e 2 será, respectivamente, o primeiro ramal e o segundo ramal cadastrados no PABX. Caso tenha sido executada a operação para retornar o PABX ao padrão de fábrica, os atendedores padrão poderão ser o primeiro ramal e o segundo ramal da primeira placa de ramais analógicos inicializada. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encerrada. Se desejar configurar um atendedor para chamadas de FAX recebidas, na linha FAX, selecione no menu Atendedor uma das opções: Grupos de ramais ou Correio ou Ramais; a opção-padrão selecionada será Nenhum. Caso um dos atendedores seja selecionado, o menu Transferência será habilitado para que seja definido se a transferência ocorrerá Sempre (padrão) ou somente para Chamada não atendida.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Configurações avançadas

Esse grupo reúne as configurações avançadas que, na maioria dos cenários, não precisa ser alterada para que o tronco analógico possa originar e receber chamadas.

Sinal

Permite realizar ajustes do sinal transmitido/recebido e da impedância entre o tronco analógico e a linha (par de fios metálicos) a fim de atender aos diferentes cenários e levando em consideração as características de cada um deles: distâncias mais curtas ou mais longas do par metálico e a qualidade destes; operadoras de telefonia diferentes, entre outras.

Impedância: define a impedância da interface em relação à linha que está conectada. Esse menu apresenta as opções 600Ω, 900Ω (padrão) e Padrão.

Calibração automática da híbrida: quando selecionado (padrão), executará a calibração da híbrida quando o PABX for ligado.

Recalibrar diariamente a híbrida: quando selecionado (padrão), executará a calibração da híbrida diariamente.

Todos os campos abaixo, por padrão, estão configurados com o valor 0 (zero).

TX offset (dB): define o ganho/atenuação do sinal de transmissão. O campo permite somente valores entre -30 e 19.9.

RX offset (dB): define o ganho/atenuação do sinal de recepção. O campo permite somente valores entre -30 e 12.

TX caller ID DTMF (dB): define o ganho/atenuação do sinal de transmissão do caller ID DTMF. O campo permite somente valores entre -30 e 12.

TX caller ID FSK (dB): define o ganho/atenuação do sinal de transmissão do caller ID FSK. O campo permite somente valores entre -30 e 12.

RX offset - discagem (dB): define o ganho/atenuação do sinal de recepção da discagem. O campo permite somente valores entre -30 e 19.9.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Bloqueio

Permite habilitar bloqueios para determinados tipos de chamadas: originadas/recebidas ou a cobrar.

Por padrão, nenhum bloqueio estará selecionado. O checkbox Originadas, quando selecionado, fará com que o tronco não origine novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Originadas imediato, quando selecionado, também fará com que o tronco não origine novas chamadas; as chamadas originadas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. O checkbox Recebidas, quando selecionado, fará com que o tronco não receba novas chamadas. O checkbox Recebidas imediato, quando selecionado, também fará com que o tronco não receba novas chamadas; as chamadas recebidas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. O checkbox A cobrar, quando selecionado, fará com que não sejam aceitas chamadas a cobrar. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Outros

Permite configurar a forma de discagem dependendo da operadora ou equipamento com o qual o tronco analógico do PABX está interligado.

Sinalização de progresso de chamada: define a sinalização que será utilizada. Esse menu apresenta as opções:

Time out: define que o PABX não irá obedecer as configurações dos campos Detectar tom de chamada, Discar mesmo sem detectar tom de linha e Monitoração de linha conectada. Geralmente é escolhido quando utilizado uma interface GSM ou GSM/3G ,interligação de centrais (ramal/juntor) ou ATA.

Anatel/ITU.T (padrão): respeita as normas e os padrões ITU.T. A linha da operadora deve estar dentro desses padrões também, principalmente a tensão da linha.

Dual tone: é um padrão americano dificilmente utilizado nas centrais das operadoras no Brasil, mas em alguns casos (quando conectado um gateway de voz ) este tipo pode ser usado.

Híbrido: respeita as normas da opção Anatel/ITU.T ou da opção Dual tone. Utilizado quando o juntor envia qualquer um dos dois tipos de progressão de chamada.

Usuário: define que a configuração deve ser feita manualmente nos campos Detectar tom de chamada, Discar mesmo sem detectar tom de linha e Monitoração de linha conectada.

Detectar tom de chamada: quando selecionado (padrão), o tronco irá verificar se tem o tom de discagem, de acordo com a sinalização configurada, antes de efetuar a discagem.

Discar mesmo sem detectar tom de linha: quando selecionado, o tronco irá discar mesmo se não houver detecção do tom.

Monitoração de linha conectada: quando selecionado (padrão), o tronco irá monitorar a detecção do tom de chamada a cada vez que o tronco é utilizado. Após três tentativas sem tom, o tronco é bloqueado.

Tipo de atendimento: Esse menu apresenta as opções:

Sem sinalização (padrão): se a sinalização estiver definida como Timeout, sinaliza o atendimento após o timeout, senão aguarda a interrupção da cadência do tom de chamando.

Inverte polaridade: sinaliza o atendimento quando ocorrer a inversão de polaridade do tronco.

Detecção de voz: sinaliza o atendimento quando ocorrer um áudio qualquer no tronco.

Tipo de discagem: define o tipo de sinalização dos dígitos discados. Esse menu apresenta as opções:

DTMF (padrão): esse método, mais moderno e comum atualmente, utiliza a combinação de tons para diferenciar os dígitos discados.

Pulso: esse método, utilizado antigamente, faz com que, a cada dígito discado, sejam geradas interrupções na linha tantas vezes quanto o dígito discado, sendo que a identificação do dígito zero consiste em 10 interrupções.

Tipo de identificação: Esse menu apresenta as opções Sem identificação, FSK Bell/V_23, Padrão DMTF (padrão), DTMF A, DTMF B e DTMF C.

Ignora primeiro toque do ring ao identificar chamada: quando selecionado, começa à identificar o número de B somente após o recebimento do primeiro ring. Algumas operadoras enviam a identificação DTMF após o primeiro ring e outras enviam antes

Juntor regenera tom: Envia o tom padrão de chamando (juntor) ao invés do tom de roteamento. Deve ser utilizado em troncos que não retornam tom de chamando confiável.

Detectar tom de ocupado: Monitora a cadência de tom de ocupado em um linha analógica e finaliza a ligação se a cadência for detectada. Se estiver desabilitado, não ocorre a finalização da ligação se existir tom de ocupado. Quando habilitado, o PABX sempre finaliza a ligação quando o tom de ocupado é detectado, mas se estiver desabilitado e houver uma chamada em conversação entre um ramal e o juntor, a ligação não é finalizada e o tom de ocupado é repassado para o ramal. A ligação é finalizada nas outras situações.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Copiar configurações

Para copiar as configurações de um tronco para outro(s), clique em na parte superior da tela Configurar tronco analógico. Na tela que será aberta, selecione Todas as configurações ou pelo menos um dos grupos de configuração que deseja copiar, entre eles: Atendimento, Bloqueio, Sinal e/ou Outros e clique em . Na tela que será aberta, selecione o(s) tronco(s) para os quais deseja copiar as configurações. A cópia do formulário Geral não está disponível, por conter configurações individuais do tronco, bem como a do formulário DTMF por já ser comum a todos os troncos analógicos. Com exceção desses dois formulários, todos os outros possuem o ícone no topo da tela. Ao clicar sobre ele, será aberta a tela Copiar configurações com esse grupo de configuração selecionado.

Calibração

A calibração dos troncos analógicos é recomendada quando há descasamento de impedância entre um ou mais troncos analógicos da central e a linha analógica (par de fios metálicos) que a conecta à operadora ou a outra central. Esse descasamento de impedância pode causar problemas como ruídos e baixa qualidade de áudio. Por padrão, os troncos analógicos estão configurados para serem calibrados automaticamente em Troncos > Analógico > Sinal > Calibração automática da híbrida.

A tabela apresenta os troncos analógicos configurados na tela Disposição de placas. Para verificar o estado da calibração dos troncos, clique em . Para cada tronco, serão apresentadas as seguintes informações: o Nome do tronco; o campo Cancelador, que apresenta os estados Ativo ou Inativo; o campo Estado cancelador, que apresenta os estados Recalibr. ou Eco min.; o campo Retorno (dB), que apresenta o valor em dB; o campo Última, que apresenta a data e hora em que foi realizada a última calibração; o campo Próxima, que apresenta a data e hora em que será realizada a próxima calibração; o campo Com tom, que indica se a linha possui ou não tom de discar. Para realizar a calibração, selecione o checkbox associado ao tronco desejado ou o checkbox Selecionar todos e clique em

Perfis de identificação DTMF

DTMF (Dual-Tone Multi-Frequency) é uma técnica de discagem telefônica que usa a combinação de diversas frequências, criando assim um tom único para cada tecla pressionada e tornando possível identificá-la no destino. Essa tela permite personalizar até 3 perfis para identificação DTMF que poderão ser selecionados em Tronco > Analógico > Outros > Tipo de identificação.

Para editar, clique na linha correspondente ao perfil DTMF desejado: DTMF_A, DTMF_B ou DTMF_C. Na tela que será aberta, serão apresentados os seguintes campos.

Identificação com categoria de A: quando selecionado (padrão), habilita a identificação de chamadas com categoria para o tronco.

Header: define o caractere que indica o início da identificação da chamada. Esse menu apresenta as opções A a D, *, #. Por padrão, nenhuma das opções estará selecionada.

Trailer: define o caractere que indica o término da identificação da chamada. Esse menu apresenta as opções A a D, *, #. Por padrão, nenhuma das opções estará selecionada.

Tamanho mínimo se trailer não programado: Esse menu apresenta as opções 0 a 20, sendo a opção-padrão 4.

Tempo mínimo de sinal ON [ms]: esse campo, por padrão, estará preenchido com o valor 35.

Tempo mínimo de sinal OFF [ms]: esse campo, por padrão, estará preenchido com o valor 35.

Time out para reiniciar identificação [ms]: tempo máximo de espera até que a identificação seja reiniciada. Esse menu apresenta as opções 100 a 10000 de 100 em 100, sendo a opção-padrão 1500.

Time out para descartar identificação [s]: tempo máximo de espera até que a identificação seja descartada. Esse campo, por padrão, está preenchido com o valor 15.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

IP

Os troncos IP permitem à central originar e receber chamadas externas utilizando o VoIP (Voice Over Internet Protocol), cuja tecnologia permite que dados de voz e vídeo, capturados por telefones ou aplicativos, sejam digitalizados, empacotados e transmitidos através do protocolo IP (Internet Protocol) na mesma rede geralmente usada, por exemplo, por computadores com acesso à internet. Para tornar possível o controle de todo o processo necessário para estabelecer chamadas, a central faz uso do protocolo SIP (Session Initiation Protocol), que gerencia o estabelecimento, a mudança ou o término de uma chamada. Com isso, a central UnniTI poderá ser interligada com outra central privada que utilize o mesmo padrão do protocolo SIP ou com uma operadora de telefonia IP, seja através de uma rede de dados privada, seja através de uma rede pública. As vantagens obtidas com o uso dessa tecnologia são diversas, sendo as principais: redução de custos com chamadas, principalmente DDD e DDI, e aproveitamento da mesma estrutura da rede de dados já utilizada pelos computadores.

1 - Algumas configurações apresentadas nessa seção provavelmente deverão ser obtidas com o administrador da rede e/ou a operadora de telefonia IP.

2 - Verifique com o administrador da rede as configurações de firewall necessárias para que estejam liberadas as portas do SIP e a faixa de portas do RTP para que as chamadas sejam estabelecidas com áudio.

Operadora IP

O tipo de interligação operadora IP é indicado para o caso de o PABX precisar de acesso, via VoIP, à uma operadora que provê acesso à rede pública de telefonia. Dessa forma, a operadora IP permitirá ao PABX originar/receber chamadas de/para qualquer número disponível na rede pública, seja ele do tipo VoIP, GSM, GSM/3G, analógico ou digital.

Se existir pelo menos uma operadora IP cadastrada, será apresentada uma tabela com o Nome, a Localidade e a quantidade de Filiais cadastradas para essa operadora. Para acessar as configurações de uma das operadoras, clique na linha correspondente à operadora desejada. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de troncos IP. Próximo a esse link há um menu de opções que indica a operadora que está sendo visualizada, permitindo trocá-la por outra, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de troncos IP.

Nova operadora IP

O PABX permite o cadastro de até 50 operadoras IP. Para criar uma nova operadora, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para a nova operadora, que deverá ser diferente do de outra existente. No campo Localidade digite um nome de localidade para facilitar a identificação dessa operadora. No campo Endereço IP ou domínio digite um endereço IP ou domínio válido, por exemplo: 200.199.198.197 ou operadora.net.br. O preenchimento desses três campos é obrigatório. O menu Conta-piloto, apresenta a conta-padrão, usada por ramais que não possuam uma conta associada na tabela de contas em uma chamada originada. Esse menu de opções estará vazio e desabilitado caso não haja contas cadastradas.

Contas

Para cadastrar uma nova operadora IP, é necessário cadastrar pelo menos uma conta. Cada conta possui informações únicas para autenticação no servidor da operadora IP. Cada conta cadastrada na central deve possuir um ramal associado, o qual não poderá estar associado a outra conta. Portanto, a quantidade máxima de contas que podem ser cadastradas para uma mesma operadora é igual a quantidade de ramais existentes na central.

Nova conta

Para criar uma nova conta, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione no menu Ramal o ramal ou grupo de ramais que poderá originar/receber chamadas. No campo Conta, digite o número da conta. No campo Registro digite o número de registro. No campo Identificação o número que será apresentado como identificação de chamadas. No campo Senha informe a senha, de até 24 caracteres, para registro desta conta de autenticação na operadora IP. O checkbox Envia ID, quando selecionado, fará com que a conta envie, em uma chamada originada, o número de identificação configurado no campo Identificação. Caso não esteja selecionado, será enviada como identificação a palavra Anônimo. O checkbox Envia registro, quando selecionado, fará com que a conta envie requisições de registro para a operadora IP. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais contas para inserir, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Na maioria dos cenários, essas configurações são suficientes para que a interligação VoIP entre a central e a operadora IP funcione. As outras configurações podem ser acessadas ao editar a operadora IP.

Editar conta

Para editar uma conta, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir conta

Para excluir uma conta, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Configurar operadora IP

Para acessar as configurações de uma das operadoras, clique na linha correspondente à operadora desejada. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de operadoras IP. Próximo a esse link há um menu de opções que indica a operadora que está sendo visualizada, permitindo trocá-la por outra, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de operadoras IP.

Poderão ocorrer quedas nas chamadas VoIP ao aplicar alterações nas operadoras e/ou contas que estejam sendo usadas.

Configurações básicas

Esse grupo reúne as configurações básicas que, na maioria dos cenários, serão suficientes para que chamadas possam ser originadas e recebidas através da interligação com a operadora IP.

Geral

O campo Nome apresenta o nome da operadora. Pode ser alterado para qualquer valor, desde que seja diferente do nome de uma opeadora já existente. O campo Localidade apresenta o nome da localidade para facilitar a identificação dessa operadora. O campo Endereço IP ou domínio apresenta o endereço IP ou domínio da operadora IP. O preenchimento desses três campos é obrigatório. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Contas

O menu Conta-piloto apresenta qual é a conta-padrão, que é a conta a ser usada por ramais que não possuam uma conta associada na tabela de contas em uma chamada originada. Esse menu de opções estará vazio e desabilitado caso não haja contas cadastradas. O checkbox Múltiplas contas piloto, quando selecionado, habilita a configuração da quantidade de chamadas simultâneas para cada uma das contas. O checkbox Originar chamada sempre usando o piloto, quando selecionado, indica que as chamadas serão sempre originadas usando a conta-piloto. Esses checkboxes, por padrão, não estarão selecionados. O campo Tempo entre registros (s) especifica o intervalo de tempo que a central aguardará até enviar uma nova requisição de registro das contas cadastradas para o servidor da operadora IP. O valor-padrão é 300, mas pode ser configurado com zero ou qualquer valor entre 30 e 3888000 segundos (45 dias).

Atenção: Nos casos em que operadoras VoIP não necessitem de requisição de registro, será enviada uma mensagem SIP do tipo OPTIONS para o servidor cadastrado, isto é necessário para que a central identifique se o servidor está em operação. Para que esta mensagem não seja enviada, é necessário configurar o tempo de registro com o valor 0 (Zero) segundos.

Nova conta

Para criar uma nova conta, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione no menu Ramal o ramal ou grupo de ramais que poderão originar/receber chamadas. No campo Conta, digite o número da conta. No campo Registro digite o número de registro. No campo Identificação o número que será apresentado como identificação de chamadas. No campo Senha informe a senha, de até 24 caracteres, para registro dessa conta de autenticação na operadora IP. O checkbox Envia ID, quando selecionado, fará com que a conta envie, em uma chamada originada, o número de identificação configurado no campo Identificação. Caso não esteja selecionado, será enviada como identificação a palavra Anônimo. O checkbox Envia registro, quando selecionado, fará com que a conta envie requisições de registro para a operadora IP. O menu Chamadas simultâneas apresenta as opções Ilimitado e valores de 1 a 30, que representam a quantidade de chamadas simultâneas que a conta permitirá. Para que seja possível alterá-lo, é necessário que o checkbox Múltiplas contas piloto esteja selecionado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela, ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais contas a inserir, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

A soma do número de contas de todas as Operadoras IP não pode ser maior do que 300.

Editar conta

Para editar uma conta, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir conta

Para excluir uma conta, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Filiais

A configuração de filiais na Operadora IP permite que o PABX possa também ter acesso direto a ramais que estejam nesse outro equipamento ou que, de alguma forma, irá prover acesso ao equipamento em que os ramais estão.

Nova filial

Para criar uma nova filial, clique em . Será apresentada a tela Nova filial. No campo Nome/Localidade, digite o nome da localidade para facilitar a identificação da nova filial.

Nova regra

Para criar uma nova regra, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Número interno com os dígitos que representarão a regra de roteamento de chamadas para essa filial. Preencha o campo Número externo com os dígitos que serão enviados para a filial. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Obs: Caso uma ou mais filiais tenham mais de 200 ramais, você não conseguirá adicionar todos os ramais da filial. Pensando nisso, a UnniTI possibilita a criação dos números das filiais com menos dígitos. Por exemplo: Os ramais da filial vão de 4000 até 4300. Portanto, são 301 ramais. Sendo assim, você não conseguirá incluir todos na lista da filial. Neste caso, você poderá preencher somente os 2 dígitos iniciais 40, 41, 42 e 43. A Central se encarregará de enviar os próximos números digitados no telefone. O usuário continuará digitando todos os dígitos, porém na lista da filial, não será necessário cadastrar todos os números.

Editar regra

Para editar uma regra, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir regra

Para excluir uma regra, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Editar filial

Para editar uma filial, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir filial

Para excluir uma filial, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Configurações avançadas

Esse grupo reúne as configurações avançadas que, na maioria dos cenários, não precisarão ser alteradas para que seja possível originar e receber chamadas através da interligação com a operadora IP. Entretanto, algumas operadoras IP podem usar configurações e características de operação específicas. Com o propósito de tornar esta central compatível com o maior número possível de operadoras IP que atuam dentro das especificações internacionais, esse grupo permite personalizar algumas dessas configurações como o tipo de sinalização de discagem, identificação, Codec, entre outras.

Portabilidade

Permite configurar a conexão com servidores de consulta à portabilidade numérica para fazer a requisição e saber qual é a operadora mais vantajosa em termos de custo para realizar cada uma das chamadas. Além dessa configuração, é necessário realizar a configuração em Troncos > Consulta portabilidade numérica.

Deve-se contratar uma empresa que forneça o serviço de consulta portabilidade numérica, bem como as informações necessárias à configuração, que devem ser compatíveis com este PABX.

O checkbox Habilita portabilidade, quando selecionado, ativa o serviço de portabilidade numérica e a configuração dos parâmetros que serão apresentados a seguir. O menu Tempo para aguardar servidor responder (ms) apresenta as opções 500, 1000, 1500, 2000, 2500 e 3000 que definem o tempo máximo de espera pela resposta do servidor. O menu Em caso de falha na consulta apresenta como opções Derrubar chamada e Não derrubar chamada, ou seja, define a ação a ser tomada caso a consulta ao servidor não possa ser realizada. A chamada pode ser derrubada ou não. O checkbox Enviar aviso de falha, quando selecionado, permite configurar se o envio será por SMS ou e-mail. Se a opção SMS estiver selecionada, o campo Número será habilitado, e deverá ser preenchido com um número de celular válido. Se a opção selecionada for Por e-mail, o campo Endereço será habilitado, e deverá ser preenchido com um endereço de e-mail válido. O menu Período para envio (min) apresenta como opções os valores de 5 a 59 que definem o período em minutos para que seja enviado o aviso.

O método utilizado pela central para transmissão de informação para o servidor de portabilidade segue o seguinte padrão: a central envia uma mensagem de INVITE para o servidor de portabilidade, padrão SIP, contendo o número de destino com o código de área para o qual se deseja fazer a chamada.

Central ------->> INVITE ------->> Servidor de consulta à portabilidade numérica

O servidor deverá retornar uma resposta do tipo 304-Moved Temporarily. Conforme exemplo a seguir:

U 2014/11/06 17:51:50.037917 10.252.68.161:5060 - > 201.3.239.120:5060 SIP/2.0 302 Moved Temporarily. Via: SIP/2.0/UDP.

A mensagem 304-Moved Temporarily deverá conter um número adicional que corresponda ao código da operadora do número solicitado, o código RN1, o qual deverá estar cadastrado no menu Troncos > Consulta portabilidade.

Algumas empresas que prestam serviço de consulta à portabilidade numérica permitem que as empresas que fazem a consulta não enviem pedido de registro. É aconselhável enviar sempre esse pedido de registro, pois identificará, por exemplo, se o servidor está ou não disponível.

Portas

Permite configurar a faixa das portas RTP que serão usadas para o áudio da chamada e a porta SIP para gerenciamento da chamada com a operadora IP.

No campo Porta RTP mín é definida a menor porta UDP/TCP que poderá ser utilizada na transmissão e recepção do áudio quando for estabelecida uma chamada com a operadora IP. No campo Porta RTP máx é definida a menor porta UDP/TCP que poderá ser utilizada na transmissão e recepção do áudio quando for estabelecida uma chamada com a operadora IP. Os valores-padrão desses campos são, respectivamente, 10000 e 64000. No campo Porta SIP Local (Unniti) é definida a porta SIP na qual o PABX irá receber as mensagens de controle das chamadas e no campo Porta SIP Remoto (Servidor) é definida a porta SIP na qual a operadora irá receber as mensagens de controle das chamadas. O valor-padrão para ambos os campos é 5060. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

DTMF

Permite configurar a forma de envio de dígitos pressionados no teclado do telefone ou clicados em aplicativos durante uma chamada. Isso pode ocorrer quando a chamada é atendida por uma URA e esta solicita que sejam pressionados os números associados às opções divulgadas, ou até mesmo que seja usada a tecla Flash para realizar uma operação de consulta ou transferência.

O campo Tipo de discagem DTMF apresenta as opções In band, que envia os eventos DTMF no pacote de voz, RFC 2833, que envia os eventos DTMF como uma sinalização de carga RTP, usando RFC 2833 ou SIP Info (DTMF-Relay) que envia os eventos DTMF como sinalização SIP. Se a opção selecionada for RFC 2833, que é o padrão, o campo Valor do payload será habilitado para que seja configurado o tipo de carga (payload) do DTMF. Os valores permitidos estão entre 96 e 127, sendo o padrão 101. O campo Tempo de pausa entre dígitos (ms) define o intervalo entre cada dígito discado, que deve ser entre 2000 e 7000 milissegundos. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Identificação

Permite configurar o formato do número de identificação que será enviado em uma chamada originada para a operadora IP. Essa informação é preenchida no cabeçalho FROM da mensagem INVITE do protocolo SIP, responsável por iniciar uma chamada VoIP. A seguir é apresentado um exemplo da mensagem para cada opção disponível.

From: "CHAMADOR" <sip:USUÁRIO@intelbras.com></sip:USUÁRIO@intelbras.com>, onde: no lugar do CHAMADOR será incluído o comando que estiver programado no campo Chamador e no lugar de USUÁRIO, o comando que estiver programado no campo Usuário.

O menu Chamador apresenta as opções: Conteúdo do campo "Identificação do chamador", que envia o número configurado no campo Identificação na tabela de contas; Núm. do ramal originador (interno), que envia o número configurado no campo Ramal na tabela de contas; e Número do chamador externo (BINA) se chamada vem de tronco, que envia o número que a central recebeu da linha externa (BINA), caso a chamada tenha sido recebida de outro tronco: analógico, E1 ou VoIP. Ou seja, esse número de identificação é repassado para a operadora VoIP.

O menu Usuário (conta registro) apresenta as opções: Conteúdo do campo "Nome externo", que envia o número configurado no campo Identificação na tabela de contas; Núm. do ramal originador (interno), que envia o número configurado no campo Ramal na tabela de contas; Núm. do chamador externo (BINA), que envia o número que a central recebeu da linha externa (BINA), caso a chamada tenha sido recebida de outro tronco: analógico, E1 ou VoIP. Ou seja, esse número de identificação é repassado para a operadora VoIP. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las

Se for selecionada a opção Núm. do chamador externo (BINA) se ligação vem de juntor, para que o número seja corretamente enviado para a operadora, é necessário que esteja programada a identificação de chamadas (BINA) nos troncos.

Codec

Os codecs são responsáveis por transformar a voz humana, que é um sinal analógico, em um sinal digital, e vice-versa, para que sejam transmitidos/recebidos por uma rede de computadores. Alguns codecs consomem menos banda da rede.

A tabela possibilita a configuração de até 5 codecs. Cada linha da tabela representa um codec e indica a sua prioridade, ou seja, a ordem em que o codec será negociado no estabelecimento de uma nova chamada. Se o destino não possuir o codec com prioridade 1, então o codec com prioridade 2 será utilizado e assim por diante até que os codecs de origem e destino sejam os mesmos, estabelecendo, assim, a chamada. Por esse motivo é recomendável que sejam preenchidas todas as opções com codecs diferentes - apesar de a central exigir apenas um codec - e que um deles seja o codec PCMA (também conhecido como G.711a). O menu Codec apresenta as seguintes opções: G.729, GSM FR 6.10, G.726-40, G.726-32, G.726-24, G.726-16, PCMA, PCMU e G.723-6.3(5.3). O menu Tempo empacotamento (ms) apresenta as opções 10, 20, 30 e 40, sendo a opção-padrão 20. Esse campo define o tempo de pacote que contém o áudio digitalizado para ser enviado à rede de dados. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Sinal

Permite realizar configurações que poderão melhorar a qualidade do sinal de áudio nas chamadas entre a central e a operadora IP.

O checkbox Cancelamento de eco, quando selecionado (padrão), reduz o eco causado pela híbrida (circuito responsável pela conversão de 4 para 2 fios). Ou seja, o cancelador de eco atuará nas chamadas em que uma parte usa tecnologia IP, e a outra, um dispositivo TDM, como um ramal analógico ou digital. O checkbox Detecção de atividade de voz refere-se às técnicas VAD (Voice Activity Detection) e CNG (Confort Noise Generation). Quando selecionado, habilita as funções de detecção de atividade de voz e geração de ruído de conforto que poderão reduzir o consumo de banda da rede nos momentos em que houver apenas silêncio ou ruído ambiente durante uma chamada. O checkbox Correção antecipada de erros refere-se à técnica FEC (Forward Error Correction). Quando selecionado, envia pacotes adicionais com o objetivo de utilizá-los na reconstrução do áudio caso alguns pacotes sejam perdidos na transmissão e não cheguem ao destino. Indicado para redes com ocorrência frequente de perda de pacotes. O checkbox Supressor de ruído adaptativo refere-se à técnica ANS (Adaptive Noise Suppressor). Quando selecionado, reduz ruídos nos sinais de voz provenientes da rede TDM (analógica ou digital). Por padrão, FEC e ANS não estão selecionados e estão disponíveis apenas para a placa codec 60 canais. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Outros

Esse formulário apresenta outras opções de configuração que podem ser úteis para compatibilizar esta central com diferentes cenários e/ou operadoras IP.

O menu Protocolo de FAX apresenta as opções: Desabilitado; Bypass, que converte os dados digitais do FAX em um fluxo de áudio PCM e, em seguida, os envia como pacotes RTP (G_711) de transporte em tempo real. O G.711 não foi otimizado para o transporte de faxes em redes IP, portanto, essa opção consome mais banda e é menos estável. O T.38 permite que os dados de FAX sejam transmitidos pela rede IP usando esse protocolo próprio sem serem convertidos em um fluxo de áudio, como no caso do Bypass, o que resulta em uma redução significativa na largura de banda necessária. Caso a interligação com a operadora IP exija o uso de Outbound Proxy, digite o endereço e a porta nos campos Endereço IP ou domínio do OutBound Proxy e Porta do OutBound Proxy. OutBound Proxy é um serviço implementado por alguns servidores SIP que obriga todos os pacotes, incluindo pacotes de voz, a trafegarem através desse servidor para uma supervisão de suas funcionalidades. O checkbox Suporte a número global (E.164), quando selecionado, estabelece que os números usarão o padrão internacional definido pela ITU-T, cujo formato possui um máximo de 15 dígitos, contendo código do país, código da cidade ou área e número local precedidos por +, por exemplo: o número da matriz da Intelbras, 3281-9500 em Santa Catarina (48), Brasil (55), no padrão E.164 é: +554832819500. O checkbox A cobrar, quando selecionado, fará com que as chamadas identificadas como a cobrar sejam bloqueadas. O campo Considerar a cobrar se assinante origem iniciar com define os caracteres alfanuméricos que, se estiverem presentes no início do assinante chamador, classificarão a chamada como a cobrar. O checkbox Resolve NAT, quando selecionado, define que a central irá resolver o NAT baseando-se nas configurações da interface de rede usada na comunicação com a operadora, em Redes > NAT. Geralmente as operadoras IP estão preparadas para resolver o NAT. No menu Protocolo de transporte é definida a forma de transporte dos pacotes nos protocolos SIP e RTP. O menu apresenta as opções: UDP, protocolo que, por não ser orientado à conexão, não verifica se o destino recebeu todos os pacotes transmitidos, tornando-se a opção mais rápida e, por isso, a mais indicada. Cabe destacar que a rede de dados deve ter estabilidade garantida. TCP, protocolo orientado à conexão, que, por isso, verifica se o destino recebeu os pacotes enviados, retransmitindo-os, se for o caso. Indicado para redes de dados instáveis e que apresentam perda de pacotes. O TLS, protocolo de transporte seguro em que os pacotes são transmitidos criptografados. A operadora IP deve oferecer suporte ao tipo de protocolo configurado na central. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Programação de NAT em filiais

Caso alguma das filiais de uma operadora IP esteja atrás de NAT, deve-se selecionar o checkbox Resolve NAT, disponível no campo Outros na parte de Configurar Operadora IP. Com isso no momento de uma chamada para essa filial, será analisado automaticamente se aquela filial precisará usar as configurações de IP público do NAT.

Os Principais motivos para a Unniti não usar o IP público do NAT é se o endereço IP da filial for IP privado ou este IP for acessado diretamente sem uso de gateway.

Configurações comuns a todos os troncos IP

As configurações feitas nesse formulário, seja uma interligação do tipo operadora IP, seja do tipo matriz-filial, serão aplicadas a todos os troncos IP, ou seja, essas configurações serão comuns a todas as operadoras IP e matriz-filial cadastradas.

Atendimento

Permite configurar se os troncos IP farão o atendimento automático das chamadas recebidas através de um atendimento digital, de um atendedor específico para cada turno, ou se obedecerão às regras de atendimento em Atendimento pelo chamador ou Conversão numérica de entrada, se existirem.

O checkbox Atendimento pelo chamador, quando selecionado, fará com que todos os troncos IP obedeçam as regras de atendimento existentes em Troncos > Roteamento > Atendimento pelo número chamador. O checkbox Usar conversão numérica de entrada, quando selecionado, fará com que todos os troncos IP obedeçam as regras existentes em Troncos > Conversão saída / entrada > Conversões numéricas de entrada.

Se desejar que uma DISA atenda prévia e automaticamente uma chamada recebida, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4), na linha Pré-atendedor, uma das DISAS, por padrão nenhuma DISA estará selecionada. Na linha Atendedor, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4) se o atendedor será DISA, Arquivo de áudio, Correio, Grupo de ramal ou Ramal. O padrão dos turnos 1 e 2 será, respectivamente, o primeiro ramal e o segundo ramal cadastrados no PABX. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encerrada. Se desejar configurar um atendedor para chamadas de FAX recebidas, na linha FAX, selecione no menu Atendedor uma das opções: Grupo de ramais, Correio ou Ramal sendo que a opção-padrão selecionada será Nenhum. Caso um dos atendedores seja selecionado, o menu Transferência será habilitado para que seja definido se a transferência ocorrerá Sempre (padrão) ou somente para Chamada não atendida. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Bloqueio

Permite habilitar bloqueio total de chamadas.

Por padrão, nenhum bloqueio estará selecionado. O checkbox Total, se selecionado, fará com que o tronco não origine e nem receba novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Total imediato, se selecionado, também fará com que o tronco não origine e nem receba chamadas; as chamadas que estiverem em curso serão finalizadas segundos após o momento em que a alteração for salva. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Excluir operadora IP

Para excluir uma operadora IP, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Matriz-filial

Esse tipo de conexão permite que as centrais sejam interligadas diretamente, via rede privada ou internet, sem passar por uma operadora IP. Indicado para empresas ou órgãos que possuam unidades fisicamente distantes, por exemplo, em estados ou países diferentes, mas que necessitem fazer chamadas entre si como se estivessem fazendo chamadas internas na mesma unidade e, dessa forma, reduzir os custos com telefonia.

A tabela apresenta o Nome e a quantidade de Filiais cadastradas para essa conexão matriz-filial. Para acessar as configurações de matriz-filial, clique sobre o registro Matriz-filial na tabela. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de troncos IP.

Configurações básicas

Esse grupo reúne as configurações básicas que, na maioria dos cenários, serão suficientes para que seja possível originar e receber chamadas através da interligação matriz-filial.

Numeração

Permite cadastrar os ramais e respectivos números de identificação para que possam originar e receber chamadas via interligação matriz-filial.

O menu Número piloto define o ramal-padrão, que será usado caso o ramal que esteja originando a chamada não esteja cadastrado na tabela. Cada conta cadastrada na central deve possuir um ramal associado, o qual não poderá estar associado a outra conta. Portanto, a quantidade máxima de contas que podem ser cadastradas na conexão matriz-filial é igual à quantidade de ramais existentes na central.

Novo número

Para criar um novo número, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione um ramal ou grupo de ramais no menu Ramal. No campo Identificação digite o número de identificação externo, o qual será usado como identificação ao originar uma chamada, bem como para receber chamadas. Para inserir vários registros de uma vez, preencha o primeiro e o último número desejados, respectivamente, no primeiro e segundo campos. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar número

Para editar um número, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir número

Para excluir um número, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Filiais

Nova filial

Para criar uma nova filial, clique em . Será apresentada a tela Nova filial. No campo Nome/Localidade, digite o nome da localidade para facilitar a identificação da nova filial e o seu Endereço IP ou domínio, neste campo também é possível inserir a porta do servidor separando-se o IP ou domínio e a porta através do caractere ':' (dois pontos), exemplo: 172.31.11.55:5080. No Campo Tipo selecione o tipo de central da nova filial, este campo serve para identificar o modelo do produto instalado na outra ponta.

Nova regra

Para criar uma nova regra, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Número interno com os dígitos que representarão a regra de roteamento de chamadas para essa filial. Preencha o campo Número externo com os dígitos que serão enviados para a filial. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Obs: Caso uma ou mais filiais tenham mais de 200 ramais, você não conseguirá adicionar todos os ramais da filial. Pensando nisso, a UnniTI possibilita a criação dos números das filiais com menos dígitos. Por exemplo: Os ramais da filial vão de 4000 até 4300. Portanto, são 301 ramais. Sendo assim, você não conseguirá incluir todos na lista da filial. Neste caso, você poderá preencher somente os 2 dígitos iniciais 40, 41, 42 e 43. A Central se encarregará de enviar os próximos números digitados no telefone. O usuário continuará digitando todos os dígitos, porém na lista da filial, não será necessário cadastrar todos os números.

Editar regra

Para editar uma regra, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir regra

Para excluir uma regra, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Editar filial

Para editar uma filial, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir filial

Para excluir uma filial, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Configurações avançadas

Esse grupo reúne as configurações avançadas que, na maioria dos cenários, não precisa ser alterada para que seja possível originar e receber chamadas através da interligação matriz-filial. Entretanto, algumas centrais podem usar configurações e características de operação específicas. Com o propósito de tornar esta central compatível com o maior número possível de centrais que atuam dentro das especificações internacionais, esse grupo permite personalizar algumas dessas configurações, como o tipo de sinalização de discagem, identificação, codec, entre outras.

Portas

Permite configurar a faixa das portas RTP que serão usadas para o áudio da chamada e a porta SIP para gerenciamento da chamada com outras centrais.

No campo Porta RTP mín é definida a menor porta UDP/TCP que poderá ser utilizada na transmissão e recepção do áudio quando for estabelecida uma chamada entre as centrais. No campo Porta RTP máx é definida a menor porta UDP/TCP que poderá ser utilizada na transmissão e recepção do áudio quando for estabelecida uma chamada entre as centrais. Os valores-padrão desses campos são, respectivamente, 10000 e 64000. No campo Porta SIP Local (Unniti) é definida a porta SIP na qual o PABX irá receber as mensagens de controle das chamadas e no campo Porta SIP Remoto (Servidor) é definida a porta SIP na qual a operadora irá receber as mensagens de controle das chamadas. O valor-padrão para ambos os campos é 5060.. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

DTMF

Permite configurar a forma de envio de dígitos pressionados no teclado do telefone ou clicados em aplicativos durante uma chamada. Isso pode ocorrer quando a chamada é atendida por uma URA e esta solicita que sejam pressionados os números associados às opções divulgadas, ou até mesmo que seja usada a tecla Flash para realizar uma operação de consulta ou transferência.

O campo Tipo de discagem DTMF apresenta as opções In band que envia os eventos DTMF no pacote de voz, RFC 2833, que envia os eventos DTMF como uma sinalização de carga RTP, usando RFC 2833, ou SIP info (DTMF-Relay), que envia os eventos DTMF como sinalização SIP. Se a opção selecionada for RFC 2833, que é a opção-padrão, o campo Valor do payload será habilitado para que seja configurado o tipo de carga (payload) do DTMF. Os valores permitidos estão entre 96 e 127, sendo o padrão 101. O campo Tempo de pausa entre dígitos (ms) define o intervalo entre cada dígito discado, que deve estar entre 2000 e 7000. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Codec

Os codecs são responsáveis por transformar a voz humana, que é um sinal analógico, em um sinal digital, e vice-versa, para que sejam transmitidos/recebidos na rede de computadores. Alguns codecs consomem menos banda da rede que outros.

A tabela possibilita a configuração de até 5 codecs. Cada linha da tabela representa um codec e indica a sua prioridade (ordem em que o codec será negociado) no estabelecimento de uma nova chamada. Se o destino não possuir o codec com prioridade 1, então o codec com prioridade 2 será utilizado e assim por diante até que os codecs de origem e destino sejam os mesmos, estabelecendo, assim, a chamada. Por esse motivo é recomendável que sejam preenchidas todas as opções com codecs diferentes - apesar de a central exigir apenas um codec - e que um deles seja o codec PCMA (também conhecido como G.711a). O menu Codec apresenta as seguintes opções: G.729, GSM FR 6.10, G.726-40, G.726-32, G.726-24, G.726-16, PCMA, PCMU e G.723-6.3(5.3). O menu Tempo empacotamento (ms) apresenta as opções de 10 a 90, incrementadas de 10 em 10, sendo o padrão 20. Esse campo define o tempo de pacote que contém o áudio digitalizado para ser enviado à rede de dados. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Sinal

Permite realizar configurações que poderão melhorar a qualidade do sinal de áudio nas chamadas entre as centrais.

O checkbox Cancelamento de eco, quando selecionado, reduz o eco causado pela híbrida (circuito responsável pela conversão de 4 para 2 fios). Ou seja, o cancelador de eco atuará nas chamadas em que uma parte usa tecnologia IP, e a outra, um dispositivo TDM, como um ramal analógico ou digital. Por padrão estará selecionado. O checkbox Detecção de atividade de voz refere-se às técnicas VAD (Voice Activity Detection) e CNG (Confort Noise Generation). Quando selecionado, habilita as funções de detecção de atividade de voz e geração de ruído de conforto que poderão reduzir o consumo de banda da rede nos momentos em que houver apenas silêncio ou ruído ambiente durante uma chamada. O checkbox Correção antecipada de erros refere-se à técnica FEC (Forward Error Correction). Quando selecionado, envia pacotes adicionais com o objetivo de utilizá-los na reconstrução do áudio caso alguns pacotes sejam perdidos na transmissão e não cheguem ao destino. Indicado para redes com ocorrência frequente de perda de pacotes. O checkbox Supressor de ruído adaptativo refere-se à técnica ANS (Adaptive Noise Suppressor). Quando selecionado, reduz ruídos nos sinais de voz provenientes da rede TDM (analógica ou digital). Por padrão, FEC e ANS não estão selecionados e estão disponíveis apenas para a placa codec 60 canais. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Outros

Esse formulário apresenta outras opções de configuração que podem ser úteis para compatibilizar este PABX com diferentes cenários.

O checkbox Resolve NAT, quando selecionado, define que o PABX irá resolver o NAT baseando-se nas configurações da interface de rede usada na comunicação com a operadora, em Redes > NAT. Geralmente as operadoras IP estão preparadas para resolver o NAT. No menu Protocolo de transporte é definida a forma de transporte dos pacotes nos protocolos SIP e RTP. O menu apresenta as opções: UDP, protocolo que, por não ser orientado à conexão, não verifica se o destino recebeu todos os pacotes transmitidos, tornando-se a opção mais rápida e, por isso, a mais indicada. Cabe destacar que a rede de dados deve ter estabilidade garantida. TCP, protocolo orientado à conexão, que, por isso, verifica se o destino recebeu os pacotes enviados, retransmitindo-os, se for o caso. Indicado para redes de dados instáveis e que apresentam perda de pacotes. O TLS, protocolo de transporte seguro em que os pacotes são transmitidos criptografados. A operadora IP deve oferecer suporte ao tipo de protocolo configurado no PABX. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Programação de NAT em filiais

Caso alguma das filiais esteja atrás de NAT, deve-se selecionar o checkbox Resolve NAT, disponível no campo Outros na parte de Configurar Matriz Filial. Com isso no momento de uma chamada para essa filial, será analisado automaticamente se aquela filial precisará usar as configurações de IP público do NAT.

Os Principais motivos para a Unniti não usar o IP público do NAT é se o endereço IP da filial for IP privado ou este IP for acessado diretamente sem uso de gateway.

Configurações comuns a todos os troncos IP

As configurações feitas nesse formulário, seja uma interligação do tipo operadora IP, seja do tipo matriz-filial, serão aplicadas a todos os troncos IP, ou seja, essas configurações serão comuns a todas as operadoras IP e matriz-filial cadastradas.

Atendimento

Permite configurar se os troncos IP farão o atendimento automático das chamadas recebidas através de um atendimento digital, de um atendedor específico para cada turno, ou se obedecerão às regras de atendimento em Atendimento pelo chamador ou Conversão numérica de entrada, se existirem.

O checkbox Atendimento pelo chamador, quando selecionado, fará com que todos os troncos IP obedeçam as regras de atendimento existentes em Troncos > Roteamento > Atendimento pelo número chamador. O checkbox Usar conversão numérica de entrada, quando selecionado, fará com que todos os troncos IP obedeçam as regras existentes em Troncos > Conversão saída / entrada > Conversões numéricas de entrada.

Se desejar que uma DISA atenda prévia e automaticamente uma chamada recebida, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4), na linha Pré-atendedor, uma das DISAs, por padrão nenhuma DISA estará selecionada. Na linha Atendedor, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4) se o atendedor será DISA, Arquivo de áudio, Correio, Grupo de ramal ou Ramal. O padrão dos turnos 1 e 2 será, respectivamente, o primeiro ramal e o segundo ramal cadastrados no PABX. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encerrada. Se desejar configurar um atendedor para chamadas de FAX recebidas, na linha FAX, selecione no menu Atendedor uma das opções: Grupo de ramais, Correio ou Ramal sendo que a opção-padrão selecionada será Nenhum. Caso um dos atendedores seja selecionado, o menu Transferência será habilitado para que seja definido se a transferência ocorrerá Sempre (padrão) ou somente para Chamada não atendida. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Bloqueio

Permite habilitar bloqueios para determinados tipos de chamadas: originadas/recebidas ou a cobrar.

Por padrão, nenhum bloqueio estará selecionado. O checkbox Originadas, se selecionado, fará com que o tronco não origine novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Originadas imediato, se selecionado, também fará com que o tronco não origine chamadas; as chamadas originadas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. O checkbox Recebidas, se selecionado, fará com que o tronco não receba novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Recebidas imediato, se selecionado, também fará com que o tronco não receba novas chamadas; as chamadas recebidas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

GSM ou GSM/3G

Os troncos GSM ou GSM/3G possibilitam a integração da telefonia móvel com a telefonia fixa, facilitando o uso compartilhado do chip GSM ou GSM/3G pelos ramais de seu PABX tanto para originar quanto para receber chamadas. Também possibilita usufruir das vantagens dos planos diferenciados oferecidos pelas prestadoras de telefonia móvel.

Troncos GSM ou GSM/3G

A tabela apresenta o nome e o slot-posição dos troncos GSM ou GSM/3G configurados na tela Disposição de placas. Para acessar as configurações de um dos troncos, clique na linha correspondente ao tronco desejado. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de troncos GSM/3G. Próximo a esse link há um menu de opções que indica qual tronco está sendo visualizado e permite trocar para outro, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de troncos GSM/3G.

Configurações básicas

Esse grupo reúne as configurações básicas que, na maioria dos cenários, serão suficientes para que o tronco GSM ou GSM/3G possa originar e receber chamadas.

Geral

O campo Nome apresenta o nome do tronco. Por padrão, o nome do tronco segue a numeração 893xx, por exemplo, 89300. Pode ser alterado para qualquer valor, desde que seja diferente do valor de um comando, nome de ramal/tronco, número de acesso a grupo de ramais.

Os campos Slot e Posição apresentam o slot ao qual esse tronco está associado e a posição da placa. A edição desses campos está desabilitada.

O checkbox Ocultar ID em chamadas originadas por padrão estará selecionado. Retire a seleção para que o tronco não envie sua identificação, ou seja, o número do chip GSM ou GSM/3G.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Atendimento

Permite configurar se o tronco GSM ou GSM/3G fará o atendimento automático das chamadas recebidas através de um atendimento digital, de um atendedor específico para cada turno, ou se obedecerá às regras de atendimento em Atendimento pelo chamador ou Conversão numérica de entrada, se existirem.

O checkbox Atendimento pelo chamador, quando selecionado, fará com que o tronco obedeça as regras de atendimento existentes em Troncos > Roteamento > Atendimento pelo número chamador. O checkbox Usar conversão numérica de entrada, quando selecionado, fará com que o tronco obedeça as regras existentes em Troncos > Conversão saída / entrada > Conversões numéricas de entrada.

Se desejar que o tronco atenda prévia e automaticamente uma chamada recebida, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4), na linha Pré-atendedor, uma das opções: DISAs, Arquivos de áudio, sendo Nenhum a opção-padrão que estará selecionada. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encaminhada para a opção selecionada nos menus que serão apresentados a seguir. Na linha Atendedor, selecione nos menus de opção Turno (1 a 4) se o atendedor será DISA, Arquivo de áudio, Correio, Grupo de ramal ou Ramal. O padrão dos turnos 1 e 2 será, respectivamente, o primeiro ramal e o segundo ramal cadastrados no PABX. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encerrada. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

SMS

O checkbox Envia SMS define se o tronco poderá enviar mensagens SMS. Por padrão, não está selecionado. O checkbox Recebe SMS define se o tronco poderá receber mensagens SMS. Por padrão, não está selecionado. Se selecionado, habilita o campo Encaminha para e-mail, que pode ser preenchido com um endereço de e-mail para o qual a mensagem SMS será encaminhada. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Configurações avançadas

Esse grupo reúne as configurações avançadas que, na maioria dos cenários, não precisa ser alterada para que o tronco GSM ou GSM/3G possa originar e receber chamadas.

Sinal

Permite realizar ajustes do sinal transmitido/recebido a fim de atender aos diferentes cenários e levando em consideração as características de cada um deles: distância da estação rádio base; operadoras de telefonia diferentes.

Os checkboxes Ajuste automático do ganho de RX, Redução automática de ruído e Cancelamento automático de eco, se selecionados, farão com que o sinal de entrada e/ou o de saída sejam automaticamente melhorados de acordo com as particularidades de cada chamada. Por padrão, esses três checkboxes não estão selecionados. A função "Habilita SIMCard do tipo uSIM" deverá ser habilitada quando o SIMCard utilizado é do tipo uSim. Essa informação não está descrita no seu SIMCard e deverá ser consultado com sua operadora. Por padrão, deixe essa função desabilitada, pois a grande maioria dos SIMCard em nossa país não são do tipo uSIM. Os menus TX Offset e RX Offset apresentam como opções os valores de -6 a 6 para atenuação ou ganho do sinal. O valor-padrão do primeiro é -2 e o do segundo é 0. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Bloqueio

Permite habilitar bloqueios para determinados tipos de chamadas: originadas/recebidas, sem identificação, ou em roaming.

Por padrão, nenhum bloqueio estará selecionado. O checkbox Originadas, se selecionado, fará com que o tronco não origine novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Originadas imediato, se selecionado, também fará com que o tronco não origine chamadas; as chamadas originadas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. O checkbox Recebidas, se selecionado, fará com que o tronco não receba novas chamadas. As chamadas em curso não serão finalizadas. O checkbox Recebidas imediato, se selecionado, também fará com que o tronco não receba novas chamadas; as chamadas recebidas que estiverem em curso serão finalizadas no momento em que a alteração for salva. O checkbox Recebidas sem ID, quando selecionado, fará com que não sejam aceitas chamadas recebidas sem número de identificação do originador. Os checkboxes Originadas em roaming e Recebidas em Roaming, quando selecionados, não permitirão que o tronco origine e/ou receba chamadas quando estiver em roaming. Roaming é um termo empregado em telefonia móvel para designar a possibilidade de um usuário de uma rede de obter conectividade em áreas fora da localidade geográfica onde está registrado, utilizando outra rede, onde é visitante, podendo esta ser da mesma operadora ou não. Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Copiar configurações

Para copiar as configurações de um tronco para outro(s), clique em na parte superior da tela Configurar tronco GSM/3G. Na tela que será aberta, selecione Todas as configurações ou ao menos um dos grupos de configuração que deseja copiar, entre eles: Atendimento, SMS, Sinal e/ou Bloqueio, e clique em . Na tela que será aberta, selecione o(s) tronco(s) para os quais deseja copiar as configurações. A cópia do formulário Geral não está disponível por conter configurações individuais do tronco. Com exceção deste, todos os formulários possuem o ícone no topo da tela. Ao clicar sobre ele, será aberta a tela Copiar configurações com esse grupo de configuração selecionado.

Envio de SMS

Permite enviar mensagens de texto SMS, pela interface web do gerenciador web, utilizando a placa tronco GSM ou GSM/3G.

Para enviar a mensagem, é necessário inserir pelo menos um destinatário na tabela. Clique em um dos botões disponíveis para inserir destinatários na tabela. São eles: , e .

Novo destinatário

Para criar um novo destinatário, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Nome com o nome do destinatário, para simples identificação. No campo Número, informe o número do telefone do destinatário da mensagem. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Os registros que forem inseridos através da opção + Novo destinatário serão descartados ao sair da tela Envio de SMS. Se pretender usar os destinatários por mais de uma vez, use as outras opções que serão apresentadas a seguir: + Contatos da agenda geral e + Grupos de contatos.

Contatos da agenda geral

Para inserir um contato que já esteja cadastrado na Agenda geral, clique em . Será apresentada a tela com a tabela contendo Nome e Número dos contatos. Selecione o checkbox dos contatos que deseja inserir na tabela de envio de SMS ou selecione o checkbox Selecionar todos. Após selecionar os contatos, clique em ou, se quiser cancelar a inserção, clique em Cancelar.

Grupos de contatos

Para inserir um grupo de contatos, clique em . Para criar um novo grupo de contatos, clique em . Será apresentada a tela com a tabela contendo Nome e Número dos contatos. Selecione o checkbox dos contatos que deseja inserir no grupo de contatos ou o checkbox Selecionar todos. Após selecionar os contatos, clique em ou, se quiser cancelar a criação do novo grupo de contatos, clique em Cancelar.

Enviar SMS

Após inserir os contatos desejados utilizando-se de uma das formas anteriormente apresentadas, preencha a mensagem no campo Mensagem de texto e clique em . A coluna Estado do último envio apresenta o estado do processo de envio da mensagem SMS.

A placa tronco GSM/3G permite o envio de SMS por 6 meios:

  • » Via VF10
  • » Via mesa virtual
  • » Ramais digitais conectados a terminais TI 5000;
  • » Ramais IP conectados a terminais TIP 210, TIP 300, TIP235G, TIP435G, TIP638V;
  • » Via MobiliTI.
  • » Via programador
  • » cURL

1. Certifique-se de que pelo menos um chip GSM ou GSM/3G esteja registrado na operadora e possua o serviço de envio de SMS habilitado.

2. A placa tronco GSM ou GSM/3G deve estar configurada em Disposição de placas.

3. Pelo menos um tronco GSM ou GSM/3G deve estar configurado para enviar SMS. A configuração está localizada em Tronco GSM/3G > Configurações básicas > SMS > Envia SMS.

4. Limite de caracteres por SMS: 155 para placa GSM/3G e 120 para placa GSM. Se houver os dois tipos de placa na mesma central o limite será considerado o menor (120 caracteres).

Envio de SMS via cURL

Pode-se utilizar o software “CURL” para enviar o sms via URL. Este software é gratuito e pode ser baixado da internet. Para utilizá-lo, basta abrir uma janela de comandos do Windows, selecionar o diretório onde está localizado o software CURL e executar o comando descrito abaixo:

Curl.exe--http1.0-k--cookie"i18bext=pt-BR&senha=SENHA_WEB&username=USUARIO_WEB"--data"evento=salvar&numeroDestino=NUMERO_DESTINO&mensagem=MENSAGEM_SMS" https://IP_EQUIPAMENTO/sistemaEnviarSMS.htm

Onde:

  • » IP_EQUIPAMENTO: IP da central telefônica que enviará o SMS.
  • » NUMERO_DESTINO: número para o qual se deseja enviar o SMS.
  • » MENSAGEM_SMS: texto a ser enviado no SMS com no máximo 160 caracteres.
  • » SENHA_WEB: senha que o usuário usa para se logar via WEB.
  • » USUARIO_WEB: login que o usuário usa para se logar via WEB.

» Para enviar SMS, além dos telefones acima, é necessário que o ramal e juntor GSM tenham categoria.

» As mensagens armazenadas no SIM card serão excluídas periodicamente de forma automática.

» É possível enviar até 600 mensagens SMS simultaneamente via Programador Web.

Rotas e feixes

Permite visualizar e cadastrar as rotas e feixes que serão usados pelos ramais para originar chamadas externas.

Rotas

Esta facilidade permite que os ramais possam acessar um ou mais troncos através de um número de acesso. Por padrão, a rota 0 já estará cadastrada e é apresentada na tabela.

Nova rota

Para criar uma nova rota, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Selecione no menu Nome uma das opções disponíveis: Rota 1 a 8. No menu Tipo selecione Especial ou Dedicada (sem categoria). O campo Acesso define quais dígitos deverão ser discados para selecionar a rota. Por padrão estará preenchido de acordo com o nome da rota. Por exemplo, se a rota 6 estiver sendo criada, então o campo Acesso estará preenchido com o valor 86. Pode ser alterado para qualquer valor contendo os dígitos 0-9, * e #, (máximo de 7 dígitos) e não deve ser igual ao valor de um comando, nome de ramal/tronco, ou número de acesso a grupo de ramais. O checkbox subsistema por padrão não estará selecionado. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar as alterações, clique no ícone .

Editar rota

Para editar uma rota, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir rota

Para excluir uma rota, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Será solicitada a confirmação da exclusão. Clique em para excluir ou em para não excluir.

A rota 0 é padrão do PABX e não poderá ser excluída.

Feixes

Os feixes são conjuntos de troncos que serão usados pelos ramais para originar chamadas.

Na tela Disposição de placas, ao inserir uma placa 1E1 com pelo menos 1 canal, o feixe Digital_L1 será automaticamente criado e apresentado na tabela. Ao inserir uma placa 2E1 com pelo menos um canal para cada link, serão automaticamente criados e apresentados na tabela os feixes Digital_L1 e Digital_L2. Ao inserir uma placa codec VoIP de 10 ou 60 canais com pelo menos 1 tronco, será automaticamente criado e apresentado na tabela o feixe Matriz-filial.

Novo feixe

Para criar um novo feixe, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para o novo feixe, que deverá ser diferente dos já cadastrados. No menu Tipo selecione uma das opções: Analógico, Digital ou GSM/3G. As opções de Tipo somente são apresentadas se as placas correspondentes estiverem configuradas na tela Disposição de placas. A tabela abaixo apresentará os troncos disponíveis de acordo com a opção selecionada em Tipo. A coluna Tronco apresenta o nome do tronco; a coluna Tronco associado contém o checkbox que permite selecionar o(s) tronco(s) e, dessa forma, associar o(s) tronco(s) ao novo feixe. Se o(s) tronco(s) estiver(em) associado(s) a outro feixe já cadastrado, o checkbox estará selecionado e desabilitado, não sendo possível alterá-lo. A coluna Feixe atual apresenta o nome do feixe que está usando o tronco. Se quiser associar esse tronco ao novo feixe, é necessário editar o feixe informado e remover o(s) tronco(s) para que então esteja liberado para ser usado em outro feixe. Após selecionar um ou mais troncos, clique em , ou clique em para cancelar a criação do novo feixe.

Editar feixe

Para editar um feixe, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Na tela que será aberta, faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir feixe

Para excluir um feixe, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Os feixes Digital_L1, Digital_L2 e Matriz-filial serão automaticamente removidos se as placas ou os canais/troncos forem removidos na configuração na tela Disposição de placas.

Feixes do sistema

São feixes usados pelo sistema, para situações em que o usuário não disca a rota para fazer uma chamada, como por exemplo, código de conta ou chamada de emergência.

É necessário ter feixes criados em Feixes. A opção do feixe Matriz-filial não será exibida em Feixes do sistema, apenas os feixes que podem ter interligação direta com a rede de telefonia pública.

Editar feixes do sistema

Para cada rota cadastrada será apresentado um registro na tabela contendo a coluna Rota que apresenta o nome da rota. Na rota desejada, selecione no menu Principal uma das opções de feixes cadastrados, com exceção do feixe Matriz-filial. Nas colunas seguintes, Alternativo 1 a 8, selecione os feixes que serão usados na sequência, caso o anterior não possa ser alocado para originar uma chamada. Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Códigos e prefixos

Permite visualizar e cadastrar as operadoras e prefixos usados para originar chamadas externas.

Código de área

Define o código de área que o PABX deve usar. Por padrão, o campo Código de área estará vazio. Se necessário, preencha o campo com o código de área da localidade em que o PABX se encontra e clique em para aplicar a configuração à central.

Códigos de Seleção de Prestadora

O Código de Seleção de Prestadora (CSP) é um conjunto de dois dígitos, que permite ao usuário da telefonia móvel ou fixa escolher a prestadora para realizar chamadas de longa distância nacional (LDN) e internacional (LDI). Por padrão, a central já possui o cadastro dos principais CSPs das operadoras.

Novo CSP

Para criar um novo CSP, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha os campos Nome e Código de seleção. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar as alterações, clique no ícone .

Editar CSP

Para editar um CSP, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Clique no ícone para aplicar as alterações ao PABX.

Excluir CSP

Para excluir um CSP, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Será solicitada a confirmação da exclusão. Clique em para excluir ou em para não excluir.

Importar

Para importar um backup contendo registros de CSP, clique em . Na tela que será aberta, clique em no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado TAB_NOME_OPERADORA.tab. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de importação será iniciado e poderá levar alguns segundos para ser concluído. Ao finalizar, os registros serão apresentados na tabela.

Exportar

Para exportar os registros de CSP cadastrados, clique em . Será apresentada a janela do navegador e haverá a opção de salvar o arquivo.

Prefixos

Prefixos são utilizados para identificar o tipo de chamada. Uma chamada telefônica pode ser classificada, por exemplo, como nacional, internacional, a cobrar, entre outros tipos.

Novo prefixo

Para criar um novo prefixo, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Prefixo com o código do prefixo. Ao lado do campo, passe o mouse sobre o ícone e, se precisar, clique sobre as opções apresentadas: CSP e/ou caracteres úteis para o novo prefixo. No menu Acesso, selecione uma das opções de categoria, entre as seguintes: Internacional, Nacional, Regional, Local, Celular internacional, Celular nacional, Celular regional, Celular local, Auxiliar 1 a 8 ou Bloqueio total. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Padrão de fábrica

Para retornar os registros de prefixos ao padrão de fábrica, clique em . Será solicitada a confirmação da operação, pois os prefixos inseridos e/ou alterados serão excluídos. Clique em para retornar ao padrão de fábrica ou em para descartar a operação.

Importar

Para importar um backup contendo registros de prefixos, clique em . Na tela que será aberta, clique em no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado TAB_CAT_PREFIXO.tab. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de importação será iniciado e poderá levar alguns segundos para ser concluído. Ao finalizar, os registros serão apresentados na tabela.

Exportar

Para exportar os registros de prefixos cadastrados, clique em . Será apresentada a janela do navegador e haverá a opção de salvar o arquivo.

Discagem rápida em tronco voip

Em juntor IP, agiliza o envio do número discado para a operadora caso o usuário não digite o finalizador de discagem '#'. Sem esta facilidade, o pabx aguarda 4 segundos para entender que o usuário parou de digitar e então envia o número para a operadora. O pabx analisa os dígitos discados pelo usuário no ramal e compara com os valores incluídos na tabela. Caso o número discado completo coincida com um dos valores incluídos na tabela, em tipo e quantidade, o finalizador de número '#' é incluído na discagem, finalizando o número discado.O pabx aceita números e o caracter '?' significando qualquer número. Por exemplo, ligações locais para celular possuem uma entrada 9????????, indicando que o número deve começar com 9 e deve possuir um total de 9 digitos.A análise somente é feita após a seleção do juntor, o que ocorre após a análise da rota discada ou conversão de saída ou outra forma de seleção do juntor.

Conversões numéricas de saída / entrada

Permitem visualizar e criar regras de conversão dos números discados em chamadas originadas e recebidas.

Conversões numéricas de saída

Conversões de saída permitem, por exemplo, que um número discado pelo usuário em uma chamada originada externa, usando um CSP qualquer, seja alterado para que utilize sempre o CSP da operadora com a qual a empresa tenha contrato, garantindo, dessa forma, o menor custo em todas as chamadas de longa distância.

Nova regra

Para criar uma nova regra de conversão de saída, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Número a ser convertido um número fixo ou uma estrutura genérica para atender a vários números discados, obedecendo a um mesmo tipo de chamada. No campo Número convertido, digite o número resultante da conversão. Ao lado desses dois campos, passe o mouse sobre o ícone e, se precisar, clique sobre as opções apresentadas: CSP e/ou caracteres úteis para auxiliar na montagem da sintaxe. Selecione o checkbox das rotas que farão uso dessa regra ou selecione o checkbox Todas as rotas. Se não precisar incluir seleção automática de feixe, clique em para aplicar as alterações ao PABX ou, se quiser cancelá-las, clique em .

Seleção automática de feixe

A seleção automática de feixe permite que feixes específicos sejam usados para um número convertido. Por exemplo, caso a empresa tenha planos de telefonia móvel com diferentes operadoras, então usará sempre o feixe que possua troncos GSM ou GSM/3G com a operadora mais vantajosa com base no número convertido, se for do tipo chamada para celular. Por padrão, não há seleção automática de feixe cadastrada.

Nova regra

Para criar uma nova regra de seleção automática de feixe, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Posição selecione a posição dessa regra, sendo os valores de 1 a 3. No campo Número convertido digite o número resultante da conversão. Ao lado desse campo, passe o mouse sobre o ícone e, se precisar, clique sobre as opções apresentadas: CSP e/ou caracteres úteis para auxiliar na montagem da sintaxe. No menu Feixe selecione um dos feixes apresentados. No menu Ramais que obedecem à regra, selecione quais ramais devem obedecer à regra. A opção Com fidelidade, quando selecionada, fará com que os ramais que possuam o checkbox Com fidelidade à regra de seleção automática de feixe selecionados obedeçam à regra. A opção Quebra fidelidade, quando selecionada, fará com que os ramais que possuam o checkbox Fidelidade à regra de seleção automática de feixe não selecionados obedeçam à regra. A opção Todos fará com que, tanto os ramais que possuam o checkbox selecionado quanto os que não possuam, obedeçam à regra. Por padrão, todos os ramais possuem o checkbox selecionado. Essa configuração está localizada em Ramais > Ramal > Originar chamadas > Geral > Com fidelidade à regra de seleção automática de feixe. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou, se quiser cancelá-las, clique em

1. Se o tipo de chamada originada pelo ramal atender à regra de seleção automática do feixe e o ramal estiver programado para obedecer à regra, então os feixes configurados no próprio ramal não serão usados, mesmo que nenhum tronco do feixe configurado na regra esteja disponível.

2. Se a seleção automática de feixe possuir uma regra para ramais não selecionados e o ramal que está originando a chamada não estiver programado para obedecer à regra, caso o tronco associado ao feixe esteja ocupado, será feita uma tentativa de alocar algum tronco do feixe principal do próprio ramal para originar a chamada. Essa configuração fica em Ramal > Originar chamadas > Feixe de saída

3. A quantidade de dígitos após a conversão, incluindo o número externo, é limitada em 24 dígitos. Exemplo para número externo 0214832595935 > conversão : 4000@#89123456? será convertida para 4000@#891234560214832595 excluindo o 935 final

Editar regra

Para editar uma regra de seleção automática de feixe, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir regra

Para excluir uma regra de seleção automática de feixe, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Para excluir todos os registros de uma vez, clique em

Regras básicas

Este assistente permite criar as regras de conversão numérica de saída mais comuns.

Selecione pelo menos um dos checkboxes a seguir: Celular local, Celular DDD, Fixo local ou Fixo DDD. Se a opção Celular DDD e/ou a opção Fixo DDD forem selecionados, será habilitado o checkbox Usa CSP da operadora. Caso seja selecionado, será habilitado o menu Operadora, que contém como opções os principais códigos de seleção de prestadoras e o nome da operadora de telefonia. No menu Utilizar feixe, escolha uma das opções de feixes disponíveis.

Importar

Para importar um backup contendo registros de conversão numérica de saída, clique em . Na tela que será aberta, clique em no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado TAB_CONV_SAIDA.tab. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de importação será iniciado e poderá levar alguns segundos para ser concluído. Ao finalizar, os registros serão apresentados na tabela.

Exportar

Para exportar os registros de conversão numérica de saída cadastrados, clique em .Será apresentada a janela do navegador oferecendo a opção de salvar.

Conversões numéricas de entrada

Nova regra

Para criar uma nova regra de conversão de entrada, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Número a ser convertido um número fixo ou uma estrutura genérica para atender a vários números discados, que obedeça a um mesmo tipo de chamada. No campo Número convertido, digite o número resultante da conversão. Passe o mouse sobre o ícone , que fica ao lado desses dois campos e, se precisar, clique sobre as opções apresentadas: CSP e/ou caracteres úteis para auxiliar na montagem da sintaxe. Selecione o checkbox dos feixes que farão uso dessa regra ou selecione o checkbox Todos os feixes.

Excluir regra

Para excluir uma regra de conversão de entrada, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Roteamento

Permite visualizar e criar regras de roteamento de chamadas originadas e/ou recebidas.

Atendimento pelo número chamador

Com base no número de identificação de uma chamada recebida, permite definir qual será o ramal atendedor dessa chamada ou até mesmo não a atender.

Novo número

Para criar um novo número, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Número chamador com o número de identificação da chamada recebida. No menu Atendedor, selecione uma das opções: DISAs, Arquivos de áudio, Grupos de ramais ou Ramais. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encerrada. Se a opção escolhida em Atendedor for diferente de Não atender, será habilitado o menu Tipo de ring, que permitirá selecionar um tipo de ring personalizado para facilitar a identificação dessa chamada: Aviso, Entrante, Interna, Rechamada, Transf. ext., Despertador, Porteiro, Conf. agendada, Def. usuário, Mensagem, Ref. padrão. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar número

Para editar um número, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir número

Para excluir um número, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Obs.: chamadas recebidas pelo juntor analógico não são bloqueadas pela função Black list.

Chamada de emergência

Permite configurar até 3 números internos ou externos ao PABX, que podem ser utilizados para chamar o setor de segurança da empresa ou a própria polícia, através de 3 números que podem ser facilmente memorizados. Quando a chamada for atendida pelo destino, será reproduzida a mensagem gravada Chamada de emergência e o canal de áudio será ativado como em uma chamada normal.

Por padrão, a Emergência 1, tendo o primeiro ramal do plano de numeração como atendedor, já estará cadastrada e é apresentada na tabela. Consulte os comandos para originar chamadas de emergência no manual Operações com ramais > Originar chamadas > Internas > Chamada de emergência.

Nova emergência

Para criar uma nova emergência, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. A coluna Nome apresenta o nome da emergência: Emergência 1 a 3. No menu Atendedor, selecione uma das opções: Número externo, Grupos de ramais ou Ramais. Se a opção escolhida em Atendedor for Número externo, então serão habilitados o menu Rota e o campo Número externo. Selecione a rota que esse tipo de chamada irá utilizar e o número externo para o qual a chamada será direcionada. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar emergência

Para editar uma emergência, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir emergência

Para excluir uma emergência, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

A Emergência 1 é padrão da central e não poderá ser excluída.

Consulta à portabilidade numérica

A portabilidade numérica é uma facilidade que possibilita ao cliente de serviços de telefonia fixa e móvel manter o número do telefone, independentemente da operadora do serviço a que esteja vinculado. Até o início de 2009 era possível identificar a qual operadora os números pertenciam apenas pelos dígitos iniciais. Para criar rotas de menor custo nas centrais PABX, bastava gerar regras estáticas na conversão numérica de saída. Mas, naquele mesmo ano, quando a portabilidade numérica entrou em vigor, essas regras passaram a ser ineficazes no que diz respeito a efetuar todas as chamadas com o menor custo possível. Então surgiram empresas que oferecem o serviço de consulta à portabilidade numérica. Essas empresas possuem acesso a um banco de dados que contém informações da operadora que está atualmente associada a um número. Nesse caso, quando a central fizer uma requisição a um desses servidores, informando o número desejado, o servidor consultará o banco de dados e retornará um código RN1, que é o código identificador de cada operadora.

Nessa tela será possível cadastrar apenas qual feixe da central será usado de acordo com o código RN1 retornado pelo servidor de consulta à portabilidade numérica. A conexão com esses servidores, para fazer a requisição e obter a resposta, deve ser feita em Troncos > IP > Operadora > Configurações avançadas > Portabilidade.

Antes de configurar a consulta à portabilidade, é necessário que o código de área esteja configurado em Troncos > Operadoras e prefixos > Código de área.

Nova regra

Para criar uma nova regra de associação operadora - feixe -, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Preencha o campo Nome com o nome dessa regra. No campo Código RN1, digite o código de identificação da operadora. Se precisar, ao lado desse campo passe o mouse sobre e clique sobre as opções de códigos das principais operadoras apresentadas. No menu Código da operadora, selecione um dos códigos de seleção de prestadora. No menu Feixe, selecione um dos feixes disponíveis. Clique no ícone para salvar esse registro no PABX ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone .

Editar regra

Para editar uma regra de associação operadora - feixe -, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir regra

Para excluir uma regra de associação operadora - feixe, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Monitoramento

Permite visualizar o estado dos troncos, das operadoras IP e suas contas.

Troncos

Na parte superior, há filtros para facilitar a visualização dos estados dos troncos, principalmente se a central possuir muitos deles. Por padrão, todos os troncos e estados serão apresentados. No menu Tronco, selecione um tronco específico. No grupo de filtros Tipo, deixe selecionado(s) apenas o(s) tipo(s) de tronco(s) desejado(s): analógico, digital, IP e GSM. No grupo de filtros Estados, deixe selecionado(s) apenas o(s) tipo(s) de estado desejado(s): Originadas, Recebidas, Estacionadas, Livres, Bloqueados e Indisponíveis. Abaixo dos filtros há o checkbox Pausa para manutenção, caso selecionado irá habilitar o bloqueio para todos os troncos do sistema, no entanto, os troncos que possuem chamadas em andamento serão bloqueados apenas após o término da chamada.

Abaixo dos filtros, é apresentado um bloco para cada tronco configurado na central. Cada bloco apresenta o nome do tronco, e o estado. Quando o tronco estiver em uma chamada, tanto originada quanto recebida, serão apresentados o nome do ramal, o número externo e o tempo de duração. Ao passar o mouse sobre o nome do tronco, serão exibidas mais informações, de acordo com o tipo. Por exemplo, para troncos GSM, serão apresentados os níveis de sinal. Para troncos analógicos e GSM o slot/posição.

Operadoras IP e suas contas

Apresenta os estados de conexão e o registro das contas IP com a operadora IP.

O campo Última atualização apresenta data e hora em que os dados foram atualizados pela última vez. Clique em Atualizar para atualizar as informações. A tabela abaixo apresenta as informações de cada operadora e suas contas associadas. O campo Operadora apresenta o nome da operadora. O campo Estado da operadora, o estado da conexão, ou seja, indica se há comunicação entre a central e a operadora IP. O campo Conta apresenta a identificação da conta e o campo Estado da conta indica se a conta está registrada ou não no servidor.

RAMAIS

Ramal, em uma rede de telefonia privada (PABX), refere-se a cada porta física (analógica ou digital) e lógica (IP) que permite a conexão de um terminal telefônico ou softphone. Esses terminais poderão ser usados de forma privada ou compartilhados entre mais pessoas para originar e receber chamadas de/para outros ramais do PABX ou números na rede de telefonia pública. O nome deve-se à analogia com os ramos de uma árvore: a chamada entra na central por um tronco (que é a interligação com a rede de telefonia pública ou outra central privada) e é direcionada aos ramos (ramais), que funcionam como linhas telefônicas internas no ambiente atendido pela central.

Ramais

A tabela apresenta os ramais que a central possui. Na tela Disposição de placas, ao inserir placas de ramais analógicos ou digitais, os ramais serão criados automaticamente, na quantidade máxima suportada por cada placa inserida, e serão apresentados na tabela. Ao inserir a placa codec VoIP, os ramais IP não serão criados automaticamente. Para cadastrar os ramais IP, analógicos ou digitais, que por algum motivo tenham sido excluídos, siga o procedimento descrito em Novo ramal.

Cada linha da tabela apresenta um ramal com as informações descritas a seguir. O campo Número apresenta o número de identificação do ramal. O campo Slot-posição apresenta a placa em que o ramal se encontra e a posição do ramal, no formato SS-PP, em que SS indica o número do slot e PP, a posição. Para ramais analógicos e digitais, indica a posição física da porta, e para ramais IP, o slot virtual 32, seguido da posição. Exemplo: 32-01. O campo Tipo apresenta o tipo tecnológico do ramal, que pode ser Analógico, Digital ou IP. O campo Atendedor indica se o ramal está configurado com Pré-atendimento automático de ramal. Se estiver, será apresentado o ícone . Ao posicionar o mouse sobre esse ícone, será apresentada a informação Possui. Clicando sobre ele, será aberta a tela de configuração de Pré-atendimento. O campo Desvios indica se o ramal está configurado com algum tipo de desvio. Se estiver, será apresentado o ícone . Ao posicionar o mouse sobre ele, será apresentada a informação dos tipos de desvio; o tipo que estiver ativo estará destacado na cor branca. Clicando neste ícone, será aberta a tela de configuração de Desvios. O campo Correio de voz indica se o ramal está consumindo uma das licenças de correio de voz. Se estiver, será apresentado o ícone . Ao posicionar o mouse sobre ele, será apresentada a informação Possui. Clicando sobre ele, será aberta a tela de configuração de Correio de voz. Caso o ramal não possua Pré-atendimento, Desvio ou Correio de voz ativos, será apresentado o ícone-padrão que indica que a funcionalidade não está configurada . O ícone Copiar , quando clicado, apresentará a tela Copiar configurações. O ícone Excluir , quando clicado, irá excluir o ramal.

Novo ramal

Para cadastrar um novo ramal IP, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Número um número de identificação para o novo ramal. É obrigatório e não pode ser igual ao de outro ramal, tronco, comando ou acesso à rota, grupo de ramais, entre outros. Por padrão, estará preenchido com o número seguinte ao do último ramal cadastrado. No menu Tipo, selecione a opção IP. No campo Senha de registro digite uma senha para o ramal observando a indicação da Força da senha, que será considerada forte se houver, pelo menos: um número, um caractere especial, uma letra minúscula e uma maiúscula.

É recomendada a alteração da senha-padrão para evitar que pessoas mal-intencionadas ou softwares maliciosos, via rede privada ou internet, se registrem nesses ramais e façam chamadas indesejadas.

Se deseja cadastrar um ramal analógico ou digital, caso tenham sido excluídos e haja posição vaga, no menu Tipo, selecione as opções Analógico ou Digital e nos menus Slot e Posição selecione o slot, ao qual o novo ramal será associado, e a posição da placa. O menu Posição estará vazio caso não haja posições livres.

Para salvar o novo ramal, clique em , ou clique em para cancelar a criação do novo ramal.

Renomear ramais

Caso deseje alterar o plano de numeração da central, essa função permite que vários ramais sejam alterados de uma vez.

Digite no campo Ramais iniciados com os dígitos iniciais comuns a todos os ramais que deseja alterar. No campo Iniciarão com, os novos dígitos iniciais desejados. Exemplo: se deseja alterar a faixa de numeração 2xxx para 3xxx, preencha o primeiro campo com 2 e o segundo com 3. Para efetuar a alteração, clique em , ou clique em para descartá-la.

Substituição de atendedor

Ao clicar no ícone para excluir um ramal que está configurado como atendedor de algum tronco, acessório ou outra funcionalidade, será aberta a tela Substituição de atendedores. Nela, serão listados os troncos dos quais o ramal é atendedor e/ou as facilidades em que o ramal é utilizado. Caso exista outro ramal na central, será apresentado no menu Ramal substituto. Selecione o ramal e clique em .

Configurações do ramal

Para acessar as configurações de um dos ramais, clique na linha correspondente ao ramal desejado. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de ramais. Próximo a esse link há um menu de opções que indica qual ramal está sendo visualizado e permite trocá-lo por outro, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de ramais.

Configurações básicas

Esse grupo reúne as configurações básicas que, na maioria dos cenários, serão suficientes para que o ramal possa originar e receber chamadas internas.

Geral

O campo Número apresenta o número de identificação do ramal, que deve ser discado por outros ramais que queiram originar chamadas para ele. No campo Nome, digite um nome que será associado ao número do ramal, facilitando assim sua identificação em ramais que irão receber a chamada (como ramais digitais por exemplo) e no relatório de bilhetagem. Por padrão, estará vazio e os caracteres aceitos são as letras a-z, * e #. Os menus de opções Slot e Posição, para ramais analógicos e digitais, apresentam a posição física da porta à qual esse ramal está associado e, para ramais IP, o slot virtual 32 seguido da posição. O checkbox Ramal operadora, quando selecionado, define que esse ramal poderá executar comandos de administração do sistema. Esses comandos podem ser consultados no manual de Operações com ramais. O checkbox Origina e recebe chamada interna, quando selecionado, permite que o ramal origine e receba chamadas internas. Por padrão, está selecionado para todos os turnos. Para impedir que dois ramais originem/recebam chamadas entre si, certifique-se de que nenhum deles esteja selecionado. O checkbox Origina chamada para grupo, quando selecionado, permite que o ramal origine chamada para grupos de ramais. Por padrão está selecionado para todos os turnos. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Senha

O campo Senha de programação via teclado, quando preenchido, define a senha que deverá ser digitada nos comandos que a solicitarem. Por padrão, não está preenchido. O checkbox Obrigatória para programar, quando selecionado, faz com que a senha tenha de ser digitada em todos os comandos que tiverem [senha ramal]. Caso o ramal seja IP, será apresentado também o campo Senha de registro. Recomenda-se que o valor preenchido contenha, pelo menos, 1 letra minúscula, uma letra maiúscula, um número e um caracter especial. O campo Força da senha exibirá a mensagem Forte caso esse requisito mínimo seja cumprido, caso contrário será exibido o valor Fraco. A senha poderá conter até 49 caracteres. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Identificação

O checkbox Envia ID do DDR E1 e VoIP, quando selecionado (padrão), faz com que o ramal envie, ao originar uma chamada externa, a identificação do DDR associado a ele na tabela de DDR do E1 ou da conta indicada na tabela de contas da operadora IP. Se o ramal não possui um DDR ou uma conta associada, será enviada a identificação do piloto. O checkbox Mostra ID da chamada externa retida em consulta, quando selecionado (padrão), faz com que o ramal que está sendo consultado por um ramal que recebeu uma chamada externa, receba a identificação do número externo e do ramal que o está consultando.

Mostra DDR ou o apelido do atendedor: As ligações recebidas via juntor E1 por ramais digitais mostram o DDR e o número de origem da ligação, separados por '#'. Caso o DDR tenha um apelido cadastrado, o apelido será mostrado no lugar do DDR. Se o campo estiver desabilitado, somente o número de origem é mostrado.

Caso o ramal seja analógico, serão apresentados também os campos que serão descritos a seguir. O checkbox Mostra ID de chamadas internas, quando selecionado (padrão), faz com que o ramal mostre a identificação de chamadas recebidas de outros ramais. O checkbox Mostra ID de chamadas externas, quando selecionado (padrão), faz com o ramal mostre a identificação de chamadas recebidas de números externos. O menu Sinalização define o protocolo de sinalização que será usado para identificação das chamadas em telefones analógicos. Apresenta as opções Sem identificação, DTMF (padrão), FSK Bell, FSK V.23 MDMF e FSK V.23 SDMF. Caso a opção DTMF esteja selecionada, os campos a seguir serão habilitados para edição. O menu Início da identificação DTMF define o caractere de início. Apresenta as opções A (padrão), B, C, D, * e #. O menu Fim da identificação DTMF define o caractere fim. Apresenta as opções A, B, C (padrão), D, * e #. O checkbox Identificador DTMF requer categoria, por padrão estará selecionado. O menu Duração do dígito DTMF apresenta as opções 10 a 500, de 5 em 5, sendo 75 o padrão. O menu Pausa interdigital apresenta as opções 10 a 500, de 5 em 5, sendo 75 o padrão. O menu Pausa antes do ring apresenta as opções 100 a 1000, de 10 em 10, sendo 200 o padrão. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Receber chamadas

Esse grupo reúne configurações mais específicas para receber chamadas internas e/ou externas.

Geral

O checkbox Não perturbe, quando selecionado, fará com que o ramal não receba chamadas. O checkbox Recebe e captura externas, quando selecionado (padrão), define que o ramal pode receber chamadas externas e também capturar chamadas externas recebidas em outros ramais. O checkbox Direta da DISA, quando selecionado (padrão), define que o ramal poderá receber chamada direta da DISA. O checkbox A cobrar, quando selecionado (padrão), define que o ramal poderá receber chamadas a cobrar. O checkbox Obedece filtro ANI, quando selecionado (padrão), define que o ramal obedecerá à configuração do filtro ANI, se estiver habilitado, em Troncos > Digital E1 > Filtro ANI. O checkbox Atende por comando, quando selecionado, fará com que o ramal possa retirar o monofone do gancho e tenha tom para discar, mesmo quando estiver recebendo uma chamada. Para atender à chamada, deve-se digitar um comando, que pode ser visualizado no manual Operações com ramais > Receber chamadas > Atendimento por comando. O menu Duração máxima recebida externa (min) define a duração máxima de uma chamada recebida externa. Apresenta as opções Ilimitado (padrão) e 1 a 59. A seguir, são apresentadas categorias que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Interna condicionada, quando selecionado, define que o ramal poderá receber chamadas de outro ramal que esteja com o checkbox Interna condicionada - para Originar chamadas - selecionado. O checkbox É capturado, quando selecionado (padrão para os dois turnos), define que outros ramais poderão capturar chamadas que um determinado ramal esteja recebendo. O checkbox Estaciona, quando selecionado (padrão para os dois turnos), define que o ramal poderá executar comando para estacionar chamadas. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Pré-atendimento

Se deseja configurar um pré-atendimento para chamadas externas, na linha Automático de ramal, no menu Atendedor, selecione uma das opções apresentadas: DISA, MSG, Grupos de ramais ou Ramais. Caso a opção selecionada seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será encaminhada ao ramal. No menu Transferência, selecione Chamada não atendida, caso queira que o pré-atendimento seja efetuado apenas para chamadas não atendidas, ou selecione Sempre, caso queira que o pré-atendimento seja sempre efetuado. Na linha Transferência automática do FAX, no menu Atendedor, selecione uma das opções apresentadas: Grupos de ramais ou Ramais. No menu Transferência, selecione a opção Chamada não atendida, caso queira que o pré-atendimento seja efetuado apenas para chamadas não atendidas, ou selecione Sempre, caso queira que o pré-atendimento seja sempre efetuado. Por padrão, nenhum dos dois tipos de pré-atendimento está habilitado. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Fila

O menu Posições, define a quantidade máxima de chamadas que poderão aguardar por atendimento na fila. Apresenta as opções de 0 a 20, sendo 4 o padrão. O menu Sinalização, define a sinalização que o ramal receberá quando estiver em uma chamada e outra chamada aguardando na fila. Apresenta as opções Sem bipe, Bipe atd. ext, Bipe ch-sec, Bipe cha. econ., Bipe confer., Bipe cti rec., Bipe emergência, Bipe espera, Bipe intercala, Bipe porteiro, Bipe rec. fila (padrão), Bipe retida, Bipe pêndulo. O menu Sinalização para o originador define a sinalização que o originador da chamada receberá enquanto aguarda por atendimento na fila. Apresenta as opções Nenhuma, Tom chamada retida, Música interna 1 (padrão), 2, 3, e 4, Música externa 1 e Música externa 2 para os modelos UnniTI 2000/3000. Para as músicas internas de 2 a 4, se for selecionado uma destas mas não enviar o arquivo de áudio, tocará a música padrão. O checkbox Música para externas, quando selecionado, define se o originador externo, que já foi atendido previamente, receberá música enquanto aguarda por atendimento na fila. No caso de tronco E1, dependendo da operadora, o originador receberá a música externa mesmo não tendo sido previamente atendida O checkbox Prioriza não atendidas, quando selecionado, fará com que seja priorizado o atendimento das chamadas externas que estão na fila e que ainda não foram atendidas. O checkbox Externas, quando selecionado (padrão), define que a fila está habilitada para chamadas externas. O checkbox Internas, quando selecionado (padrão), define que a fila está habilitada para chamadas internas. O menu Chamada retida (s) define o tempo máximo que a chamada permanece retida a partir do momento que o ramal executa o comando de retenção da chamada. Apresenta as opções de 5 a 90, sendo 15 o padrão. O campo Obedece tempo de retorno de chamada transferida da origem, existente tanto em ramais como grupos, permite que uma chamada externa transferida para o grupo ou ramal permaneça na fila por um tempo diferente do tempo normal de permanência na fila deste ramal ou grupo. Se este campo não estiver habilitado, o tempo de fila é o tempo especificado para este ramal (5 minutos configurado em Sistema/Temporizações) ou para este grupo. Se estiver habilitado, o tempo é defindo pelo campo Tempo de retorno de chamada transferida do ramal que transferiu a ligação. O campo Tempo de retorno de chamada transferida existente somente em ramais, especifica o tempo que uma ligação, que este ramal transferiu para outro ramal ou grupo, pemanece na fila antes de retornar. Se o valor deste campo for zero, o tempo de retorno será definido pelo ramal ou grupo destino.Se for diferente de zero, este valor é utilizado, mas depende da programação do campo Obedece tempo de retorno de chamada transferida da origem do destino. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Desvios

Os checkboxes Desvio externo de chamadas internas e Desvio externo de chamadas externas, quando selecionados, habilitam a opção de programação de desvio para número externo quando a chamada for recebida de números internos e/ou externos. O checkbox Permite programar desvio para correio pelo terminal, quando selecionado, define que o ramal poderá executar o comando de programação de desvio para correio pelo terminal. A seguir, é apresentada a tabela para programação dos desvios. Cada linha da tabela apresenta um tipo de desvio. O tipo Sempre efetua o desvio assim que a chamada é originada para o ramal, independentemente do estado em que se encontra. O tipo Se não atende efetua o desvio ao atingir o tempo máximo para atendimento, que pode ser configurado no menu Tempo (s). Este apresenta opções de 5 a 80, sendo o padrão 15. O tipo Se ocupado efetua o desvio somente se o ramal estiver ocupado. O tipo Entrante direta efetua o desvio caso uma chamada externa seja recebida diretamente no ramal. Esse tipo de desvio não tem opção de número externo como destino. Para programar um desvio, no menu Destino, selecione uma das opções: Vazio (padrão), Número externo (apresentado somente se um dos checkboxes Desvio externo de chamadas estiver selecionado), Grupos de ramais, DISAs, MSGs, Correio e Ramais cadastrados. Caso a opção selecionada para os tipos Sempre e Se ocupado seja um dos arquivos de áudio, após a reprodução da mensagem, a chamada será finalizada. Caso a opção selecionada seja Número externo, então o menu Rota/Filial será habilitado para que seja selecionada uma opção, e o campo Número externo, para que seja digitado o número de destino. Na seção Desvio se não atende por turno é possível configurar desvios se não atende de acordo com o turno e a categoria da chamada: interna e externa. Ambas as categorias de chamadas recebidas Internas e Externas podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O menu Tempo (s), define o tempo máximo para que ocorra o atendimento antes de a chamada ser desviada. Apresenta as opções de 1 a 80, sendo 15 o padrão. O menu Turno 1 define o atendedor para o Turno 1. Apresenta como opções: Vazio (padrão), Correio, Grupos de ramais, DISAs, MSGs e Ramais cadastrados. O mesmo vale para a programação dos demais turnos. Caso a opção selecionada para os tipos Se não atende e Desvio se não atende por turno seja um dos arquivos de áudio, após o tempo programado no menu Tempo (s), a mensagem será reproduzida e a chamada será encaminhada ao ramal. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Callback

Antes de configurar o callback, é necessário que o código de área esteja configurado em Troncos > Códigos e prefixos > Código de área.

Novo callback

Para criar um novo callback, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Ramal, selecione o ramal desejado. No menu Rota, selecione a rota que será usada para efetuar a chamada, e no campo Número externo, o número de destino, que pode conter para um conjunto de números com um determinado prefixo, por exemplo: para qualquer número que comece com 4899, inclusive o 4899, ou que representa um dígito qualquer, por exemplo: para qualquer número que inicie com 4899661 , termine com 1 e tenha 11 dígitos. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar callback

Para editar um callback, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir callback

Para excluir um callback, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

O Callback funciona em troncos digitais, IP e GSM/3G.

Linha executiva

Permite que um número externo acesse o PABX, através de um dos troncos, e utilize o ramal para efetuar chamadas internas ou externas.

A opção Não programado, quando selecionada (padrão), fará com que o acesso externo ao ramal não seja permitido. A opção Com senha, quando selecionada, fará com que o acesso externo ao ramal seja permitido mediante autenticação via senha. A opção Sem senha, quando selecionada, fará com que o acesso externo ao ramal seja permitido sem a necessidade de autenticação via senha. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Atalho

Permite configurar um número alternativo para o ramal. Útil para ramais que necessitam de acesso rápido e, por isso, precisam ser facilmente memorizados, como o ramal da telefonista ou da portaria, por exemplo.

O campo Número apresenta o número alternativo que poderá ser usado para originar chamada para o ramal. Por padrão, apenas o primeiro ramal, 2000, terá esse campo preenchido com o número 9. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Originar chamadas

Esse grupo reúne configurações mais específicas com relação à originar chamadas internas e/ou externas.

Geral

O checkbox Tom de discar, quando selecionado (padrão), fará com que o ramal receba sinalização de tom de discar quando o monofone for retirado do gancho, esse campo está disponível apenas para ramais analógicos e digitais. O checkbox Obedece bloqueio de bilhetagem, quando selecionado, fará com que o ramal não origine chamadas se o buffer de bilhetagem estiver cheio. O checkbox Acesso direto a condomínio, quando habilitado, permite discagem direta via números do Condomínio, isto é, ao tirar do gancho e discar um número, este número é verificado diretamente nos números cadastrados na tela de condomínio. Neste modo, o ramal não tem acesso aos ramais ou outras facilidades da central. O checkbox Transfere tronco-tronco, quando selecionado, define que o ramal poderá executar uma consulta e transferir uma chamada que recebeu/originou de/para número externo para outro número externo. O menu Duração máxima originada externa (min) define a duração máxima de uma chamada originada externa. Apresenta as opções Ilimitado (padrão) e 1 a 59. O checkbox Enviar Session Progress enquanto chamando, disponível somente para ramais IP, quando selecionado, define que o ramal receberá o evento 183 Session Progress ao invés do evento 180 Ringing (que é enviado caso o modelo do telefone IP seja Intelbras com auto provisionamento). A seguir, são apresentadas categorias que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Acesso a ramal de outra central matriz/filial, quando selecionado (padrão para os dois turnos), define que o ramal poderá originar chamadas para outros ramais em outras centrais interligadas via tronco IP modo Matriz-filial. O checkbox Interna condicionada, quando selecionado, define que o ramal poderá originar chamadas para outro ramal que esteja com o checkbox Interna condicionada - para Receber chamadas - selecionado. O checkbox Acesso direto a tronco, quando selecionado, define que o ramal poderá acessar diretamente um dos troncos se for digitado o número de identificação. O checkbox Obedece desvio siga-me do ramal destino, quando selecionado (padrão), faz com que o ramal obedeça à programação de desvio do ramal para o qual originou a chamada. O checkbox Com fidelidade à regra de seleção automática de feixe, quando selecionado (padrão), fará com que o ramal obedeça às regras de seleção automática de feixe que possuírem o menu Ramais que obedecem à regra definidos com a opção Com fidelidade. O checkbox Acesso a busca pessoa, quando selecionado, define que o ramal poderá executar o comando para usar a função Busca-pessoa. O checkbox Permite criar roteamento temporário pelo chamador, quando selecionado, define que o ramal pode ser o atendedor de um determinado número por um tempo limitado, independentemente do tipo de juntor e das regras de atendimento existentes. O ramal pode definir um tempo de 1 hora até 99 horas. Após este tempo, o número passa a ser atendido pelas regras normais. Para verificar os comandos acesse o manual de operações com ramais. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Feixe de saída

Cada linha da tabela apresenta, para cada uma das Rotas, 8 menus de opções de feixes de saída, Feixe 1 a 8, que apresentam os feixes cadastrados em Troncos > Rotas e feixes > Feixes. Selecione uma das opções de feixe no menu Feixe 1. O menu Feixe 2 será então habilitado, permitindo selecionar um feixe diferente, o qual poderá ser usado pelo ramal quando o Feixe 1 estiver ocupado ou indisponível. O mesmo vale para os feixes 3 a 8. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Acesso externo

A tabela apresenta categorias de chamadas que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Selecionar todos, quando habilitado, seleciona todos os checkboxes das categorias. Os checkboxes Local, Regional, Nacional, Celular local, Celular regional e Auxiliar 8, quando selecionados (padrão para os dois turnos), definem que o ramal poderá originar chamadas nessas categorias. Os checkboxes Internacional, Celular nacional, Celular internacional, SMS e Auxiliar 1 a 7, quando selecionados, definem que o ramal pode originar chamadas nessas categorias. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Observação: Para bloquear/liberar o prefixo da região na categoria Regional, deve-se cadastrar o prefixo em Troncos > Códigos e Prefixos > Prefixos.

Cadeado

O checkbox Programa cadeado pelo teclado, quando selecionado (padrão), define que o ramal poderá executar comando via teclado para programar cadeado. Os checkboxes Celular internacional, Celular interurbano, Celular regional, Celular local, Internacional, Interurbano, Regional e Local, quando selecionados, definem que o ramal não poderá originar chamadas nessas categorias. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Hotline

O menu Tempo para executar a chamada (s) define o tempo que será aguardado para que a chamada possa ser originada automaticamente. Apresenta as opções Imediato e de 1 a 7, sendo 7 o padrão. Antes de atingir esse tempo, se for discado manualmente qualquer dígito ou uma sequência de dígitos, como um número de ramal ou um comando, a execução automática da chamada não será efetuada. O menu Destino define o destinatário da chamada. Apresenta as opções Vazio (padrão), Correio, Número externo, Grupos de ramais, Ramais. Caso a opção Número externo seja selecionada, então no menu Rota/Filial, selecione a rota que será usada para originar a chamada e, no campo Número externo, o número do destinatário. O checkbox Ramal de emergência, quando selecionado, fará com que a mensagem Chamada de emergência seja divulgada para o destinatário da chamada assim que ela for atendida. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Para Ramal IP, só funcionará com aparelhos da Intelbras compatíveis com auto provisionamento.

Funcionalidades

Conferência

A tabela apresenta categorias de chamadas que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Habilita conferência, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comandos para realizar conferência. O checkbox Habilita conferência agendada, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comandos para realizar agendamento de conferência. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Agenda

Na seção Agenda geral a tabela apresenta uma categoria que pode ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Acesso a contato com número privilegiado, quando selecionado, define que o ramal pode originar chamadas para contatos selecionados como número privilegiado. Na seção Agenda particular o checkbox Agenda particular, quando selecionado, habilita a agenda particular do ramal. O checkbox Alterar agenda pelo terminal, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comandos via teclado para alterar a agenda. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Novo contato

Para criar um novo contato, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Rota/Filial, selecione a rota que será usada para originar a chamada e no campo Número externo o número do destinatário. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar contato

Para editar um contato, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir contato

Para excluir um contato, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Rechamada

A tabela apresenta categorias de chamadas que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. Os checkboxes Interna e Externa, quando selecionados (padrão), definem que o ramal poderá executar comando de rechamada interna e/ou externa. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Despertador

O menu Ocorrência, define a periodicidade em que o despertador será ativado. Apresenta as opções Sem despertador (padrão), Todo dia, Dias úteis, Uma única vez e Periódico. Caso a opção selecionada seja diferente de Sem despertador, será habilitado o campo Horário, que define o horário em que o despertador será ativado. Caso a opção selecionada seja Periódico, será habilitado também o campo Intervalo que define de quanto em quanto tempo o despertador deve ser ativado. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Chefe-secretária

Facilita o acesso entre ramais que precisam se comunicar constantemente e que necessitam de prioridade. Todo ramal pode ser configurado como Chefe ou Secretária. Cada ramal Chefe pode ter até dois ramais Secretária e cada ramal Secretária até dois ramais Chefe.

O menu Tipo define o tipo de chefe-secretária habilitado. Apresenta as opções Não programado (padrão), Chefe e Secretária. Caso a opção selecionada seja Chefe, será habilitado o checkbox Chefe intercala secretária diretamente que, quando selecionado, fará com que a chamada do chefe intercale-se imediatamente à chamada da secretária, se esta estiver ocupada com uma chamada. Neste caso, o ramal Chefe recebe uma sinalização de tom da quebra do sigilo e entra na chamada após o ramal Secretária ouvir uma sequência de bipes. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Consulte os comandos para realizar chamadas entre os ramais-chefe/secretária no manual Operações com ramais > Originar chamadas > Internas > Acessar ramal-chefe/secretária.

Intercalação

Permite interferir em uma chamada interna ou externa em andamento. O ramal de destino receberá bipes indicando que será intercalado e, portanto, haverá quebra de sigilo na chamada. Após 5 segundos, o ramal será inserido na conferência com os ramais e/ou número externo que estavam em conversação.

A tabela apresenta categorias de chamadas que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Intercala, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comandos para intercalar outros ramais. O checkbox É intercalado, quando selecionado (padrão), define que o ramal poderá ser intercalado por outro ramal. O checkbox BIP, quando selecionado (padrão), fará com que o ramal que recebeu a intercalação e o ramal ou número externo com o qual ele estava falando recebam a sinalização de bipe periodicamente para estarem cientes de que outro interlocutor ingressou na chamada. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Monitoração

Permite que um aparelho telefônico seja usado para captar o áudio do ambiente onde se encontra. Pode ser útil para monitorar o quarto de crianças, idosos, doentes, deficientes ou para finalidades de vigilância.

A tabela apresenta categorias de chamadas que podem ter programações diferentes de acordo com cada turno. O checkbox Monitora, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comando para monitorar outro ramal. Para ramais analógicos e digitais também serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. O checkbox É monitorado, quando selecionado, define que outro ramal poderá executar comando para monitorar esse ramal. Caso seja selecionado, será habilitado o checkbox Monitora ambiente, que, quando selecionado, fará com o que o ramal capte o áudio do ambiente. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Consulte os comandos para executar a monitoração no manual Operações com ramais > Originar chamadas > Internas > Monitoração.

Chamada múltipla

Permite que outros dois números externos e um interno também possam ser chamados simultaneamente quando o ramal receber uma chamada interna ou externa. Ao atender a chamada em um dos destinos configurados, o ring para os demais será interrompido. O comportamento é similar a um grupo de ramais.

Para programar chamada múltipla, é necessário que o checkbox Desvio externo de chamadas externas esteja selecionado em Ramais > Ramal > Receber chamadas > Desvios. O checkbox Habilitar, quando selecionado, habilita a programação dos campos que serão descritos a seguir. O checkbox Chama todos simultaneamente, quando selecionado, fará com que o ring seja enviado para os três destinos configurados. Cada linha da tabela apresenta um dos destinatários. Nas linhas Chamada externa 1 e 2, o menu Rota/filial define a rota ou filial que será usada para originar a chamada, e o campo Número externo, o número do destino. Na linha Chamada interna, o menu define o destino interno. Apresenta as opções Grupos de ramais e Ramais. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Se o ramal fizer parte de um grupo de ramais e receber uma chamada por este grupo, os números configurados na chamada múltipla não irão receber a chamada. Chamada múltipla não ira permitir a captura de chamadas, ou seja, outros ramais NÃO poderão capturar chamadas que esteja tocando neste ramal.

Gravação

A tabela apresenta categorias de gravação que podem ter programações diferentes de acordo com a categoria da chamada, que pode ser: Internas, Originadas e Recebidas. O checkbox Automático, quando selecionado, fará com que a gravação do ramal inicie automaticamente quando a chamada for atendida. O checkbox Comando por teclado, quando selecionado, fará com que a gravação seja iniciada somente quando o ramal executar o comando via teclado. O checkbox Outros ramais podem executar comando por teclado para gravar este ramal, quando selecionado, define que outros ramais podem executar comando via teclado para gravar a chamada com esse ramal. Caso selecionado, será apresentada uma tabela com os ramais cadastrados na central para que possam ser selecionados aqueles que poderão executar o comando via teclado para gravar a chamada com esse ramal. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Correio de voz

Para que a configuração do correio de voz possa ser feita, é necessário habilitar o serviço de envio de e-mails (SMTP) em Sistema > Envio de e-mails (SMTP).

O checkbox Habilitar, quando selecionado, habilita a função de correio de voz para o ramal. O menu Idioma define o idioma de apresentação de opções do correio de voz. Apresenta as opções Português (Brasil) (padrão), Espanhol (Argentina) e Inglês (EUA). O checkbox Notifica nova mensagem por e-mail, quando selecionado, fará com que um e-mail seja enviado para notificar sobre novas mensagens que foram gravadas na caixa postal. O campo E-mail define o endereço de e-mail para o qual a notificação será enviada.

Para ramais analógicos também serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. O menu Sinalização de mensagem no correio define a sinalização que será enviada para o aparelho telefônico. Apresenta as opções Sem sinalização (padrão), Ring (telefone hotel) e DTMF (Tex 516i). Caso a opção selecionada seja DTMF (Tex 516i), serão habilitados os campos Tem mensagem e Não tem mensagem, que apresentam, respectivamente, os valores B51C e B50C. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

MobiliTI

A configuração do MobiliTI só é permitida em Ramais IP.

Os campos IP ICTI, IP ICTI NAT, Servidor SIP, Servidor SIP NAT e Protocolo de transporte serão preenchidos de acordo com os parâmetros de rede previamente configurados para a Central, no entanto, é possível definir por qual interface de rede o aplicativo terá permissão de acesso. Com o MobiliTI em execução no smartphone, acesse a opção Wizard e realize a leitura do QRCode. Caso a autenticação ocorra com sucesso, o aplicativo irá se associar como um ramal da central. Para enviar o QRcode para um endereço de e-mail, clique em e cadastre o destinatário no campo indicado na tela, em seguida clique em para confirmar a operação.

Para que o QRCode possa ser enviado por e-mail, é necessário habilitar o serviço de envio de e-mails (SMTP) em Sistema > Envio de e-mails (SMTP).

Avançado

Esse grupo reúne as configurações avançadas que, na maioria dos cenários, não precisa ser alterada para que o ramal possa originar e receber chamadas.

Sinal

Permite realizar ajustes do sinal transmitido/recebido e da impedância entre a porta de ramal e o aparelho telefônico, a fim de atender aos diferentes cenários em que a central possa estar, por exemplo: distâncias mais curtas ou mais longas do par metálico e a qualidade deste; aparelhos telefônicos de fabricantes diferentes.

Para ramais analógicos serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. Os campos TX offset e RX offset definem o ganho/atenuação da transmissão/recepção do sinal de áudio. Os campos RX offset caller id DTMF e RX offset caller id FSK definem o ganho/atenuação do sinal de recepção da identificação da chamada para protocolo DTMF e FSK. O campo RX offset - dados define o ganho para dispositivos que transmitem dados, como FAX e máquinas de cartão de débito/crédito. Todos esses campos, por padrão, estão preenchidos com o valor 0, ou seja, sem ganho ou atenuação. O menu Impedância define a impedância da porta em relação ao terminal telefônico conectado. Apresenta as opções 600, 900 (padrão) e Padrão.

Para ramais IP serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. O checkbox Cancelamento de eco, quando selecionado (padrão), reduz o eco causado pela híbrida (circuito responsável pela conversão de 4 para 2 fios). Ou seja, o cancelador de eco atuará nas chamadas em que uma parte usa tecnologia IP, e a outra, algum dispositivo TDM, como um ramal analógico ou digital. O checkbox Detecção de atividade de voz, quando selecionado (padrão), habilita as funções de detecção de atividade de voz e geração de ruído de conforto VAD (Voice Activity Detection) e CNG (Confort Noise Generation), que poderão reduzir o consumo de banda da rede nos momentos em que houver apenas silêncio ou ruído ambiente durante uma chamada. O checkbox Correção antecipada de erros, quando selecionado, habilita a função de correção antecipada de erros FEC (Forward Error Correction), que envia pacotes adicionais com o objetivo de utilizá-los na reconstrução do áudio caso alguns pacotes sejam perdidos na transmissão e não cheguem ao destino. Indicado para redes com ocorrência frequente de perda de pacotes. O checkbox Supressor de ruído adaptativo, quando selecionado, habilita a função ANS (Adaptive Noise Suppressor), que reduz ruídos nos sinais de voz provenientes da rede TDM (analógica ou digital). Essas duas últimas funções estão disponíveis apenas para a placa codec 60 canais.

Os ramais digitais não possuem configuração de sinal, portanto, esse formulário de configuração não é apresentado para esse tipo de ramal. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Codec

Os codecs são responsáveis por transformar a voz humana, que é um sinal analógico, em um sinal digital, e vice-versa, para que sejam transmitidos/recebidos pela rede de computadores. Alguns codecs consomem menos banda da rede que outros. Esse formulário é apresentado apenas para ramais do tipo IP.

A tabela possibilita a configuração de até 5 codecs. Cada linha da tabela representa um codec e indica a sua prioridade (ordem em que os codecs serão negociados) no estabelecimento de uma nova chamada. Se o destino não possuir o codec com prioridade 1, então o codec com prioridade 2 será utilizado e assim por diante até que os codecs de origem e destino sejam os mesmos, estabelecendo, assim, a chamada. Por esse motivo é recomendável que sejam preenchidas todas as opções com codecs diferentes - apesar de a central exigir apenas um codec - e que um deles seja o codec PCMA (também conhecido como G.711a). O menu Codec apresenta as seguintes opções: G.729, GSM FR 6.10, G.726-40, G.726-32, G.726-24, G.726-16, PCMA, PCMU, G.723-6.3(5.3), H263 e H264. O menu Tempo empacotamento (ms) apresenta as opções 10, 20 (padrão), 30 e 40. Esse campo define o tempo de pacote que contém o áudio digitalizado para ser enviado à rede de dados. Para salvar as alterações, clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Atenção: Os codecs H263 e H264 estão disponíveis a partir da versão 18.09.12 da UnniTI. Esses codecs são utilizados para chamadas de vídeo, desde que o payload seja igual nos ramais participantes. As chamadas de vídeo são permitidas somente para ramais IP de uma mesma central. Para uma boa qualidade de vídeo sugere-se 1Mbs de Bit rate máximo e uma resolução VGA de 640 x 480, além disso, recomenda-se que todos os ramais da chamada (máximo 3 simultâneas e independentes) encontrem-se na mesma interface de rede (LAN ou WAN). Para que não haja perda de pacotes durante a chamada, a rede deve permitir alto tráfego de dados e ser estável. Ao transferir uma chamada de vídeo ou fazer uma consulta, o áudio será estabelecido entre as partes mas o vídeo será desabilitado. Caso as partes queiram estabelecer a chamada com vídeo, o usuário deverá solicitar o estabelecimento desta função através do terminal caso este tenha suporte para tal. A Chamada de video não será estebelecida caso os envolvidos estiverem utilizando protocolo de transporte(TCP/UDP) diferentes nas Mensagens SIP.

DTMF

Para ramais analógicos serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. O menu Duração do dígito define a duração do sinal que representa o dígito. Apresenta as opções 50 a 500, sendo 100 a padrão. O menu Pausa interdigital define o intervalo mínimo entre um dígito e outro para que a central possa identificá-los.

Para ramais IP serão apresentados os campos que serão descritos a seguir. O menu Sinalização define o protocolo que será utilizado para envio de dígitos discados com a chamada estabelecida. Apresenta as opções SIP Info (padrão), Out of band (RFC 2833) e In Band. Caso a opção selecionada seja Out of band (RFC 2833), será habilitado o campo Payload para que seja informado o tamanho da área de dados do frame onde a informação será colocada.

Os ramais digitais não possuem configuração de DTMF, portanto, esse formulário de configuração não é apresentado para esse tipo de ramal. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Flash

Para ramais analógicos será apresentado o campo Duração (ms), que define o período de tempo de interrupção do sinal que será gerado quando for pressionada a tecla Flash no aparelho telefônico. Pode ser configurado com valores entre 100 e 900, sendo 300 o valor-padrão.

Para ramais IP será apresentado o campo Caracteres, que define a sequência de caracteres, discada por aparelhos telefônicos IP, que deve ser interpretadas como envio de Flash. Por padrão, não estará preenchido.

Os ramais digitais não possuem configuração de DTMF, portanto, esse formulário de configuração não é apresentado para esse tipo de ramal. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Ring

Os menus de opções que serão apresentados a seguir apresentam as opções Aviso, Entrante, Interna, Rechamada, Transf. ext., Despertador, Porteiro, Conf. agendada, Def. usuário, Mensagem e Ref. padrão. O menu Aviso define o ring de aviso, sendo o padrão Aviso. O menu Externa define o ring para chamadas externas, sendo o padrão Entrante. O menu Interna define o ring para chamadas internas, sendo o padrão Interna. O menu Transferência define o ring para transferência, sendo o padrão Transf. ext. O menu Rechamada define o ring para rechamadas, sendo o padrão Rechamada. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Lista IP/MAC

Esse formulário está disponível apenas para telefones IP. Existem situações em que o endereço IP de um determinado dispositivo muda automaticamente, sem a intervenção do usuário. Isso acontece com certa frequência em dispositivos móveis, como aparelhos celulares por exemplo. Se o usuário utiliza um softphone IP nesse dispositivo, a mudança do endereço IP pode provocar a perda de registro da conta IP do softphone. Para resolver esse problema o administrador da central pode configurar o número MAC do dispositivo móvel na lista de MACs aceitos. Nessa situação, a central aceitará o pedido de registro independentemente do endereço IP de origem, desde que o MAC seja igual ao configurado.

O dispositivo precisa enviar o número MAC no pedido de registro.

O checkbox Habilitar lista IP, quando selecionado, habilita o cadastro de endereços IP.

Novo endereço IP

Para criar um novo endereço IP, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No campo Endereço IP digite o endereço IP. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar endereço IP

Para editar um endereço IP, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir endereço IP

Para excluir um endereço IP, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

O checkbox Habilitar lista MAC, quando selecionado, habilita o cadastro de endereços MAC.

Novo endereço MAC

Para criar um novo endereço MAC, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No campo Endereço MAC digite o endereço MAC. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar endereço MAC

Para editar um endereço MAC, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir endereço MAC

Para excluir um endereço MAC, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna. Se não houver mais exclusões a fazer, clique em para aplicar as alterações ao PABX.

Copiar configurações

Para copiar as configurações de um ramal para outro(s), clique em na parte superior da tela Configurar ramal. Na tela que será aberta, selecione todas as configurações ou pelo menos um dos grupos de configuração que deseja copiar e clique em . Na tela que será aberta, selecione o(s) ramais(s) para os quais deseja copiar as configurações. Com exceção de Telefonista, Porteiro, Gravação e MobiliTI, todos os formulários possuem o ícone no topo da tela. Ao clicar sobre ele, será aberta a tela Copiar configurações com esse grupo de configuração selecionado.

Grupos de ramais

Novo grupo de ramais

Para criar um novo grupo de ramais, clique em + Novo grupo. Na tela que será aberta, no menu Grupo, selecione uma das opções de Grupo 1 a 40. No menu Tipo, selecione uma das opções:

Desativado: o grupo ficará indisponível para receber chamadas.

Distribuidor: encaminha a chamada recebida para um ramal de cada vez. À medida que os ramais são chamados, perdem a prioridade na próxima chamada. Quando uma chamada passa por todos os ramais e ninguém atende, ela volta ao primeiro ramal, circulando conforme a disponibilidade dos ramais do grupo. Exemplo: um grupo tipo Distribuidor contém a seguinte sequência de ramais: 2000, 2001 e 2003. A última chamada foi recebida pelo ramal 2000, então a próxima chamada que for recebida pelo grupo será encaminhada para o ramal 2001. Caso este esteja ocupado ou não atenda dentro do tempo para atendimento programado, passará a chamada para o ramal 2003.

Hierárquico: similar ao tipo Distribuidor, encaminha a chamada recebida para um ramal de cada vez. A diferença é que a hierarquia sempre será respeitada a cada nova chamada recebida. Exemplo: um grupo tipo Hierárquico contém a seguinte sequência de ramais: 2000, 2001 e 2003. Toda chamada recebida será encaminhada para o primeiro ramal, 2000, que, se estiver ocupado ou não atender dentro do tempo para atendimento programado, passará para o ramal 2001 e assim por diante.

Ring múltiplo: encaminha a chamada recebida e envia ring para todos os ramais até que um deles atenda, ou o originador desligue, ou ainda, o tempo máximo para aguardar atendimento seja alcançado. Exemplo: um grupo tipo Ring múltiplo contém a seguinte sequência de ramais: 2000, 2001 e 2003. Quando uma chamada for recebida, o ring será enviado para os três ramais, de forma alternada para não prejudicar o desempenho do PABX. A chamada será atendida pelo primeiro ramal a retirar o monofone do gancho e o ring cessará imediatamente. Um ramal desse grupo pode ser programado para não tocar para cada chamada recebida, porém ele pode atender a chamada capturando-a.

Ring único: similar ao tipo Ring múltiplo, encaminha a chamada recebida para todos os ramais. A diferença é que o ring é enviado apenas para o primeiro ramal que estiver livre. Exemplo: um grupo tipo Ring único contém a seguinte sequência de ramais: 2000, 2001 e 2003. Quando uma chamada for recebida, o ring será enviado apenas para o ramal 2000, se estiver livre. Porém, a chamada poderá ser atendida por 2001 ou 2003, bastando retirar o monofone do gancho. Atenção: se houver ramais IP nesse grupo, eles irão ringar junto com o primeiro ramal analógico ou digital disponível. Se houver somente ramais IP no grupo, todos irão ringar.

Roteador: Possui características similares ao grupo Distribuidor. Este, é o único grupo que permite desvio externo de seus participantes. Nos demais grupos, o desvio externo não é permitido. Exemplo: Suponhamos que você programou os ramais 2000 e 2001 para o grupo roteador. Ao receber uma ligação, tocará no ramal 2000 até obter atendimento. A segunda ligação, será encaminhada para o ramal 2001. Se os ramais possuírem desvios configurados, as ligações serão desviadas conforme a programação dos desvios.

Busca: permite ao ramal selecionado como programador ativar o recurso viva-voz de todos os ramais TI do grupo e assim transmitir áudio. Essa função não irá funcionar em outros tipos de ramais que estejam no grupo, mesmo que tenham viva-voz. Não é permitida a transferência direta de chamadas para ramais desse grupo. Apenas consultas são permitidas e devem ser feitas somente através do ramal selecionado como programador do grupo, pois é o único que pode originar chamada para esse tipo de grupo.

Captura: o objetivo desse tipo de grupo é facilitar a captura de chamadas de determinados ramais que estejam próximos, sem precisar saber o número do ramal que está recebendo a chamada. É necessário apenas digitar o comando 560*. Exemplo: um grupo tipo Captura contém os seguintes ramais: 2000, 2001 e 2003. O ramal 2001 poderá capturar chamadas recebidas nos ramais 2000 e 2003, bastando discar 560*, sem a necessidade de saber o número do ramal do qual a chamada será capturada. Esse grupo não possui número de acesso, portanto, não receberá e não encaminhará chamadas para os ramais pertencentes a ele. Um mesmo ramal não poderá ser incluído em mais de um grupo Captura.

DAC: encaminha as chamadas recebidas para um ramal de cada vez, porém, de forma balanceada, podendo ser definido qual ramal terá prioridade no encaminhamento da próxima chamada, se é o que possui menor tempo total dos atendimentos realizados ou o que possui menor quantidade de chamadas atendidas. O grupo tipo DAC é ideal para grupos que recebam muitas chamadas, como call centers. Após criar o grupo, clique nele para acessar as configurações e definir as preferências no formulário DAC / Call center.

Call center: similar ao tipo DAC, difere deste por ser composto por contas de agentes. Encaminha as chamadas recebidas para um agente de cada vez, de forma balanceada, podendo ser definido qual o agente terá prioridade no encaminhamento da próxima chamada, se é o que possui menor tempo total dos atendimentos realizados ou o que possui menor quantidade de chamadas atendidas. O grupo tipo Call center é ideal para grupos que recebem muitas chamadas, como call centers. Após criar o grupo, clique nele para acessar as configurações e definir as preferências no formulário DAC / Call center. É necessário ter criados os agentes em Ramais > Grupos de ramais > Agentes para Call center. Consulte os comandos via teclado para operar o agente no manual Operações com ramais > Comandos para agente grupo Call Center.

Hotelaria: destinado para integração com softwares de gestão hoteleira, esse grupo pode ser composto apenas por ramais IP, pois neles serão registrados softphones customizados por empresas especializadas. Exemplo: uma camareira precisa informar produtos que foram consumidos do frigobar, então origina uma chamada para o grupo Hotelaria, que encaminhará a chamada para um dos softphones disponíveis. Quando um dos softphones atender, poderá divulgar as opções, como uma URA, e capturar as informações digitadas pela camareira via protocolo SIP, registrando as informações no computador em que os softphones estão sendo executados.

No campo Nome, defina um nome para o novo grupo. Por padrão, está preenchido com Grupo 1 caso seja o primeiro grupo, Grupo 2 caso seja o segundo e assim por diante. No campo Acesso, digite o valor para acesso ao grupo via comando por teclado. Somente valores numéricos são aceitos e não podem ser iguais ao de outro grupo de ramais, número de ramal, tronco, comando. O campo Acesso não está disponível para grupo tipo Captura.

Novo ramal

Para adicionar ramais ao grupo, clique em + novo ramal. Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Número, selecione o ramal desejado. No menu Tempo para atendimento (s), selecione o tempo que o ramal terá para atender a chamada, que pode ser de 10 a 89 segundos. O checkbox Programa grupo, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comando para programar o grupo. Quando uma chamada for recebida no grupo, os ramais serão chamados na ordem em que estão inseridos na tabela. Para alterar a ordem, clique em Mover para cima ou Mover para baixo na coluna Ordem do ramal desejado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX. Para salvar o novo grupo de ramais, clique em , ou clique em para descartar a criação do novo grupo.

Editar ramal

Para editar um ramal, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir ramal

Para excluir um ramal, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Substituição de atendedores

Ao tentar remover um grupo de ramais que é atendedor de troncos e/ou facilidades, será aberta a tela Substituição de atendedores. Nela serão listados os troncos e/ou as facilidades dos quais o grupo de ramais é atendedor e, caso exista outro grupo de ramais, serão apresentados para que possa ser escolhido o grupo de ramais substituto. Selecione o grupo de ramais e clique em . Caso não queira definir outro atendedor, basta clicar em ou

Configurar grupo de ramais

Para configurar um grupo de ramais, clique na linha correspondente ao grupo desejado. Será apresentada uma nova tela. No topo dessa tela, há o link < Voltar, que permite voltar à tela principal de grupos de ramais. Próximo a esse link há um menu de opções que indica o grupo de ramais que está sendo visualizado e permite trocá-lo por outro, se necessário, sem ter de voltar à tela principal de grupos de ramais.

Geral

O menu Grupo apresenta o número de identificação do grupo, que estará desabilitado para edição. O menu Tipo apresenta as opções de tipo de grupo: Desativado, Distribuidor, Hierárquico, Ring múltiplo, Ring único, Roteador, Busca, DAC e Hotelaria. O campo Nome apresenta o nome do grupo. O campo Acesso apresenta o valor para acesso ao grupo via comando por teclado. Somente valores numéricos são aceitos e não podem ser iguais ao de outro grupo de ramais, número de ramal, tronco, comando. Esse campo não está disponível para grupo tipo Captura. O menu Posições na fila apresenta as opções 0 a 30 e define a quantidade máxima de chamadas que poderão aguardar por atendimento, sendo o padrão 0. O menu Tempo na fila (min) apresenta as opções de 5 a 30 e define o tempo máximo que uma chamada poderá aguardar na fila. O menu Sinalização apresenta as opções Tom chamada, Música interna, Música externa 1 e Música externa 2 e define a sinalização que o originador da chamada para o grupo receberá enquanto aguarda atendimento de um dos ramais do grupo. A opção selecionada por padrão é Tom chamada. O checkbox Qualquer ramal captura, quando selecionado, define que ramais que não pertençam ao grupo possam capturar as chamadas recebidas. Por padrão, não estará selecionado. O checkbox Obedece filtro ANI, por padrão, está selecionado, ou seja, o grupo obedecerá à configuração do filtro ANI, se estiver habilitado, em Troncos > Digital E1 > Filtro ANI. O menu Primeiro atendimento (entrante não atendida) define se o grupo, ao receber uma chamada externa diretamente, o que ocorre quando a chamada não foi atendida por um ramal fora do grupo e transferida para o grupo, deve fazer um pré-atendimento antes de encaminhar a chamada para seus ramais. Por padrão, o grupo encaminhará a chamada para os ramais, mas é possível escolher uma das outras opções apresentadas: Sem mensagem, DISA 1, DISA 2, MSG1 e MSG2. O menu Tempo de trabalho após desligamento (s) apresenta opções de 1 a 60 e define o tempo que o grupo irá aguardar para encaminhar uma nova chamada para o agente para que este possa realizar algum procedimento após cada atendimento, por exemplo, uma anotação no sistema. O padrão é 60. O menu Tempo para atendimento agente Call Center (s) apresenta opções de 10 a 89 e define o tempo que cada agente terá para atender uma chamada. O padrão é 15. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Ramais

Novo ramal

Para adicionar ramais ao grupo, clique em + novo ramal. Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Número, selecione o ramal desejado. No menu Tempo para atendimento (s), selecione o tempo que o ramal terá para atender a chamada, que pode variar de 10 a 89 segundos. O checkbox Programa grupo, quando selecionado, define que o ramal poderá executar comando para programar o grupo. Quando uma chamada for recebida pelo grupo, os ramais serão chamados na ordem em que estão inseridos na tabela. Para alterar a ordem, clique em Mover para cima ou Mover para baixo na coluna Ordem do ramal desejado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX. Para salvar o novo grupo de ramais, clique em , ou clique em para cancelar a criação do novo grupo.

Editar ramal

Para editar um ramal, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir ramal

Para excluir um ramal, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Desvios

Cada linha da tabela apresenta um tipo de desvio. O tipo Se não atende Turno (1 a 4) será efetuado se uma chamada for recebida no grupo no turno ativo e não for atendida por nenhum ramal. O tipo Se ocupado Turno (1 a 4) será efetuado se uma chamada for recebida no grupo no turno ativo e todos os ramais estiverem ocupados. O tipo Siga-me efetuará o desvio assim que a chamada for originada para o grupo, ou seja, o grupo não encaminhará a chamada para os ramais, mesmo que não estejam ocupados e independentemente do turno. Para os desvios Se não atende, selecione no menu Tempo, que apresenta valores de 10 a 80, o tempo que o grupo aguardará para que a chamada seja atendida por algum ramal antes de efetuar o desvio. Selecione no menu Destino uma das opções apresentadas: Número externo, Grupo de ramais, ou Ramal. Caso a opção selecionada seja Número externo, o menu Rota/Filial será habilitado para que seja selecionada uma opção, e o campo Número externo, para que seja digitado o número de destino. O menu Ramal que paga desvio externo apresenta a lista de ramais cadastrados na central. Caso um dos desvios seja configurado para número externo, é obrigatório selecionar o ramal que irá receber o custo das chamadas desviadas para o número externo. Por padrão, nenhum ramal está selecionado. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

DAC / Call Center

Na seção Distribuir chamadas selecione o tipo de balanceamento da distribuição das chamadas. A opção Por tempo fará com que o grupo encaminhe a próxima chamada recebida ao agente com menor tempo total de chamadas atendidas. Se esse agente estiver ocupado, o grupo tentará o próximo com menor tempo. A opção Por quantidade fará com que o grupo encaminhe a próxima chamada ao agente com menor quantidade de chamadas atendidas. Se esse agente estiver ocupado, então o grupo tentará o próximo com menor quantidade. O menu Período para zerar estatísticas (h) apresenta opções 1, 2, 3, 4, 6, 12 e 24. Define de quanto em quanto tempo serão zeradas as estatísticas de quantidade e a duração total das chamadas dos agentes. O checkbox Permitir Captura, quando selecionado, permite que os agentes desse grupo possam capturar chamadas recebidas por outros agentes. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Agentes para Call Center

Os agentes são contas com senha para registro em grupos do tipo Call center que permitem um melhor controle sobre sua atuação. Através de comandos via teclado é possível entrar no grupo, ficar disponível, colocar em pausa e sair do grupo. Consulte-os no manual Operações com ramais.

Novo agente para call center

Para criar um novo agente, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para identificação do agente. No campo Conta, digite um valor numérico de até 4 dígitos. No campo Senha, digite um valor numérico. Na seção Grupos call center em que o agente poderá se registrar selecione o checkbox dos grupos Call center em que o agente poderá se registrar. Para salvar o novo agente, clique em , ou clique em para descartar a criação do novo agente.

Editar agente

Para editar um agente, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desse agente. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir agente

Para excluir um agente, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Callback

Antes de configurar o callback, é necessário que o código de área esteja configurado em Troncos > Códigos e prefixos > Código de área.

Novo callback

Para criar um novo callback, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Ramal, selecione o ramal desejado. No menu Rota, selecione a rota que será usada para efetuar a chamada, e no campo Número externo, o número de destino, que pode conter para um conjunto de números com um determinado prefixo, por exemplo: para qualquer número que comece com 4899, inclusive o 4899, ou que representa um dígito qualquer, por exemplo: para qualquer número que inicie com 4899661 , termine com 1 e tenha 11 dígitos. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar callback

Para editar um callback, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir callback

Para excluir um callback, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

O Callback funciona em troncos digitais, IP e GSM/3G.

Códigos de conta

O código de conta é uma forma de concentrar as chamadas telefônicas (destinadas a números da rede pública) em um determinado número de conta, facilitando a contabilização de gastos. Um exemplo de aplicação seria a associação do código a uma conta de projeto para que ao final deste possa ser apurado o custo relativo às chamadas telefônicas. Todo código de conta pode ou não ter senha para sua utilização.

Novo código de conta

O PABX permite o cadastro de até 1000 códigos de conta. Para criar um novo código de conta, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Conta um número de identificação para o novo código de conta. O número da conta não pode iniciar com zero. No campo Senha (opcional), digite uma senha numérica de até 4 dígitos para essa conta. No campo Código alternativo (opcional) digite um valor numérico de sete dígitos, que poderá ser usado como alternativa para discagem no lugar de ter de digitar a conta e a senha no comando via teclado. No menu Rota, selecione a rota que será usada para originar chamadas externas. O checkbox Transfere chamada, quando selecionado, define que o ramal que usar o código de conta poderá transferir a chamada. O checkbox Verifica categoria, quando selecionado, apresentará as categorias de chamadas, cada uma com um checkbox, para que sejam selecionadas as categorias de chamadas que o código de conta poderá originar. Caso o checkbox Verifica categoria não seja selecionado, serão verificadas as categorias de chamada configuradas no ramal que está usando o código de conta para originar a chamada. Para salvar o novo código de conta, clique em , ou clique em para descartar a criação do novo código de conta. Para utilização do código de conta é necessário que seja configurado de qual feixe sairá as ligações por código, essa configuração pode ser feita em Troncos > Rotas e feixes > Feixes do sistema.

Editar código de conta

Para editar um código de conta, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desse código de conta. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir código de conta

Para excluir um código de conta, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Importar códigos de conta

Para importar um backup contendo registros de código de conta, clique em . Na tela que será aberta, clique em no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado TAB_COD_CONTA.tab. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de importação será iniciado e poderá levar alguns segundos para ser concluído. Ao finalizar, os registros serão apresentados na tabela.

Exportar códigos de conta

Para exportar os registros de códigos de conta cadastrados, clique em . Será apresentada a janela do navegador oferecendo a opção de salvar o arquivo.

Agenda Geral

Permite a criação de uma agenda coletiva contendo números de uso geral e de uso privilegiado para serem acessados pelos ramais.

Novo contato

O PABX permite o cadastro de até 600 contatos. Para criar um novo contato, clique em . Na tela que será aberta, selecione as opções Agenda geral ou SMS, se esse contato for usado apenas para envios de SMS na tela Troncos > Envio de SMS. No campo Posição da agenda, digite o número da posição na agenda que será informada ao executar o comando via teclado. No campo Nome do contato, digite um nome para identificar o contato. No menu Rota/Filial, selecione a rota ou filial que será usada para originar chamada para este contato. No campo Número externo digite o número do destinatário. O checkbox Número privilegiado, quando selecionado, permite que ramais com o checkbox Acesso a contato com número privilegiado selecionado - em Ramais > Ramal > Funcionalidades > Agenda - possam originar a chamada mesmo que não tenham categoria selecionada em Ramais > Ramal > Originar chamadas > Acesso externo. Neste caso, a chamada será originada usando um dos feixes configurados em Troncos > Rotas e feixes > Feixes do sistema e não um dos feixes configurados para o ramal em Ramais > Ramal > Originar chamadas > Acesso externo. Para salvar o novo contato, clique em , ou clique em para descartar a criação do novo contato.

Editar contato

Para editar um contato, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desse contato. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir contato

Para excluir um contato, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Importar contato

Para importar um backup contendo registros de contatos, clique em . Na tela que será aberta, clique em no passo 1 e procure nos diretórios o arquivo nomeado CONTATOS.xml. Assim que for selecionado, no passo 2, clique em . O processo de importação será iniciado e poderá levar alguns segundos para ser concluído. Ao finalizar, os registros serão apresentados na tabela.

Exportar contatos

Para exportar os registros de contatos cadastrados, clique em . Será apresentada a janela do navegador oferecendo a opção de salvar o arquivo.

Configurações VoIP

Permite configurar parâmetros gerais do VoIP, mais relacionados aos ramais IP.

Portas

O campo SIP apresenta o número da porta de escuta do protocolo SIP (padrão 5060). O campo RTP mínimo apresenta a menor porta que será alocada para o protocolo RTP. O campo RTP máximo apresenta a maior porta que será alocada para o protocolo RTP.

Autoconfiguração de ramais

A autoconfiguração possibilita cadastrar uma faixa de ramais IP na lista de disponíveis para obter usuário/senha automaticamente. Se o PABX estiver com o servidor DHCP ativado, quando um dos seguintes modelos de telefone IP: TIP 120/125/425, TIP 120/125 LITE, TIP120i/125i, V3001/V5501/V5502 ou TDMI 400 IP, buscar as configurações na rede (DHCP), receberá na resposta qual o endereço IP da central para registro do ramal IP. De posse do endereço IP, o telefone requisita seu usuário e senha. A central envia o primeiro ramal que estiver disponível na lista e o marca como Em uso.

Nova autoconfiguração

Para criar uma nova autoconfiguração, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. No menu Ramal, selecione o ramal e no menu Estado se o ramal estará Disponível ou Em uso. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicar as configurações ao PABX.

Editar autoconfiguração

Para editar uma autoconfiguração, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir autoconfiguração

Para excluir uma autoconfiguração, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Jitter buffer

O Jitter é definido como uma variação no atraso dos pacotes recebidos. No lado de envio, os pacotes são enviados em um fluxo contínuo com os pacotes espaçados com uma distância uniforme. Devido ao congestionamento da rede, ao queueing impróprio ou aos erros de configuração, este fluxo constante pode tornar-se irregular ou o atraso entre cada pacote pode variar em vez de permanecer constante. Quando um roteador recebe um fluxo de áudio do protocolo RTP pelo VoIP, ele deve compensar o jitter que é encontrado. O mecanismo que lida com essa função é o buffer de atraso de playout. O buffer de atraso de playout deve fazer o buffer desses pacotes e então colocá-los em um fluxo constante para os processadores de sinal digital (DSP, Digital Signal Processor) para serem convertidos de volta a um fluxo de áudio analógico. O buffer de retardo de playout também é chamado às vezes de buffer de controle de variação de sinal. Se o jitter for tão grande que faz com que os pacotes estejam recebidos fora do alcance do buffer, os pacotes fora de alcance serão descartados e as saídas serão ouvidas no áudio. Para as perdas tão pequenas quanto um pacote, o DSP fará a interpolação do que ele acredita ser o áudio e nenhum problema ficará audível. Quando a variação excede o que o DSP pode fazer para compensar os pacotes ausentes, pode-se perceber problemas de áudio.

Essa configuração terá validade para ramais e troncos IP.

A opção Adaptável, quando selecionada (padrão), habilita os campos Atraso mínimo (ms) e Atraso máximo (ms), nos quais é possível especificar uma faixa de tempo de atraso para acomodar os pacotes que chegam da rede, permitindo que o sistema adapte o buffer, que tenderá ao seu valor mínimo quando a rede estiver boa e ao máximo quando ruim. Dessa forma o sistema evita perdas e provê uma melhora na qualidade de áudio, o que torna essa opção a mais utilizada. Os valores-padrão são 40 e 100, respectivamente. A opção Fixo, quando selecionada, permite especificar um tempo fixo de atraso para os pacotes. Nessa opção, o tempo de represamento dos pacotes que chegam da rede é sempre o mesmo, o que faz com que o sistema apresente um desempenho inferior, pois não pode acompanhar o comportamento da rede de maneira dinâmica. O valor-padrão é 40.

A UnniTI possui suporte a BLF (Busy Lamp Field) que é a funcionalidade utilizada para monitorar os estados dos Ramais. É possível utilizar simultaneamente até 1000 BLFs. Aconselha-se programar um tempo de expires em torno de 600 segundos no Terminal, para que o excesso de mensagens SIP contendo pedidos de estados BLF (SUBSCRIBER ) não comprometa a qualidade das chamadas VoIP.
A UnniTI não permite que o tempo de expires das mensagens SIP SUBSCRIBER configurado no Terminal, seja inferior a 180 segundos.

Reserva de canais

Possibilita reservar uma quantidade específica de canais para ramais e para troncos.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, habilita a programação da reserva de canais. O menu Canais para troncos IP define a quantidade de canais que poderão ser alocados somente por troncos IP. Apresenta as opções 0 à quantidade máxima de canais. O menu Canais para ramais IP define a quantidade de canais que poderão ser alocados somente por ramais IP. Apresenta as opções 0 à quantidade máxima de canais menos a quantidade selecionada em Canais para troncos IP. O campo Canais sem reserva apresenta a quantidade de canais que não foram alocados para troncos e para ramais. O checkbox Economia de canal, quando selecionado fará com que a central economize canais quando os dois ramais envolvidos na chamada forem IP.

A economia de canal não será possível se: pelo menos um dos ramais IP estiver fora da rede local, ou seja, usando NAT; houver conferência envolvendo os ramais IP; o aparelho telefônico, que está usando o ramal IP, não for um dos compatíveis: TIP 120/125/425, TIP 120/125 LITE, TIP120i/125i ou TDMI 400 IP. Ramais IP com economia de Canal não podem usar a facilidade de desvio externo e também não se ouvirão bips de sinalização.

Serviços suplementares

Permite configurar como o PABX deverá interpretar os caracteres # e * recebidos dos telefones TIP 120/125/425, TIP 120/125 LITE, TIP120i/125i ou TDMI 400 IP.

A opção Tratar o # como caractere válido, quando selecionado (padrão), fará com que o PABX interprete o # como um dos dígitos que compõem o número discado. A opção Tratar o # como discagem rápida, quando selecionado, fará com que o PABX interprete o # como sendo o equivalente à pressionar Enter. A opção Tratar o * como caractere válido, quando selecionado (padrão), fará com que o PABX interprete o * como um dos dígitos que compõem o número discado. A opção Tratar o * como discagem rápida, quando selecionado, fará com que o PABX interprete o * como sendo o equivalente à pressionar Enter.

Rings e tons

Rings

Novo ring

Para criar um novo ring, clique em . Na tela que será aberta, digite no campo Nome um nome para o novo ring. No menu Execução, selecione o modo como o ring será executado. Apresenta as opções Executa uma única vez e Repete cadências. O menu Estado inicial define o estado inicial do ring. Apresenta as opções Desligado e Ligado.

Nova cadência

Para criar uma nova cadência, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Nos campos Liga (ms) e Desliga (ms), digite, respectivamente, o período de tempo que o sinal permanecerá ligado e o que permanecerá desligado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Editar cadência

Para editar uma cadência, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir cadência

Para excluir uma cadência, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Para salvar o novo ring, clique em , ou clique em para descartar a criação do novo ring.

Editar ring

Para editar um ring, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desse ring. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir ring

Para excluir um ring, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Tons

Editar tom

Para editar um tom, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados desse tom. O campo Nome apresenta o nome do tom. O menu Execução define como o tom será executado. Apresenta as opções Executa uma única vez, Repete cadências e Contínuo. O menu Estado inicial define o estado inicial do tom. Apresenta as opções Desligado e Ligado. O menu Tipo sinalização define a sinalização do tom. Apresenta as opções Bipe ou Tom e estará desabilitado para edição. Os menus de opções Frequência (Baixa) e Frequência (Alta) definem, respectivamente, as frequência baixa e alta do tom. Apresentam as opções 350, 400, 425, 440, 480, 620 Hz e 1 kHz.

Nova cadência

Para criar uma nova cadência, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Nos campos Liga (ms) e Desliga (ms), digite, respectivamente, o período de tempo que o sinal permanecerá ligado e o que permanecerá desligado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Editar cadência

Para editar uma cadência, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir cadência

Para excluir uma cadência, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Detecção do progresso de chamadas

Nova detecção

Para criar uma nova detecção de progresso de chamada, clique em . Na tela que será aberta, no menu Protocolo, selecione o protocolo que será usado na detecção. Apresenta as opções Anatel/ITU.T (padrão), Dual Tone, Híbrido e Usuário. No campo Nome digite um nome de identificação para a nova detecção. No menu Progresso de chamada, selecione a opção desejada. Apresenta as opções Discagem aceita (padrão), Ocupado, Chamando e Erro. No campo Estados para validar, digite o valor.

Nova cadência

Para criar uma nova cadência, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Nos campos Liga (ms) e Desliga (ms), digite, respectivamente, o período de tempo que o sinal permanecerá ligado e o que permanecerá desligado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Editar cadência

Para editar uma cadência, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir cadência

Para excluir uma cadência, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Editar detecção

Para editar uma detecção, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela.

Configurações avançadas

Geral

Na tela que será aberta, digite no campo Nome uma identificação para o novo ring. No menu Execução, selecione o modo como o ring será executado. Apresenta as opções Executa uma única vez e Repete cadências. O checkbox Tolerância genérica por padrão estará selecionado. No campo Tolerância (ms), digite o valor. O valor-padrão é 0. No campo Estados para validar, digite o valor. O valor-padrão é 6. No menu Progresso de chamada, selecione a opção desejada. Apresenta as opções Discagem aceita, Ocupado, Chamando (padrão) e Erro. No menu Tons de sinalização, selecione a opção desejada. Apresenta a opção 400...450Hz. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Tolerância por estado

No campo Ligado - decremento, digite o valor. O valor-padrão é 50. No campo Ligado - incremento, digite o valor. O valor-padrão é 240. No campo Desligado - decremento, digite o valor. O valor-padrão é 240. No campo Desligado - incremento, digite o valor. O valor-padrão é 150. No campo Período de cadência, digite o valor. O valor-padrão é 200. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Cadências

Nova cadência

Para criar uma nova cadência, clique em . Será apresentada, na primeira linha da tabela, a linha de inserção. Nos campos Liga (ms) e Desliga (ms), digite, respectivamente, o período de tempo que o sinal permanecerá ligado e o que permanecerá desligado. Clique no ícone para inserir esse registro na tabela ou, se quiser cancelar a inserção, clique no ícone . Se não houver mais inserções a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Editar cadência

Para editar uma cadência, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Excluir cadência

Para excluir uma cadência, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Configurações comuns a todas as detecções

Detector

No campo Número de detectores estáticos, digite o valor. O valor-padrão é 0. No campo Presença de tom mínimo (ms), digite o valor. O valor-padrão é 70. No campo Ausência de tom mínimo (ms), digite o valor. O valor-padrão é 70. No campo Presença de ruído mínimo (ms), digite o valor. O valor-padrão é 46. No campo Tolerância padrão (ms), digite o valor. O valor-padrão é 50. No campo Tempo mínimo de sinal contínuo (ms), digite o valor. O valor-padrão é 2500. No campo Tolerância para análise de cadência (ms), digite o valor. O valor-padrão é 500. No campo Tolerância para análise de transições (ms), digite o valor. O valor-padrão é 500. No menu Sinalização indefinida, selecione a opção desejada. Apresenta as opções Discagem aceita, Ocupado, Chamando, Erro, Sem erro, Sem sinal, Atendido, Programando, Indefinido, Detectando e Transição. No menu Sinalização para tom contínuo, selecione a opção desejada. Apresenta as opções Discagem aceita (padrão), Ocupado, Chamando e Erro. Clique em para aplicar as alterações ao PABX ou em para descartá-las.

Excluir detecção

Para excluir uma detecção, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

DTMF

Permite configurar alguns parâmetros de tempo e intensidade do sinal do protocolo DTMF.

Duração do dígito DTMF: define a duração do pulso digital que representa o dígito. Por padrão está preenchido com o valor 130.

Pausa interdigital: define o período de tempo entre um dígito e outro para o tronco reconhecê-los. Por padrão está preenchido com o valor 200.

Ganho de geradores DTMF (dB): define o ganho dos geradores de tom. Por padrão está preenchido com o valor 0.

Para salvar as alterações, clique em , ou clique em para descartá-las.

Teclas programáveis TI

Apresenta a imagem de um aparelho telefônico digital TI 5000, que possibilita configurar as teclas programáveis dos terminais inteligentes TI 5000.

No menu Ramal, selecione o ramal digital desejado. Clique sobre a tecla desejada, selecione no menu a ação dessa tecla e, dependendo da ação, selecione uma das opções que serão apresentadas.

Os dois módulos opcionais, com 15 teclas cada, sempre serão exibidos e poderão ser configurados mesmo que não estejam conectados fisicamente ao ramal.

Comandos por teclado

A tabela apresenta os comandos via teclado disponíveis na central. Para editar um comando, localize na tabela o registro que deseja editar e clique no ícone , localizado na última coluna. Faça as alterações desejadas e clique no ícone para aplicar as alterações ao PABX. É possível exportar um relatório em arquivo PDF com os comandos por teclado disponíveis.

Para saber como utilizar os comandos por teclado, acesse o manual de Operações com ramais.

Relatórios

Permite visualizar informações relacionadas as configurações dos ramais.

Através do botão de Acesso externo, é possível visualizar as configurações relacionadas às permissões de acesso externo dos ramais cadastrados no dispositivo. É possível exportar um arquivo .PDF através do botão Exportar PDF.

Abaixo do botão de Acesso externo, é possível visualizar se os ramais possuem configuração de Atendedor, Desvios ou Correio de Voz habilitados. Os ramais são listados por ordem numérica.

Monitoramento

Permite visualizar o estado dos ramais.

Ramais

Na parte superior, há filtros para facilitar a visualização do estado dos ramais, principalmente se a central possuir muitos deles. Por padrão, todos os ramais e estados serão apresentados. No menu Ramal, selecione um ramal específico. No grupo de filtros Tipo, deixe selecionado(s) apenas o(s) tipo(s) de ramal(is) desejado(s): analógico, digital e IP. No grupo de filtros Estados, deixe selecionado(s) apenas o(s) tipo(s) de estado desejado(s): Originadas, Recebidas, Estacionadas, Livres, Bloqueados e Indisponíveis.

Abaixo dos filtros, é apresentado um bloco para cada ramal configurado na central. Cada bloco possui nome do ramal e o estado, que é representado por três características: ícone na lateral esquerda, o nome abaixo do nome do ramal e a cor de fundo. Quando o ramal estiver em uma chamada, tanto originada quanto recebida, serão apresentados o nome do ramal, o número externo e o tempo de duração. Ao passar o mouse sobre o nome do ramal, serão exibidas mais informações, de acordo com o tipo. Por exemplo, para ramais IP, o endereço IP e MAC.

Acessórios

Bilhetagem

Possibilita configurar a forma de bilhetagem que a central irá utilizar. A opção Software Controller, quando selecionada (padrão), define que os bilhetes serão coletados pelo software Controller (versão: 4.0.0 ou superior), que deverá estar instalado em um computador. A opção Servidor TCP externo, quando selecionada, fará com os bilhetes sejam enviados para um computador/servidor. Selecione se o protocolo IP é IPv4 ou IPv6. No campo Endereço IP digite o endereço IP do computador/servidor. No campo Porta, digite a porta do computador/servidor. A opção Servidor FTP/FTPS interno, quando selecionada, fará com que os bilhetes sejam armazenados na central e possam ser capturados através do protocolo FTP. O campo Usuário define o nome do usuário e o campo Senha define a senha para acesso FTP. No menu Separador de campos, selecione o caractere que definirá a separação dos campos. Apresenta as opções Espaço, Vírgula, Dois pontos, Ponto e vírgula e Pipe. Na utilização do Software Controller para receber os bilhetes, deve ser utilizado o separador de campos por espaço. O checkbox Originar chamadas externas mesmo com buffer cheio, quando selecionado (padrão), fará com as chamadas possam ser originadas mesmo que o buffer de bilhetagem esteja cheio. Caso a forma de bilhetagem selecionada seja Servidor TCP externo ou Servidor FTP/FTPS interno, será apresentado o checkbox Mostrar nome do ramal, que, quando selecionado, irá gravar o nome do ramal, se este estiver cadastrado.

A seção Bilhetar chamadas apresenta uma tabela com categorias de bilhetagem que podem ter programações diferentes de acordo com a categoria da chamada: Originadas, Recebidas e Internas. O checkbox Atendidas, quando selecionado (padrão para originadas), define que as chamadas originadas atendidas serão bilhetadas. O checkbox Não atendidas, quando selecionado, define que as chamadas não atendidas serão bilhetadas. O checkbox Ocupadas, quando selecionado, define que as chamadas ocupadas serão bilhetadas. O checkbox Identificadas, quando selecionado, define que as chamadas identificadas serão bilhetadas. Os checkboxes Em espera, Chamando e Mensagens SMS, quando selecionados, definem, respectivamente, que as chamadas Em espera, Chamando e Mensagens SMS serão bilhetadas. Esses três checkboxes possuem somente opção para originadas. Caso necessite apagar a senha ou apagar bilhetes é só clicar nos botões e . Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Caso utilize a opção de Servidor FTP/FTPS interno, o usuário e senha de acesso ao FTP deverá ser diferente do usuário e senha utilizados para o Gravador de Chamadas

Formato dos bilhetes

Cada bilhete gerado pode conter as seguintes informações:

Bilhete: número do bilhete gerado

Ramal: ramal que originou ou recebeu a chamada (até 10 caracteres)

Juntor: número do juntor utilizado na chamada originada/recebida ou o ramal destino (até 10 caracteres)

Número Telefônico: número do telefone de destino/origem da chamada (até 24 caracteres)

Código de conta: código de conta utilizado na chamada (até 8 caracteres).

Data: data em que a chamada foi originada/recebida (10 caracteres) no formato DD/MM/AAAA

Hora: hora de início da chamada (7 caracteres)

Duração: duração da chamada (até 6 caracteres)

Quantidade máxima de bilhetes: A quantidade máxima de bilhetes que o PABX armazena até completar o buffer é 15.000.

Tipo da chamada: classe da chamada (3 caracteres). As classes podem ser:

EAT: entrante atendida

ENA: entrante não atendida

EID: entrante identificada

EOC: entrante ocupada

EES: entrante em espera

ECH: entrante chamando

DNA: entrante atendida somente pelo DISA

SAT: sainte atendida

SNA: sainte não atendida

SID: sainte identificada

SOC: sainte ocupada

SES: sainte em espera

SCH: sainte chamando

IAT: interna atendida

INA: interna não atendida

IID: interna identificada

IOC: interna ocupada

IES: interna em espera

ICH: interna chamando

Exemplo com espaço:

BBBBB RRRRRRRRRR JJJJJJJJJJ NNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNN CCCCC DD/MM/AAAA HH/mm/SS TTTTTT ttt 00163 2048 8991 30302003 12345678 09/02/2018 14:35:36 2 SAT

Exemplo com espaço e nome:

BBBBB RRRRRRRRRR oooooooooo JJJJJJJJJJ ddddddddd NNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNN CCCCC DD/MM/AAAA HH/mm/SS TTTTTT ttt 00165 2048 João 2000 PedroSilva 09/02/2018 14:38:38

Exemplo com ponto e vírgula:

161;2048;8991;30302000;12345678;09/02/2018;14:20:01;2;SAT

Exemplo com ponto e vírgula e nome:

164;2048;João;2000;PedroSilva;;;09/02/2018;14:38:04;3;INA

Uma ou mais colunas poderão estar em branco para uma determinada chamada. Isso ocorrerá quando o valor da coluna não é aplicável. Por exemplo, no caso de chamada interna, não há juntor envolvido. Outro exemplo: o PABX não recebeu a identificação de assinante de uma chamada recebida externa. Entre os campos sempre haverá um espaço. Ao final do bilhete haverá dois caracteres: Carriage return (nova linha) e Line feed (alimentação de linha).

Gravador de chamadas

Permite configurar o acesso via protocolo FTP para coleta das gravações de áudios dos ramais.

O checkbox Habilitar, quando selecionado, habilita o acesso a configuração dos campos Usuário, que define o nome do usuário, e Senha, que define a senha para acesso FTP.

A versão do aplicativo ICR compatível com o PABX UnniTI é a 1.0.1.9 ou superior.

O conector USB externo estará desabilitado se o download de arquivos de gravação via FTP estiver habilitado.

Porteiros

Os modelos compatíveis com o PABX UnniTI são da linha XPE 1001/1013.

Novo porteiro

No campo Nome, defina um nome para o novo porteiro. O campo Slot-posição apresenta a placa em que o ramal se encontra e a posição do ramal (somente analógicos não configurados como atendedor), no formato SS-PP, em que SS indica o número do slot e PP, a posição. Este campo só pode ser alterado durante a criação do porteiro. O campo Espera atendimento [s] define o tempo máximo que o porteiro aguardará pelo atendimento do atendedor. Os campos TX e RX definem o ganho/atenuação da transmissão/recepção do sinal de áudio. O campo Desabilita música de espera evita que o porteiro receba a música de espera da central quando o ramal atendedor do porteiro faz uma consulta. O porteiro irá receber apenas o tom de chamando. O campo Desabilita música de espera só é apresentado em porteiros já configurados na central.

Obs: Caso os ramais analógicos estiverem configurados como atendedor, não serão apresentados.

É possível configurar um atendedor para cada turno. No menu Destino, selecione uma das opções: Número externo, Grupos de ramais e Ramais cadastrados. Caso a opção selecionada seja Número externo, então o menu Rota/Filial será habilitado para que seja selecionada uma opção, e o campo Número externo, para que seja digitado o número de destino.

Editar porteiro

Para editar um porteiro, clique no nome de um dos registros apresentados na tabela. Será aberta a tela com os dados deste porteiro. Faça as alterações desejadas e clique em para aplicá-las ao PABX, ou clique em para descartá-las.

Excluir porteiro

Para excluir um porteiro, localize na tabela o registro que deseja excluir e clique no ícone , localizado na última coluna.

Interfaces de áudio

Permite configurar as interfaces de entrada/saída de áudio da placa CPU. Essas interfaces poderão ser configuradas como entrada de áudio externo para que possam ser usadas como música para chamadas em espera. Para isso, é necessário que um equipamento reprodutor de áudio esteja conectado à interface 1 e/ou 2. A interface número 2 poderá ser configurada para funcionar como saída de áudio para um sistema de alto-falante, para que possa ser usado para localizar pessoas, por exemplo.

Certifique-se de que o sistema de áudio esteja conectado à porta 1 e/ou 2 da placa CPU. Saiba mais no manual Hardware > CPU.

O campo Ganho entrada de áudio do conector 1 permite configurar ganho/atenuação do sinal de saída do conector 1. O menu Conector de áudio 2 define a função do conector 2, que pode ser Entrada de áudio (música externa) ou Saída de áudio (busca pessoa). O campo Ganho entrada de áudio do conector 2 permite configurar ganho/atenuação do sinal de saída do conector 2. Se não houver mais alterações a fazer, clique em para aplicá-las ao PABX.

Condomínio

A facilidade condomínio permite que um ramal possa discar para um número de apartamento e a central direciona esta ligação para até três telefones externos, por exemplo o celular do dono de um apartamento, e até um ramal da central. A funcionalidade é normalmente utilizada por um ramal porteiro, mas pode ser utilizada por outros ramais. Para executar esta funcionalidade , o ramal deve digitar (#24), seguido de um número, “Bloco + Apto”. O “Bloco + Apto” tem que estar cadastrado na lista existe na Configuração de condomínio.

Se o checkbox Chama todos simultaneamente estiver desmarcado, funcionará em modo rotativo. Assim, o PABX faz uma ligação para cada um dos números cadastrados, iniciando pelo ramal, e mantém a chamada pelo tempo programado no menu de opções Tempo de Espera, em segundos. Após este tempo, esta ligação é finalizada e outra é feita para o próximo número cadastrado. Se nenhuma ligação for atendida ao terminar a lista, a sequência de ligações é reiniciada. Essa sequência é mantida por 5 minutos. Se o checkbox Chama todos simultaneamente estiver marcado, funcionará em modo chamada múltipla, na qual todos os números cadastrados serão chamados simultaneamente e mantidos chamando por 180 segundos. Após este tempo, um tom de ocupado é retornado ao chamador.

Caso algum número chamado atenda, a ligação é conectada à este número e os outros números que estão chamando serão desconectados.

Se algum número chamado estiver ocupado ou fora de serviço, o próximo da lista é chamado no modo rotativo. No modo chamada múltipla, o número é descartado.

Se todos os números estiverem ocupados, um tom de ocupado é retornado ao chamador.

O usuário pode digitar o para resolver o número. Isto é útil caso sejam cadastrados os números e por exemplo. Para discar para o , ou digita-se + ou apenas o e se aguarda o tempo de fim de discagem.

Para ter acesso a facilidade Condomínio, o ramal deve permitir ligações para agenda geral, campo Acesso à contato com número privilegiado em Ramais > Funcionalidades > Agenda . Não são utilizadas as categorias de chamada externa do ramal. A ligação será feita para qualquer número cadastrado, independentemente do tipo de ligação.

O ramal permite discagem direta via números do Condomínio, isto é, ao tirar do gancho e discar um número, este número é verificado diretamente nos números cadastrados na tela de condomínio. Neste modo, o ramal não tem acesso aos ramais ou outras facilidades da central. Para programar, habilite o campo Acesso direto a condomínio em Ramais > Originar Chamadas.

As ligações externas utilizam as rotas definas em Troncos > Rotas e feixes > Feixes do sistema, então, para o correto funcionamento as rotas do sistema devem ser programadas corretamente nesta tela.

Obs: Caso a chamada seja originada pela linha analógica, e não reconheça o atendimento do destino, recomenda-se o uso de Detecção de Voz em Troncos > Analógico > 89XX > Configurações Avançadas > Outros > Tipo de atendimento.

Configurações Básicas

O botão só aparece se não houver nenhuma configuração de condomínio já programada, isto porque através desse botão é possível configurar um condomínio com vários blocos e apartamentos de uma só vez, mas para que isso ocorra corretamente não deve haver nenhuma configuração prévia na tela de condomínio. Ao pressionar este botão, uma tela de configuração é aberta, nesta tela é possível configurar condomínios verticais ou horizontais, se for um condomínio misto, isto é, que possui tanto blocos de apartamentos disponibilizados em formato vertical (prédios), quanto construções em formato horizontal (casas/kitnets) deve-se escolher uma das opçoes (Vertical / Horizontal) e posteriormente adicionar as outras opções uma a uma. Neste caso, recomenda-se cadastrar o que tiver mais volume primeiro, por exemplo: Em um condomínio com 4 blocos de 20 apartamentos cada e apenas 6 casas, é mais fácil configurar primeiro os apartamentos através das Configurações Básicas e depois adicionar as 6 casas maualmente.

Vertical / Horizontal: Se este checkbox estiver desmarcado o modo Vertical está ativo, neste caso pode-se configurar condomínios verticais, ou seja, que possuem blocos de apartamentos construídos de forma vertical (prédios).

Número de blocos: Este campo só aparece no modo vertical, ele aceita apenas números e não deve iniciar com zero. Este campo irá armazenar o número de blocos do condomínio, por exemplo: Se o condomínio a ser configurado possui os blocos A e B, deve-se preencher o número 2.

Número de andares por bloco: Este campo só aparece no modo vertical, ele aceita apenas números e não deve iniciar com zero. Este campo irá armazenar o número de andares por bloco do condomínio, por exemplo: Se o condomínio a ser configurado possui os blocos A e B e cada um desses blocos possui 7 andares, deve-se preencher o número 7. Caso o condomínio possua blocos de tamanhos diferentes, por exemplo: O bloco A possui 3 andares e o bloco B possui 4 andares, recomenda-se configurar o número de andares do maior bloco e excluir os apartamentos inexistentes após a configuração, desta forma a numeração dos apartamentos não será prejudicada.

Número de apartamentos por andar: Este campo só aparece no modo vertical, ele aceita apenas números e não deve iniciar com zero. Este campo irá armazenar o número de apartamentos por andar em cada bloco do condomínio, por exemplo: Se o condomínio a ser configurado possui os blocos A e B e cada um desses blocos possui 2 apartamentos em cada andar, deve-se preencher o número 2. Caso o condomínio possua blocos com número de andares diferentes ou número de apartamentos diferentes em cada andar do bloco, por exemplo: O bloco A possui 2 apartamentos no primeiro e segundo andar e apenas um apartamento no terceiro andar, recomenda-se configurar o número de apartamentos maior e excluir os apartamentos inexistentes após a configuração, desta forma a numeração dos apartamentos não será prejudicada.

Número do primeiro apartamento: Este campo só aparece no modo vertical, ele aceita apenas números e deve ser preenchido com o número do primeiro apartamento do primeiro andar, por exemplo 101 ou 1001. O Programa irá cadastrar os outros apartamentos conforme a numeração do primeiro.

Vertical / Horizontal: Se este checkbox estiver marcado o modo Horizontal está ativo, neste caso pode-se configurar condomínios horizontais, ou seja, que possuem blocos de residências construídas de forma horizontal (casas/kitnets).

Número de quadras: Este campo só aparece no modo horizontal, ele aceita apenas números e não deve iniciar com zero. Este campo irá armazenar o número de quadras do condomínio, por exemplo: Se o condomínio a ser configurado possui as quadras 1 e 2, deve-se preencher o número 2.

Número de casas por quadra: Este campo só aparece no modo horizontal, ele aceita apenas números e não deve iniciar com zero. Este campo irá armazenar o número de casas por quadra do condomínio, por exemplo: Se o condomínio a ser configurado possui as quadras 1 e 2 e cada uma dessas quadras possui 2 casas, deve-se preencher o número 2. Caso o condomínio possua quadras de tamanhos diferentes, por exemplo: A quadra 1 possui 2 casas e a quadra 2 possui 4 casas, recomenda-se configurar o número de quadras da maior quadra e excluir as casas inexistentes após a configuração, desta forma a numeração das casas não será prejudicada.

Número da primeira casa: Este campo só aparece no modo horizontal, ele aceita apenas números e deve ser preenchido com o número da primeira casa da primeira quadra, por exemplo 101 ou 1001. O Programa irá cadastrar as outras casas conforme a numeração da primeira.

Mesmo atendedor: Este campo aparece tanto no modo vertical quanto horizontal. Se este checkbox estiver marcado O ramal selecionado como atendedor permanecerá o mesmo para todos os números de apartamentos.

Ramal: Este campo aparece tanto no modo vertical quanto horizontal. Deve-se selecionar o ramal atendedor para os apartamentos. Se o campo 'Mesmo atendedor' estiver marcado, todos os apartamentos terão o ramal selecionado como atendedor, caso contrário serão configurados os ramais em sequência como atendedores para cada apartamento.

Após preencher os campos necessários clique no botão Inserir, faça os ajustes necessários e se desejar gravar a cofiguração clique em Salvar.

Mesa virtual

A Mesa virtual é um aplicativo para computadores desktops e laptops que permite gerenciar, através da interface gráfica, as chamadas de um PABX da linha UnniTI.

A versão do aplicativo Mesa virtual compatível com o PABX UnniTI é a 3.00.02 ou superior. O PABX aceita até 10 conexões simultâneas desse aplicativo.

Termo de garantia

Para a sua comodidade, preencha os dados abaixo, pois, somente com a apresentação deste em conjunto com a nota fiscal de compra do produto, você poderá utilizar os benefícios que lhe são assegurados.

Nome do cliente:

Assinatura do cliente:

Nº da nota fiscal:

Data da compra:

Modelo:

Nº de série:

Revendedor:

Fica expresso que esta garantia contratual é conferida mediante as seguintes condições:

1. Todas as partes, peças e componentes do produto são garantidos contra eventuais defeitos de fabricação, que porventura venham a apresentar, pelo prazo de 1 (um) ano – sendo 3 (três) meses de garantia legal e 9 (nove) meses de garantia contratual –, contado a partir da data de entrega do produto ao Senhor Consumidor, conforme consta na nota fiscal de compra do produto, que é parte integrante deste Termo em todo o território nacional. Esta garantia contratual compreende a troca gratuita de partes, peças e componentes que apresentarem defeito de fabricação, incluindo a mão de obra utilizada nesse reparo. Caso não seja constatado defeito de fabricação, e sim defeito(s) proveniente(s) de uso inadequado, o Senhor Consumidor arcará com essas despesas.

2. Constatado o defeito, o Senhor Consumidor deverá imediatamente comunicar-se com o Serviço Autorizado mais próximo que conste na relação oferecida pelo fabricante – somente estes estão autorizados a examinar e sanar o defeito durante o prazo de garantia aqui previsto. Se isso não for respeitado, esta garantia perderá sua validade, pois estará caracterizada a violação do produto.

3. Na eventualidade de o Senhor Consumidor solicitar atendimento domiciliar, deverá encaminhar-se ao Serviço Autorizado mais próximo para consulta da taxa de visita técnica. Caso seja constatada a necessidade da retirada do produto, as despesas decorrentes de transporte e segurança de ida e volta do produto ficam sob a responsabilidade do Senhor Consumidor.

4. A garantia perderá totalmente sua validade na ocorrência de quaisquer das hipóteses a seguir: a) se o defeito não for de fabricação, mas sim, ter sido causado pelo Senhor Consumidor ou terceiros estranhos ao fabricante; b) se os danos ao produto forem oriundos de acidentes, sinistros, agentes da natureza (raios, inundações, desabamentos, etc.), umidade, tensão na rede elétrica (sobretensão provocada por acidentes ou flutuações excessivas na rede), instalação/uso em desacordo com o Manual do Usuário ou decorrentes do desgaste natural das partes, peças e componentes; c) se o produto tiver sofrido influência de natureza química, eletromagnética, elétrica ou animal (insetos, etc.); d) se o número de série do produto tiver sido adulterado ou rasurado; e) se o aparelho tiver sido violado.

A garantia contratual deste termo é complementar à legal, portanto, a Intelbras S/A reserva-se o direito de alterar as características gerais, técnicas e estéticas de seus produtos sem aviso prévio.

Todas as imagens deste manual são ilustrativas.

Produto beneficiado pela Legislação de Informática.


Suporte a clientes: (48) 2106 0006

Fórum: forum.intelbras.com.br

Suporte via chat: intelbras.com.br/suporte-tecnico

Suporte via e-mail: suporte@intelbras.com.br

SAC: 0800 7042767

Onde comprar? Quem instala?: 0800 7245115

Produzido por: Intelbras S/A – Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira

Rodovia BR 101, km 210 – Área Industrial – São José/SC – 88104-800

www.intelbras.com.br

Indústria Brasileira